Ir direto para menu de acessibilidade.
Atenção! Você está acessando um arquivo automático de notícias e o seu conteúdo pode estar desconfigurado. Acesse as notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.

Larvicida natural é lançado durante Congresso Brasileiro de Biodiesel organizado pela UFLA

Publicado: Quarta, 07 Dezembro 2016 08:08 | Última Atualização: Sexta, 02 Dezembro 2016 08:42
[caption id="attachment_126355" align="alignright" width="249"]Larvicida - Biolarv: produto que será comercializado a partir de 2017, para controle do Aedes aegypti Larvicida - Biolarv: produto que será comercializado a partir de 2017, para controle do Aedes aegypti[/caption] A torta de moringa (moringa oleífera) é uma biomassa residual do processo de extração mecânica do seu óleo vegetal, contido em suas sementes. Esse material possui lectinas do tipo: mol, cmol, wsmol, que podem atuar como larvicidas, por exemplo, em larvas de Aedes aegypti, atuando como inseticida natural e interrompendo o ciclo biológico do mosquito. O larvicida “Biolarv”, desenvolvido pelo ex-aluno de Agronomia da Universidade Federal de Lavras (UFLA) Rafael Peron Castro, em conjunto com a equipe do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (Lais) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, e em parceria com a empresa Olea, da Incubadora de Base Tecnológica da UFLA (Inbatec/UFLA). O produto se destaca pelas facilidades de seu uso, em razão de ser um produto natural, e pela elevada taxa de controle. Em testes preliminares, o produto teve efetividade de 100% na mortalidade de larvas e pupas, em até quatro horas de avaliação. A comercialização do produto, previsto para início de 2017, deverá atender à demanda da população brasileira, que teme o crescimento dos índices de dengue e outras doenças que tem como vetor o mosquito Aedes aegypti. [caption id="attachment_126347" align="alignleft" width="249"]larvicida Rafael Peron Castro apresenta o Larvicida, no estande da Olea, durante o Congresso[/caption] A inovação e os trabalhos científicos que embasaram o seu lançamento foram apresentados ao público do 6º Congresso da Rede Brasileira de Tecnologia de Biodiesel e 9º Congresso Brasileiro de Plantas Oleaginosas, Óleos, Gorduras e Biodiesel, realizados em Natal, Rio Grande do Norte, com a coordenação da UFLA e apoio do Núcleo de Estudos em Plantas Oleaginosas, Óleos, Gorduras e Biodiesel, G-Óleo. O congresso é considerado o principal evento técnico-científico da área no Brasil, sendo referência nacional para as áreas de produção de plantas oleaginosas, óleos, gorduras e biodiesel. Na avaliação do professor Pedro Castro Neto (DEG/UFLA), presidente da Comissão Organizadora, essa edição superou as expectativas. Com público estimado em 600 congressistas/dia, de 22 a 25 de novembro, Natal foi a capital do Biodiesel. "Mesmo com a proximidade da praia, a programação manteve o público até o encerramento do evento", considerou. UFLA mais produtiva [caption id="attachment_126350" align="alignright" width="249"]g-oleo-congresso Coordenador do Núcleo de Estudos G-Óleo, Vinícius Reis Bastos Martins, representando a UFLA na cerimônia de premiação das instituições mais produtivas[/caption] A UFLA consolidou sua liderança na produção científica sobre a temática. Dos 716 trabalhos científicos aprovados - para apresentação oral e pôster – 19,1% foram apresentados por estudantes e docentes da UFLA. Esse desempenho rendeu à Universidade o destaque como instituição mais produtiva do evento. Em segundo lugar ficou a Universidade de Goiás (UFG) e, terceiro, a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Ao todo, a Comissão Técnica de Avaliação recebeu 886 trabalhos científicos, por instituições nacionais e internacionais, nas seguintes áreas: Políticas públicas e desenvolvimento sustentável; Produção de matérias primas; Produção de biodiesel; Caracterização de controle de qualidade; Armazenamento, estabilidade e problemas associados; Coprodutos e Uso do biodiesel. Ao receber o prêmio em nome da Universidade, o coordenador do Núcleo de Estudos G-Óleo, Vinícius Reis Bastos Martins, destacou o apoio que o núcleo vem recebendo da UFLA, o que permite o alto desempenho nas pesquisas. Acompanhamento online aplicativo-congresso-biodieselO Núcleo de Estudos - G-Óleo desenvolveu e lançou um aplicativo para o acompanhamento integral das atividades científicas do congresso. Desenvolvido na plataforma inevent, e disponível para sistemas IOS e Android, o aplicativo permitiu ao seu usuário interagir com todas as atividades do congresso, podendo receber todo tipo de informação sobre a agenda, apresentações, programação completa, alterações ocorridas, além de mandar perguntas, considerações sobre as atividades científicas que estavam acontecendo no momento. Promoção O evento é promovido pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), a Universidade Federal de Lavras (UFLA), a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e a Rede Brasileira de Tecnologia de Biodiesel (RBTB). Da UFLA, está à frente da organização o Núcleo de Estudos em Plantas Oleaginosas, Óleos, Gorduras e Biodiesel (G-Óleo). O professor do Departamento de Engenharia (DEG/UFLA) Pedro Castro Neto é o presidente da Comissão Organizadora, e o professor Antônio Carlos Fraga (DAG/UFLA) preside a Comissão Científica. [caption id="attachment_126352" align="aligncenter" width="612"]Pedro Castro Neto, presidente da Comissão Organizadora, e professor Antônio Carlos Fraga presidente a Comissão Científica, com os membros do G-òleo e integrantes da empresa Olea Pedro Castro Neto, presidente da Comissão Organizadora, e professor Antônio Carlos Fraga presidente a Comissão Científica, com os membros do G-Óleo e integrantes da empresa Olea[/caption]

 

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.