Ir direto para menu de acessibilidade.
Atenção! Você está acessando um arquivo automático de notícias e o seu conteúdo pode estar desconfigurado. Acesse as notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.

Alunos do Alcance/DCC obtêm segundo lugar em Hackaton de Tecnologia Assistiva, na Finit

Escrito por Mateus Lima | Publicado: Domingo, 29 Novembro -0001 20:53 | Última Atualização: Quinta, 28 Junho 2018 16:56
Um grupo de alunos do Núcleo de Pesquisas em Acessibilidade, Usabilidade e Linguística Computacional (Alcance), do Departamento de Ciência da Computação (DCC), conquistou o segundo lugar em um Hackaton promovido pela Rede Mineira de Tecnologia Assistiva (RMTA), do Governo do Estado de Minas Gerais. O desafio foi realizado como parte da Campus Party MG, no âmbito da segunda edição da Feira Internacional de Negócios, Inovação e Tecnologia (Finit), promovida pelo governo estadual entre 31 de outubro e 4 de novembro de 2017, em Belo Horizonte. Hackaton é um evento no qual profissionais ligados a desenvolvimento de softwares devem desenvolver um sistema que atenda a uma demanda, ou projetos inovadores e utilizáveis. Nesse caso, o Hackatech Assistivo foi promovido pela RMTA com o desafio: “Desenvolva soluções em Tecnologia Assistiva para as pessoas com deficiência e mobilidade reduzida em favor do seu crescimento e autonomia na sociedade com inovação”.   Os estudantes tiveram 30 horas para conceber uma ideia e desenvolver um protótipo, entre 8 equipes de diversos lugares do Brasil que participaram da competição. [caption id="attachment_145408" align="alignright" width="129"] Tela inicial do ALLA, software desenvolvido pelo Alcance[/caption] O projeto que obteve o segundo lugar foi o aplicativo ALLA (Acesso a Leis e Lugares Acessíveis), de caráter informativo. Por meio dele, os usuários terão acesso à Lei Brasileira de Inclusão (LBI), apresentada com linguagem simples, sem termos jurídicos, a fim de atingir todos os níveis da sociedade. Além disso, o aplicativo possibilita que seus usuários avaliem a acessibilidade de serviços e lugares visitados – como escolas, transporte público, estabelecimentos públicos e privados, entre outros. Caso um usuário com deficiência encontre algum problema de acessibilidade no local, poderá enviar seu relato diretamente a um responsável ou, em casos mais extremos, aos órgãos responsáveis pelo cumprimento da lei. Pretende-se atingir também estabelecimentos e prestadores de serviço, possibilitando uma forma de conscientização e possível implantação das adequações para respeitar as leis vigentes regendo a acessibilidade do local/serviço. O grupo foi formado por Clayton Henrique Silva, estudante do curso de Engenharia de Controle e Automação, e pelos discentes do curso de Ciência da Computação Felipe Silva Dias, Gabriel Rodrigues Oliveira, Letícia Diniz Tsucyhia e Luiz Felipe da Paixão Silva. Todos fazem projetos de Iniciação Científica ou de Iniciação Tecnológica e Industrial no Laboratório Alcance.   Presença do Alcance na Finit Além da participação dos alunos no Hackaton e na Campus Party, o Alcance participou de maneira ativa nas atividades relacionadas à Tecnologia Assistiva na Finit.  A equipe ocupou um estande na Arena Experience, demonstrando produtos desenvolvidos no laboratório, com foco em apoio a pessoas com deficiência. No dia 3 de novembro, o professor Raphael Winckler de Bettio participou de roda de conversa sobre inovação e desenvolvimento de Tecnologia Assistiva no lounge do conhecimento do Sistema Mineiro de Inovação (Simi), moderado pela coordenadora da RMTA Kátia Ferraz Ferreira,  com representantes de start-ups mineiras da área. Nos dias 3 e 4, os professores André Pimenta Freire e Raphael Winckler de Bettio, do DCC, participaram de reunião do comitê executivo da RMTA, com representantes de laboratórios de outras instituições mineiras de ensino e pesquisa.  Na reunião, foram discutidos direcionamentos para elaboração de propostas de políticas no âmbito do governo do estado para a área, bem como programas para fomento de pesquisas em Tecnologia Assistiva e colaboração do governo de Minas Gerais com núcleos de tecnologia e inovação das universidades mineiras. O intuito dessa colaboração é apoiar a transferência de tecnologias de pesquisas realizadas para o setor produtivo, possibilitando a utilização efetiva dos resultados por pessoas com deficiência.