Ir direto para menu de acessibilidade.
Atenção! Você está acessando um arquivo automático de notícias e o seu conteúdo pode estar desconfigurado. Acesse as notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.

Professores usam novas tecnologias a serviço do ensino

Escrito por Comunicação UFLA | Publicado: Segunda, 14 Março 2011 05:34 | Última Atualização: Segunda, 14 Março 2011 05:34
A internet transformou-se em uma importante e poderosa ferramenta, que possibilita interagir com pessoas de qualquer lugar do mundo. Novas possibilidades e desafios surgem a partir dessa tendência. E é nesse contexto que a Ufla está se aperfeiçoando e oferecendo aos estudantes um espaço virtual, por meio do qual é possível aprimorar o aprendizado, debater assuntos que interferem diretamente no cotidiano das pessoas e trocar informações.

 

Uma sala de aula virtual, onde os professores e estudantes de graduação poderão interagir através de um espaço repleto de informações: esse é o projeto Aprender, ferramenta tecnológica de educação a distância que vem sendo utilizada nos cursos presenciais da Ufla, por meio dos Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVA). A iniciativa tem conquistado bons resultados. É o que constata o pró-Reitor de Graduação, prof. João Chrysostomo de Resende Júnior. “A internet é hoje um novo espaço de comunicação global. Assim, é relevante refletir de que forma ela deve ser trabalhada para ser uma fonte de apoio na construção da aprendizagem. Nosso objetivo é oferecer uma abordagem pedagógica inserida nesse novo contexto”.

 

Para dar suporte ao crescente número de usuários no AVA, toda a rede de internet está sendo reestruturada no Câmpus, aumentando a capacidade de acessos e dando maior agilidade à navegação. Está prevista, também, a implantação de três grandes laboratórios de informática no novo prédio de salas de aulas que está em construção. Há a expectativa, ainda, de até o fim do ano, todas as salas de aula dos pavilhões estarem equipadas com projetores multimídias (lousa virtual ou data-show, acompanhados de computadores), fruto de ações articuladas entre Proplag e DADP.

 

Segundo o prof. João Chrysostomo, todos os esforços estão sendo feitos para que alunos e professores sejam integrados a essa nova modalidade de ensino. “Além do suporte em equipamentos e estrutura, vamos trabalhar na capacitação dos professores na utilização destes ambientes e incentivar os estudantes a aderirem a essa nova tendência. É necessário que todos reconheçam a importante contribuição que essa ferramenta tecnológica pode trazer para o processo de ensino-aprendizagem”.

 

Espaço de interação e troca de informação

 

Um dos responsáveis pelo projeto, o servidor técnico-administrativo César Raimundo Silva, explica que o “Aprender” teve início no primeiro semestre de 2009. Vários professores foram capacitados, mediante um treinamento oferecido pelo Centro de Apoio a Educação a Distância da Ufla (Cead). Ao aderir à plataforma, o docente cria a sala de aula virtual, correspondente a sua disciplina, oferecendo aos estudantes um espaço no qual é possível ter acesso ao plano de curso, ementa da disciplina, materiais de apoio, fórum de discussão e programação das aulas, além de ser um espaço interativo que possibilita a troca de informações e bate papo. Os estudantes matriculados nas disciplinas são automaticamente cadastrados pelo sistema.

 

O projeto vem atender, também, à portaria publicada pelo Ministério da Educação, permitindo que até 20% da carga horária total dos cursos de graduação presencial possam ocorrer na modalidade a distância. Até o fim do ano passado, o projeto já registrava a participação de mil alunos em 70 salas virtuais. Hoje já são cerca de 200 espaços, com mais de três mil estudantes cadastrados.

 

Mais avanços

 

Um projeto aprovado na Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) dará ainda mais vigor ao uso de plataformas tecnológicas no ensino. Com um investimento estimado em cerca de R$ 700 mil, a iniciativa vai dar suporte ao uso das tecnologias de comunicação e informação. Os recursos serão utilizados para treinamento de professores e tutores, aquisição de mobiliário e equipamentos necessários para a implantação dos projetos, e custeio para a compra de softwares e materiais de consumo.

 

De acordo com o coordenador da Universidade Aberta do Brasil (UAB/Ufla), prof. Ronei Ximenes Martins, os recursos aprovados vão dar suporte à segunda etapa de implantação do Projeto Aprender, oferecendo ainda mais recursos nas salas virtuais. “Nosso objetivo é adequar o espaço universitário ao que está disponível atualmente. A utilização de novas tecnologias e redes sociais é uma demanda de mercado e temos de preparar esses estudantes para atender a essas exigências”.

 

No projeto está prevista a implantação de um Laboratório de Tecnologia para a Educação, que dará toda a estrutura necessária para os professores na elaboração de material didático. O espaço será equipado com microfones, ilhas de edição, câmeras, lousa digital e software, para edição de imagens para a gravação de vídeoaulas que serão disponibilizadas nas salas virtuais. “Pretendemos oferecer essa ferramenta às disciplinas transversais, comum a diversos cursos, que atendem ao maior número de alunos na universidade”, explica Ronei.

 

Quem usa, aprova

 

Comprometimento e responsabilidade. Esses são alguns dos quesitos básicos apontados por professores para o bom aproveitamento das ferramentas disponibilizadas pelo AVA. Além de estimular a colaboração e interação entre os participantes, as salas virtuais permitem a apresentação de materiais de estudo de modo criativo e servem de suporte para a organização dos cursos.

 

A profª. Maria das Graças Carvalho Moura e Silva, do Departamento de Zootecnia (DZO), foi uma das primeiras a inserir essa plataforma tecnológica em suas atividades. Gracita, como é conhecida, diz que a ferramenta traz diversos benefícios, entre eles uma maior interação com os alunos, facilidade de disponibilizar materiais e economia de papel e xérox. “É uma ferramenta de fácil acesso e que está sendo aperfeiçoada cada vez mais. Utilizo não só nas minhas disciplinas da graduação, como também nos cursos de extensão. Os resultados têm sido bem satisfatórios”.

 

A mesma opinião tem o prof. Gilmar Tavares, do Departamento de Engenharia (DEG). Suas três disciplinas estão nos ambientes virtuais, permitindo aos usuários conectarem-se entre si e com todo o universo científico e tecnológico. “Com essa ferramenta, o professor rende mais, fica mais atualizado e pode incrementar sua aula com assuntos recentes e promover discussões em tempo real”.

 

Outras informações no site www.cead.ufla.br/aprender

 

 

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.