Ir direto para menu de acessibilidade.
Atenção! Você está acessando um arquivo automático de notícias e o seu conteúdo pode estar desconfigurado. Acesse as notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.

Reitor participa de discussão sobre unificação do vestibular nas universidades federais

Escrito por Comunicação UFLA | Publicado: Quarta, 08 Abril 2009 12:28 | Última Atualização: Quarta, 08 Abril 2009 12:28

O Reitor da Ufla, Prof. Antônio Nazareno Guimarães Mendes, participou da reunião do Conselho Pleno da ANDIFES nos dias 6 e 7 de abril, que discutiu a unificação do vestibular nas Instituições Federais de Educação Superior - IFES, proposta pelo MEC. O ministro Fernando Haddad, acompanhado de sua equipe, esteve presente à reunião detalhando a proposta aos reitores de todas as 55 IFES.

 

Durante o encontro, o ministro comprometeu-se a encaminhar até hoje, dia 8, o Termo de Referência com a formalização da proposta para discussão pelos órgãos competentes e conselhos superiores das IFES, sendo que o prazo previsto para adesão ao modelo ainda em 2009 é curto e provavelmente terá como data limite o dia 30 deste mês. Ainda segundo Haddad, um “Comitê de Governança” formado por representantes de todas as regiões, pela coordenação nacional do Fórum de Pró-reitores de Graduação da ANDIFES e por secretários estaduais de educação, entre outros, será constituído para discutir e acompanhar a implementação do processo em todo o país. Além disso, ele sinalizou com a possibilidade de ampliação dos recursos para assistência estudantil em mais R$ 200 milhões anualmente.

 

Com relação ao vestibular unificado, a idéia é que a adesão das IFES se dê aos poucos, admitindo-se desde a utilização apenas do ENEM (numa etapa única) até a utilização do modelo proposto somente para alguns cursos, podendo ainda existir um modelo “híbrido” em algumas IFES, no qual o ENEM seja integralmente utilizado para seleção de determinados cursos e, como primeira etapa de seleção em outros, notadamente os mais procurados pelos candidatos. Com isso, a expectativa é que as inscrições ao ENEM modificado sejam gratuitas e que o número de candidatos possa se aproximar de quatro milhões em todo o país.

 

Neste momento, o número de IFES que se dispõem a aderir ao modelo é grande. No entanto, a maioria delas deve debater o assunto na próxima semana, após receberem o Termo de Referência proposto pelo MEC.

 

Trâmite na Ufla

 

Na Ufla, a discussão terá início na COPESE e no colegiado da Pró-Reitoria de Graduação, que enviarão uma proposta para discussão e encaminhamentos pelo CEPE, em reunião prevista para a próxima quarta-feira (15/04). Segundo o Prof. Nazareno, a partir daí, a Reitoria acatará as orientações do CEPE para tratamento do assunto junto à comunidade acadêmica, ao Conselho Pleno da ANDIFES e ao MEC.

 

“O próprio MEC entende que a adesão ao modelo proposto deve ser voluntária e ocorrerá de forma gradual, mas vemos com bons olhos a disposição do MEC e do INEP em melhorar profundamente o ENEM, o que permitirá sua adoção em maior ou menor escala nos processos seletivos das IFES. Também não podemos perder de vista que este modelo de unificação dos processos seletivos será pensado e permanentemente modificado no tempo, num crescente e contínuo processo de melhoria de qualidade na seleção de nossos estudantes de graduação, o que é característico do sistema público federal de educação superior”, concluiu o Reitor.

 

ENEM modificado

 

O ENEM modificado poderá ser aplicado de 2 a 3 vezes ao ano, prevendo-se sua primeira edição entre os meses de setembro e outubro de 2009, com divulgação dos resultados até os primeiros dias de dezembro. Com isso, as IFES que o adotarem como primeira etapa de seus processos seletivos poderão elaborar e aplicar a segunda etapa do processo.

 

O número de opções (mesmo curso em diferentes IFES ou diferentes cursos em uma ou mais IFES) será definido no Termo de Referência a ser apresentado pelo MEC, mas pode chegar a cinco.

 

Com relação à segurança do processo, em particular a sua aplicação, será revista pelo MEC e pelo INEP, com possibilidade de envolvimento direto das IFES.

 

A reserva de vagas (cotas sociais, raciais e processos seriados de avaliação como o PAS), poderá ser adotada, a critério de cada IFES. Já as provas poderão ter peso diferenciado, conforme o curso pretendido.

 

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.