Ir direto para menu de acessibilidade.
Atenção! Você está acessando um arquivo automático de notícias e o seu conteúdo pode estar desconfigurado. Acesse as notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.

Ufla presente no Projeto Rondon 2008

Escrito por Comunicação UFLA | Publicado: Quinta, 07 Fevereiro 2008 22:00 | Última Atualização: Quinta, 07 Fevereiro 2008 22:00

Entre os dias 11 e 28 de janeiro, duas equipes da Universidade Federal de Lavras (Ufla) participaram pela quarta vez consecutiva do Projeto Rondon, nas cidades de Boa Hora (PI) e Oeiras do Pará (PA). Este ano, a operação foi denominada de ‘Grão-Pará’, nome alusivo à região.

O Projeto Rondon é um projeto de integração social coordenado pelo Ministério da Defesa e conta com a colaboração da Secretaria de Educação Superior do Ministério da Educação (Sesu-MEC). Envolve atividades voluntárias de universitários e busca aproxima-los da realidade do País, além de contribuir, também, para o desenvolvimento de comunidades carentes.

Sob a coordenação dos professores Carlos Eduardo da Silva Volpato (DEG), Marco Antônio Gomes Barbosa (DEF) e Ila Maria Silva de Souza (DED), também participaram os seguintes estudantes de graduação: Cleiton Lourenço de Oliveira; Emily Darc A. dos Santos; Jaqueline Diniz da Silva; Letícia Fernandes de Oliveira; Mario Jefferson Pereira da Silva Vinicius Augusto Moraes, Eva Costa de Barros; Flávia Petta Marques Gomes; Geraldo de Carvalho Neto; Íon Araújo Sant’anna; Maristela Benigna Vilas Boas; Michele de Oliveira Coutinho e Ramom Rachide Nunes, que se dividiram nas duas cidades.

As atividades coordenadas pela equipe da Ufla, estavam relacionadas com os seguintes temas: Desenvolvimento local sustentável (incentivar o cooperativismo e o associativismo para a geração de renda; capacitar produtores locais; disseminar soluções auto-sustentáveis - tecnologias sociais - que melhorem a qualidade de vida das comunidades e capacitar mão-de-obra ligada ao comércio de bens e serviços) e Gestão pública (capacitar servidores municipais em gestão pública e de projetos; aperfeiçoar servidores municipais em assuntos de informática; capacitar servidores municipais na elaboração e gestão do Plano Diretor do município e elaborar propostas ou projetos para atender a infra-estrutura municipal, em particular nas áreas de saneamento básico e meio ambiente).

De acordo com o professor Carlos Eduardo Volpato que coordenou as atividades na Cidade de Boa Hora (PI), o trabalho e a equipe foram muito bem aceitos pela população e pelas autoridades das duas cidades envolvidas. “Nós fomos muito bem recebidos nos municípios e lá deixamos a nossa marca. Muito trabalho foi realizado e ao final tivemos o reconhecimento da população e das autoridades locais: O prefeito de Boa Hora solicitou o possível retorna da equipe em Julho” comenta.

Essa foi a quarta participação seguida da UFLA no Projeto Rondon desde sua reativação: Em 2005, a Ufla esteve em Tabatinga (AM), 2006 em Caracaraí (RR), 2007 em Bom Jesus do Tocantins (PA).

O Projeto empenha-se em desenvolver a formação de organizações da sociedade civil na defesa dos direitos de cidadania, como também, a formação de educadores do ensino fundamental para a prática de leitura.

A produção de textos, atendimento a portadores de necessidades educativas especiais e a organização de implantação de atividades comunitárias solidárias também são destaques no Projeto. Os voluntários preocupam-se, ainda, em orientar o desenvolvimento da agricultura familiar, bem como, colaborar na elaboração de projetos que atendam à infra-estrutura municipal, em particular nas áreas de saneamento básico e de meio ambiente.

A professora Ila Maria Silva de Souza (DED), que coordenou as atividades em Oeiras do Pará, avalia como de fundamental importância a participação da Ufla no Projeto, fato que ocasionou a troca de experiências e de vivências durante todo o trabalho e permanência na região. 'A nossa participação nesta Operação Grão-Pará 2008 do Projeto Rondon foi uma ocasião ímpar de compartilharmos nossos saberes e de aprendermos também com os saberes da comunidade de Oeiras do Pará. Foram dias de muito trabalho e de muita partilha onde a solidariedade e a fraternidade estiveram presentes durante toda nossa estadia nesta comunidade' argumenta.

Histórico

A idéia de levar a juventude universitária ao conhecimento de outras realidades brasileiras e de propiciar oportunidade de contribuição para o desenvolvimento social e econômico do País surgiu em 1966, na Escola de Comando e Estado-Maior do Exército, durante a realização de um trabalho de sociologia intitulado ‘O Militar e a Sociedade Brasileira’. O sonho esboçado nos bancos escolares iria se concretizar no ano seguinte, no dia 11 de julho de 1967, quando trinta estudantes e dois professores, entusiasmados com a nova idéia, partiram do Rio de Janeiro para o Território de Rondônia, a bordo de uma aeronave C-47 cedida pelo então Ministério do Interior.

Esta atividade foi denominada ‘Operação Zero’, como ficou conhecida a primeira operação do Projeto Rondon, que objetivava levar os estudantes a tomar contato com o interior da Amazônia, “sentir o Brasil” e trabalhar em benefício das comunidades carentes daquela região. A equipe permaneceu na área por 28 dias, realizando trabalhos de levantamento, pesquisa e assistência médica.

O retorno foi marcado com sucesso: manchetes nos jornais e entrevistas dos participantes que voltaram com o slogan INTEGRAR PARA NÃO ENTREGAR . Os universitários sugeriram, também, o nome para a iniciativa “Projeto Rondon” inspirados no trabalho do grande militar e humanista, o Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon.

O Projeto realizou várias atividades de cidadania, bem-estar, desenvolvimento local, sustentável e gestão pública, resultando o aumento da área de atuação e beneficiando muitas comunidades com os serviços sociais, como Amazonas, São Paulo, Paraná, entre outros.

A partir de 1982, o Projeto Rondon começou a ter dificuldades que impediram sua continuidade, ocasionando assim, seu encerramento oficial em 1989.

O Projeto Rondon Hoje

A reativação do Projeto Rondon originou-se de uma proposta, encaminhada pela União Nacional dos Estudantes ao Presidente da República, em novembro de 2003. Para viabilizar a proposta apresentada, foi criado, em março de 2004, um Grupo de Trabalho Interministerial, que estabeleceu diretrizes e objetivos, definindo, assim, a sistemática de trabalho a ser adotada na sua execução.

Relançado em 19 de janeiro de 2005, em Tabatinga (AM), o Projeto Rondon hoje, é realizado em estreita parceria com o Ministério da Educação e conta com a colaboração dos demais Ministérios, dos Governos Estaduais, das Prefeituras Municipais, da Associação Nacional dos Rondonistas, da União Nacional dos Estudantes, de Organizações Não-Governamentais, de Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público e de Organizações da Sociedade Civil, com o apoio fundamental das Forças Armadas que proporcionam suporte necessário para as operações.

As ações do projeto são orientadas pelo Comitê de Orientação e Supervisão (COS), constituído por representantes dos Ministérios da Defesa (que o preside), do Desenvolvimento Agrário, Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Educação, Esporte, Integração Nacional, Meio Ambiente, Saúde e da Secretaria Geral da Presidência da República.

 

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.