Ir direto para menu de acessibilidade.
Atenção! Você está acessando um arquivo automático de notícias e o seu conteúdo pode estar desconfigurado. Acesse as notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.

Poetisa mineira presta homenagem à memória do prof. Júlio César Teixeira

Escrito por Comunicação UFLA | Publicado: Sexta, 10 Julho 2009 12:12 | Última Atualização: Sexta, 10 Julho 2009 12:12

A trajetória do professor lavrense Júlio César Teixeira (1953-2005), um dos mais importantes pesquisadores da Universidade Federal de Lavras – Ufla, foi relembrada está semana de forma especial através dos versos da poetisa mineira Alice de Oliveira Vila Real de Bragança, da Academia Internacional de Letras.

Os versos compostos em 2008 pela autora foram divulgados pela mãe do intelectual, Nadir Alexandrina Teixeira, “D. Santa”, e os irmãos Eugenio Jaques Maragrace, Rosa Maria e Maria Eugenia, a “Geninha”, para relembrar o aniversário do lavrense ilustre, comemorado amanhã, dia 11, quando completaria 55 anos de vida.

Professor Júlio César foi um dos mais ativos pesquisadores da área de Ciências Agrárias do Estado, tendo trabalhado em diversas instituições de ensino (Universidade Federal do Amazonas e Universidade Federal de Viçosa), participando de mais de 50 congressos e palestras no Brasil e exterior, deixando 11 livros publicados.

O pesquisador lavrense também desenvolveu uma pesquisa que gerou a fabricação e comercialização de uma ração para ruminantes em escala industrial, na cidade de Campo Belo. No ano passado, seu nome foi homenageado durante o 45º Congresso Brasileiro de Zootecnia, realizado na Ufla, com uma placa que foi entregue a matriarca da família, D. “Santa”, acompanhada na ocasião por filhos e netos.   

SAUDADE - Para “Geninha”, a saudade do irmão permanece de forma intensa. Ela lembra com carinho dos tempos em que professor Júlio Cesar, ainda criança, se transformou no mascote da Associação Olímpica de Lavras, time do qual o pai, o enfermeiro Francisco Eugenio Teixeira, atuava como massagista.

“O legado que ele deixou está baseado nos ideais de responsabilidade, caridade, fraternidade e generosidade. Como bem disse a poeta mineira Adélia Prado: O que a memória ama, fica eterno”, falou emocionada.

EMOÇÃO - O Portal Lavras 24 Horas publica a seguir o poema escrito por Alice de Oliveira, radicada no Rio de janeiro, que também é jornalista, articulista, contista, cronista, compositora, pintora e autora de dezenas obras publicadas.

Professor Júlio – in memoriam 

Jovem ainda, encerrou seu tempo

unificando todo o seu talento

Laborioso e augusto

igualou-se aos Deuses dos inventos

ouvindo deles, as receitas certas.

 

Para as suas descobertas.

Durante a sua existência

como nobre cientista,

Pesquisou com consciência

não sendo muito egoísta!

 

Mas, o infortúnio chegou sorrateiro

se aninhando em você por inteiro

E o denso mistério da vida que conforta

sepultou seus sonhos, fechando-lhe a porta.

 

E ao transformar-se em essência,

livre do mundo opressor

tão cheio de desamor,

Paira agora, n’outras regiões

de maiores dimensões...    

 

Deixando um rastro de luz

Em tudo que realizou!

Por isso, Julio, Deus o chamou

Pra ser seu fiel “braço direito”

Seu discípulo perfeito

Tornando-se de verdade

um defensor da Humanidade

 

 Rio de Janeiro, primavera de 2008, Dia de Finados.

Alice Oliveira

 

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.