Ir direto para menu de acessibilidade.
Atenção! Você está acessando um arquivo automático de notícias e o seu conteúdo pode estar desconfigurado. Acesse as notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.

Jovens se dizem desencantados com o Brasil

Escrito por Comunicação UFLA | Publicado: Quinta, 29 Novembro 2007 22:00 | Última Atualização: Quinta, 29 Novembro 2007 22:00

O Globo, 29/11/07

Chico de Gois

Violência e políticos são apontados, em estudo com adolescentes, como os maiores motivos de vergonha

Pesquisa realizada por Unicef, Fundação Itaú Social e Instituto Ayrton Senna mostra o desencanto dos jovens com o Brasil. Quando perguntados sobre quais motivos tinham para se orgulhar do país, 29% não quiseram ou não souberam responder, enquanto 11% afirmaram que “nada” lhes dá orgulho. Foram entrevistados 3.010 jovens em 206 municípios e 210 indígenas de 15 cidades, todos na faixa etária de 15 a 19 anos. Entre os que encontraram algum motivo de orgulho, 15% identificaram as riquezas, as belezas naturais e as praias, e 10% optaram pelo futebol. Dos representantes das classes D e E, 34% não opinaram. Para 20% dos indígenas, o povo e o cidadão brasileiro são motivos de orgulho, resposta de 5% dos demais entrevistados. Do lado oposto, o que mais envergonha os jovens entrevistados é a segurança pública, empatada com a política e os políticos. Em resposta espontânea, 20% apontaram cada um desses três problemas. Entre os indígenas, 23% não souberam ou não quiseram responder.

Entre os indígenas, quase metade sente-se discriminada A corrupção política é, na visão dos jovens, o que mais causa problemas sociais no Brasil: 27% dos entrevistados têm essa opinião, enquanto 17% apontaram a discriminação racial e 15%, a falta de segurança.

Entre os indígenas, a discriminação racial está no mesmo patamar da corrupção política, com 17% das respostas. Na Região Centro-Oeste, a corrupção política foi apontada como um dos principais males do país: 35% têm essa opinião, quase o mesmo percentual do Sudeste, 33%. Os jovens se dividiram ao apontarem caminhos para o ambiente político. Ao escolherem a expressão com a qual mais concordavam, 47% disseram que “a política é um ambiente muito contaminado, por isso o jovem deve buscar outros canais de participação”. Percentual praticamente igual dos que têm visão oposta: 48% responderam que “a participação política é um canal importante demais para deixar de ser utilizado pelos jovens”.

Embora observem a discriminação como um grave problema a ser enfrentado, a maioria (67%) não se sente vítima de preconceito. Porém, entre os que assim se sentem, 20% apontam o fato de serem pobres como motivo para serem destratados. Os indígenas (44%) são os que mais se sentem discriminados. A primeira etapa da pesquisa, intitulada “Adolescentes e jovens do Brasil”, foi realizada entre 11 e 18 de julho de 2006. O estudo foi concluído em 9 de agosto do ano passado, e divulgado ontem.

Portal da Ciência - Universidade Federal de Lavras
Coronavírus Covid-19: É importante de informar e prevenir. ufla.br/coronavirus
FalaBR: Pedidos de informações públicas e manifestações de ouvidoria em um único local. Sistema Eletrônico de Informações ao Cidadão (e-SIC) e Ouvidoria.