Ir direto para menu de acessibilidade.
programas de pós-graduação

Capes aprova quatro novos cursos de pós-graduação na UFLA

Escrito por Camila Caetano | Publicado: Terça, 09 Outubro 2018 12:03 | Última Atualização: Terça, 09 Outubro 2018 12:04 | Acessos: 3546
Gentileza solicitar descrição da imagem

A Universidade Federal de Lavras (UFLA) obteve a aprovação de quatro novos programas de Pós-Graduação pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Até o momento foram aprovados os cursos de: Ensino em Ciências e Educação Matemática (profissional); Educação Científica e Ambiental (acadêmico); Engenharia de Alimentos (acadêmico); Engenharia Ambiental (acadêmico), que devem iniciar no próximo ano. 

A documentação correspondente aos programas de pós-graduação aprovados pela Capes será encaminhada ao Conselho Nacional de Educação (CNE) para que este órgão delibere sobre a autorização e o reconhecimento do PPG, com posterior homologação do ministro da Educação, conforme estabelecido na legislação.

O pró-reitor de Pós-Graduação da UFLA, professor Rafael Pio, relata que as propostas começaram a ser construídas no início da gestão, as primeiras reuniões se iniciaram em junho de 2016. “Primeiramente, a pró-reitoria fez um levantamento das áreas possíveis para abrirmos novos cursos. Com a aprovação desses novos programas de pós-graduação estamos consolidando uma das metas dessa gestão que é ampliar as áreas de conhecimento. Lembrando que hoje a Capes tem 49 áreas e nós estávamos inseridos em apenas 12, agora conseguimos chegar a 16, e o nosso objetivo é de crescer ainda mais”.

Há ainda outras propostas de criação de novos programas de pós-graduação em avaliação na Capes e a expectativa é de novas recomendações. "Até o final do ano poderemos ter mais programas de pos-graduação recomendados pela Capes, que ainda estão em fase de avaliação final", destaca Rafael Pio.

Ensino em Ciências e Educação Matemática (profissional): Investigar os aspectos relativos aos fundamentos do processo de ensino e aprendizagem e suas inter-relações metodológicas e curriculares, através do desenvolvimento de estratégias de ensino. Estudar as dimensões teóricas metodológicas subjacentes aos processos de formação dos professores, inicial e continuada, considerando o desenvolvimento profissional docente em distintos contextos. Dialogar com as contribuições da História das Ciências e da Matemática para a compreensão das relações entre saberes científicos e escolares, bem como suas potencialidades para o processo de ensino e aprendizagem, e suas interferências na prática docente nas disciplinas de Química, Física e Matemática. Neste contexto, contemplar a educação inclusiva, o desenvolvimento de projetos educacionais, o uso de tecnologias da informação e comunicação, a avaliação escolar e sistêmica, a produção de recursos didáticos, o ensino formal e não formal, a reformulação curricular e a interdisciplinaridade.

Educação Científica e Ambiental (acadêmico): tem como objetivo formar e qualificar professores pesquisadores em nível de pós-graduação stricto sensu na área de Ensino de Ciências, tanto aqueles que já atuam na educação, como discentes egressos das licenciaturas, de modo a contribuir para compreensão histórica e crítica das relações sociais na e com a natureza, e a produção de conhecimento, a fim de que participem de maneira individual e coletiva em busca de garantir e fortalecer a educação científica e ambiental brasileira e um projeto de sociedade mais justo e sustentável.

Engenharia de Alimentos (acadêmico): será constituído de uma única área de concentração, composta por três linhas de pesquisa: “Desenvolvimento de processos na indústria de alimentos”, “Modelagem, simulação e controle de processo” e “Propriedades físicas de alimentos e insumos”. Essas áreas terão forte interação ao considerar e tratar os problemas de pesquisas na área Engenharia de Alimentos numa dimensão completa. A área de concentração de Engenharia de Alimentos trata do estudo, desenvolvimento e otimização de processos e produtos na indústria de alimentos, além da determinação de propriedades físicas e parâmetros cinéticos, como calor específico, condutividade térmica, difusividade e constante de velocidade de reações. A área engloba tanto estudos experimentais dos processos de separação, térmicos, de conservação, de fermentação e tratamento de resíduos, como modelagem e simulação, usando equações obtidas de balanços de massa, calor e de quantidade de movimento ou modelos empíricos e semi-empíricos, visando sua otimização.

Engenharia Ambiental (acadêmico): tem caráter interdisciplinar e busca promover uma ampla visão científica e atualizada de formas de gestão do meio ambiente e do uso sustentável dos recursos naturais. Para isso foram definidos dentro da linha de pesquisa três eixos temáticos (Tratamento de água para abastecimento e águas residuárias, Resíduos sólidos e geotecnia ambiental e Hidrometeorologia e Poluição Ambiental) com perspectivas do desenvolvimento de pesquisas e tecnologias apropriadas na solução de problemas ambientais.

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.