Ir direto para menu de acessibilidade.
COMPROMISSO COM O MEIO-AMBIENTE

Ranking GreenMetric: UFLA entre as 30 universidades mais sustentáveis do mundo

Escrito por Samara Avelar | Publicado: Quinta, 10 Dezembro 2020 19:19 | Última Atualização: Sexta, 30 Julho 2021 13:40 | Acessos: 1902
Gentileza solicitar descrição da imagem

Pelo nono ano consecutivo, a Universidade Federal de Lavras (UFLA) ocupa lugar de destaque no UI GreenMetric World University Ranking, que avalia ações sustentáveis desenvolvidas por instituições de ensino no mundo inteiro.  A UFLA avançou na pontuação geral: em 2020 contabilizou 8100 pontos – 125 a mais que a pontuação geral de 2019, figurando como a segunda universidade mais sustentável do Brasil e a segunda da América Latina. O ranking de 2020 foi divulgado na última segunda-feira (7/12).

A avaliação feita pelo GreenMetric leva em consideração seis categorias de indicadores. No quesito Educação e Pesquisa, a Instituição é a primeira no País, somando um total de 1625 pontos. Outro destaque da UFLA  foi na evolução, em 2020, dos critérios Gestão de Água - 875 pontos, enquanto em 2019 foram 750 - , e Transporte Sustentável - 1425 pontos, enquanto em 2019 foram 1374.

Neste ano, o ranking avaliou um total de 912 instituições, 132 a mais que em 2019, o que reforça a  consolidação da UFLA como universidade sustentável.  Para o reitor da Universidade, professor João Chrysostomo de Resende Júnior, a UFLA recebe com satisfação os resultados, especialmente a evolução apurada nas categorias destacadas. “Estamos empenhados em evoluir ainda mais nas práticas de sustentabilidade, com a meta sempre presente de proteger o meio ambiente e, por consequência, podermos retomar a primeira colocação na América Latina, como universidade mais sustentável. Várias ações estão sendo planejadas e outras, já em andamento, como é o caso do projeto de tornar a frota de veículos da UFLA 100% movida a biodiesel, o que a Pró-Reitoria de Infraestrutura e Logística (Proinfra) já está providenciando. Estamos também avaliando a possibilidade de utilização de bicicletas elétricas para reduzir trânsito de carros e ônibus no câmpus”, relata.

A professora Fátima Resende Luiz Fia assumiu, em novembro, a Diretoria de Qualidade e Meio Ambiente da UFLA (DQMA) e avalia os resultados como estímulo para a busca do aperfeiçoamento constante na área ambiental. “Desde a criação do Plano Ambiental da UFLA, têm sido implementados esforços coletivos para a melhoria da gestão ambiental na Instituição, o que traz benefícios ambientais e benefícios também para o Ensino, a Pesquisa e a Extensão, fato destacado pela pontuação conseguida em Educação e Pesquisa no ranking. A participação da comunidade Universitária tem sido fundamental para alcançarmos melhorias contínuas no ranqueamento do Green Metric. Diante dos resultados, daremos continuidade aos projetos ambientais desenvolvidos e serão envidados novos esforços para melhoria constante dos diferentes setores vinculados à DQMA".

Sobre o GreenMetric

O ranking internacional foi criado pela Universidade da Indonésia (UI), em 2010, com a finalidade de medir os esforços de sustentabilidade dos centros universitários através de programas e políticas de sustentabilidade em universidades de todo o mundo.

A partir de uma perspectiva de sustentabilidade global, o GreenMetric tem como objetivos principais: contribuir para os discursos acadêmicos sobre sustentabilidade na educação e ecocampi, promover uma mudança social encabeçada pelas universidades no que tange à questão da sustentabilidade, ser uma ferramenta de autoavaliação sobre a sustentabilidade do câmpus para instituições de ensino superior em todo o mundo, informar os governos, as agências ambientais internacionais e locais e a sociedade sobre os programas de sustentabilidade no câmpus.

Em 2019, a UFLA sediou a 3ª edição do “National Workshop do UI GreenMetric for Universities”, com o objetivo de possibilitar o compartilhamento das melhores práticas de sustentabilidade adotadas nos câmpus universitários - identificadas por intermédio do ranking anual, além de incentivar a colaboração e o aprendizado entre as Universidades.