Ir direto para menu de acessibilidade.
Atenção! Você está acessando um arquivo automático de notícias e o seu conteúdo pode estar desconfigurado. Acesse as notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.

Grupo G-óleo promove seminário sobre gestão de resíduos

Escrito por Comunicação UFLA | Publicado: Quinta, 18 Junho 2009 11:12 | Última Atualização: Quinta, 18 Junho 2009 11:12

A destinação do lixo produzido pela população está se tornando um dos problemas mais graves da atualidade. Muitos pesquisadores têm se dedicado a buscar alternativas para resolver essa situação. O grupo de estudos em Plantas Oleaginosas, Óleos, Gorduras e Biodiesel (G-Óleo) da Universidade Federal de Lavras (Ufla) desenvolve um amplo trabalho para desenvolver tecnologias de gestão integrada de resíduos sólidos provenientes de estabelecimentos gastronômicos na cidade de Lavras. Essas medidas serão apresentadas durante seminário sobre a Gestão de Resíduos em Restaurantes, na próxima terça-feira, das 09h às 12h, no anfiteatro do Laboratório de Sementes, no campus universitário. A entrada é gratuita.

Os pesquisadores explicam que o aproveitamento integrado de resíduos gerados pela indústria alimentícia e estabelecimentos gastronômicos (restaurantes, bares, lanchonetes, padarias, supermercados e outros) pode evitar o encaminhamento destes materiais aos aterros sanitários, permitindo o estabelecimento de novas alternativas empresariais e minimizando o impacto ambiental. O descarte dos diferentes tipos de óleo, por exemplo, que são lançados diretamente na rede coletora de esgoto, chegam a encarecer o tratamento de efluentes em até 45%. A presença de óleos nos esgotos pode entupir encanamentos, além de provocar graves problemas de higiene e mau cheiro.

“A reciclagem é uma forma muito atrativa de gerenciamento destes resíduos, pois transforma o lixo em insumos, com diversas vantagens ambientais. Pode contribuir para a economia dos recursos naturais, assim como para o bem estar da comunidade.”, afirmam os coordenadores do grupo G-óleo, professores Pedro Neto a Antônio Fraga. Segundo eles, a maior parte das cidades brasileiras destina de maneira precária seus resíduos sólidos. “Em Minas Gerais, a realidade não é diferente, pois a maioria dos municípios dispõe o lixo em área imprópria, provocando degradação social e ambiental, poluindo a águas, o solo e o ar, além de propiciar a multiplicação de roedores, insetos e outros animais transmissores de doenças e causar sérios danos à saúde humana”, ressaltam.

Estima-se que cerca de 70% da população jogam o óleo usado na pia da cozinha, enquanto aproximadamente 20% colocam junto ao lixo doméstico na forma de resíduos sólidos. Depois de retirados os resíduos sólidos, os óleos residuais podem ser utilizados para fabricação de sabão, rações, detergente biodegradável, massas para vidros, cola, tintas industriais e biodiesel, e a sua reciclagem como biocombustível alternativo além de retirar do meio ambiente um poluente, permitirá a geração de uma fonte alternativa de energia, atendendo a duas necessidades básicas de uma só vez, auxiliando na diminuição da importação do petróleo para suprir a demanda por diesel.

 

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.