Ir direto para menu de acessibilidade.
Atenção! Você está acessando um arquivo automático de notícias e o seu conteúdo pode estar desconfigurado. Acesse as notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.

Mostra de Cinema “Ciência com vida” exibe filme nesta quinta

Escrito por Comunicação UFLA | Publicado: Terça, 18 Agosto 2009 12:57 | Última Atualização: Terça, 18 Agosto 2009 12:57

Os projetos “UflaCiência” e “Museu para todos” promovem, na próxima quinta-feira, a exibição do filme Nagoyqatsi: a vida como uma guerra, como parte da Mostra de Cinema "Ciência com Vida".

Aberta a toda comunidade universitária e lavrense, a Mostra pretende promover debates envolvendo questões relacionadas a Ciência, História, Filosofia, Política e Arte. De acordo com o Prof. Márcio Norberto Farias, um dos coordenadores do projeto, as exibições acontecerão todas as quintas-feiras, sempre no mesmo horário.

Serviço

Data: 20/08/2009

Horário: 16 horas

Local: Museu de História Natural (campus histórico da Ufla)

Coordenação da exibição: Prof. Márcio Norberto Farias e Profa. Luciana Azevedo Rodrigues. 

Outras informações relacionadas ao projeto e às exibições podem ser obtidas pelo http://cinemacomvida.blogspot.com.




Sinopse

Naqoyqatsi é uma expressão da língua Hopi que significa "a vida como uma guerra" ou "a guerra como um meio de vida". Também há uma sugestão de interpretação como "violência civilizada".

Lançado em 2002, o documentário foi dirigido por Godfrey Reggio com música do compositor Philip Glass e com trechos executados pelo violoncelista Yo-Yo Ma. Ao contrário dos demais documentários da trilogia Qatsi, Naqoyqatsi não foi produzido através de filmagens. Foram utilizados filmes e imagens de arquivo manipulados digitalmente e intercalados com cenas produzidas por computação gráfica, com efeitos de pós-produção como fotografia térmica. Esta maneira de produzir o filme não foi à toa; o diretor escolheu produzir o filme a partir de imagens e vídeos extraídos de banco de imagens para, com isso, justificar a constante apropriação que o atual mundo tecnológico nos permite e nos impulsiona a fazer (samplers, remixagens, copy paste...). Além disso, desta forma, o diretor acaba demonstrando também que a presença da tecnologia se faz essencial e predominante na produção do filme, ou seja, sem a tecnologia, nem o filme e nem nosso atual quadro de vida existiriam.

Este documentário leva o expectador a refletir sobre a nossa relação com a natureza, a influência da tecnologia em nossas vidas e as novas maneiras de se relacionar dentro de um atual quadro frenético mergulhado na conectividade tecnológica. Há uma ênfase especial sobre a competitividade, os conflitos do mundo e a violência.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Naqoyqatsi