Ir direto para menu de acessibilidade.
Atenção! Você está acessando um arquivo automático de notícias e o seu conteúdo pode estar desconfigurado. Acesse as notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.

Estimativas da Ufla confirmam queda do faturamento no campo em 2009

Escrito por Comunicação UFLA | Publicado: Segunda, 28 Dezembro 2009 13:23 | Última Atualização: Segunda, 28 Dezembro 2009 13:23

Pesquisa do Departamento de Administração e Economia da Universidade Federal de Lavras (DAE/UFLA), com base no levantamento mensal dos Índices de Preços Agrícolas, chegou à conclusão de que, em 2009, os custos para produzir, no setor agrícola, superaram, em média, os preços pagos ao produtor rural pela venda de seus principais produtos. Ou seja, o produtor rural obteve prejuízo no cálculo do quanto ganhou com a venda dos seus produtos e do que gastou para produzi-los.

 No acumulado do ano, o Índice de Preços Recebidos (IPR) pela venda dos produtos agropecuários teve queda de 2,01%, enquanto o Índice de Preços Pagos (IPP) pelos insumos agrícolas aumentou 9,6%. Esses índices estimam a variação da renda agrícola e o comportamento dos custos de produção do setor, respectivamente.

A pesquisa do DAE/UFLA faz o levantamento mensal de 42 produtos e 187 insumos agropecuários. De acordo com o professor Ricardo Reis, coordenador dos Índices Agrícolas, o segmento da cadeia produtiva do milho e do feijão foi o que teve maior queda de renda, caindo, em média, no ano, 12,31% e com uma alta em seus custos de 18,18%. Já na média dos hortifrutigranjeiros, a situação no campo não foi diferente, acumulando renda negativa de 5,29% e alta de 8,03% nos custos de produção. Para o café, a queda da cotação do preço acumulada em 2009 foi de 2,95% e a alta nos custos para sua produção foi, em média, ao longo do ano, de 15,86%. O único setor agrícola que mostrou melhoria de renda foi o do leite, cuja alta acumulada nos 12 meses foi de 4,92% e os custos para o pecuarista aumentaram em 1,49%.

Índices de Dezembro de 2009

Em dezembro, o Índice de Preços Pagos (IPP) pelos insumos agrícolas aumentou 0,15%, enquanto o Índice de Preços Recebidos (IPR) pelos produtos agropecuários teve variação positiva um poucomaior, de 0,91%.

O professor Ricardo Reis chama a atenção para a queda nos preços dos fertilizantes, que ficaram mais baratos, em média, no mês de dezembro, 5,77%.Complementa que sementes e mudas tiveram alta de preços, no mês, de 8,06% e os preços médios das rações também aumentaram 2,38%, bem como fungicidas, 10,17%; herbicidas, 4,79% e bernicidas, 7,64%. As demais quedas dos insumos agrícolas em dezembro foram as dos formicidas (-3,47%), dos vermífugos (-13,8%) e de máquinas e equipamentos, -0,64%.

Entre os produtos agrícolas, a cotação do café teve ligeira alta de 0,98% em dezembro, ao contrário do preço do milho, cujo preço pago ao produtor caiu 0,63%.

Já na pecuária leiteira, os preços pagos aos pecuaristas pelo leite tipo C e leite tipo B se mantiveram estáveis em dezembro.

Entre os hortifrutigranjeiros, cuja alta média em dezembro foi de 4,54%, os maiores aumentos ficaram concentrados nos preços da abobrinha (66,67%), da batata (20,73%), da berinjela (33,33%), da beterraba (32,0%), da mandioca (13,47%), da cenoura (9,59%) e do pimentão (10,0%). As maiores baixas foram as da batata fiúza (-13,79%), da cebola (-14,67%), do milho verde (-20,38%) e da couve-flor (-6,25%).

 

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.