Ir direto para menu de acessibilidade.
Atenção! Você está acessando um arquivo automático de notícias e o seu conteúdo pode estar desconfigurado. Acesse as notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.

Economia agrícola continua sinalizando melhoria do campo

Escrito por Comunicação UFLA | Publicado: Terça, 04 Mai 2010 05:27 | Última Atualização: Terça, 04 Mai 2010 05:27







Depois de um ano desfavorável, 2010 iniciou-se com altas de preços dos principais produtos pagos ao produtor rural. E os principais aumentos desse ano ficaram localizados principalmente no feijão e nos hortifrutigranjeiros, criando um clima mais favorável no campo, conforme dados levantados pelo Departamento de Administração e Economia da Universidade Federal de Lavras (DAE/UFLA), por meio dos cálculos dos Índices de Preços Agrícolas.

Em abril, o DAE/UFLA divulgou o Índice de Preços Recebidos (IPR) pela venda dos produtos do setor rural, que teve alta de 4,38%. Já os dados levantados dos insumos estimaram que o Índice de Preços Pagos (IPP) teve uma ligeira alta em abril de 0,74%, refletindo nos custos de produção. 

Contribuíram para melhoria da renda agrícola nos meses de abril e de março, as altas do feijão, que aumentaram 47,96% e 25,1 respectivamente. No entanto, nem tudo foi favorável no campo, principalmente para os produtores de milho, cujos preços tiveram quedas no mês de abril de 7,13% e de 2,44% em março

E entre os hortifrutigranjeiros, as maiores altas em abril foram as da laranja (26,67%), da cebola (28,0%), da couve-flor (50,0%), do pimentão (27,27%) e da alface, com aumento de 10,0%. 

E a melhoria no campo também ficou localizada na pecuária leiteira, cujo preço pago ao pecuarista aumentou 5,63% para o leite tipo B e 2,24% para o tipo C. Nos quatro meses do ano, o preço do leite pago a produtor já subiu, em média, 15,25%.

Já a cotação do café continua sem grandes alterações: em abril caiu 0,94% e em março, alta de 1,92%.

Abril foi o mês em que os preços médios dos principais insumos agrícolas aumentaram 0,74%. Entre os mais de 180 itens pesquisados, as maiores quedas ficaram com os setores ligados aos adubos (-0,97%), as sementes e mudas (-8,58%) e aos antibióticos (-5,12%). E as maiores altas verificadas no mês foram: rações (2,53%), formicidas (9,31%) e vacinas, com alta de 4,97%.

No balanço dos últimos 12 meses (maio de 2009 a abril de 2010), a renda agrícola teve uma alta média de 9,85% e os custos de produção aumentaram 11,24%, indicando que no horizonte de um prazo maior, a agropecuária ainda continua num processo de descapitalização.

 

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.
 
Portal da Ciência - Universidade Federal de Lavras
FalaBR: Pedidos de informações públicas e manifestações de ouvidoria em um único local. Sistema Eletrônico de Informações ao Cidadão (e-SIC) e Ouvidoria.