Ir direto para menu de acessibilidade.
Atenção! Você está acessando um arquivo automático de notícias e o seu conteúdo pode estar desconfigurado. Acesse as notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.

I Formuleite debate os rumos da nutrição do gado leiteiro no Brasil

Escrito por Comunicação UFLA | Publicado: Quinta, 10 Junho 2010 08:31 | Última Atualização: Quinta, 10 Junho 2010 08:31







Um dos setores que impulsinona a economia de Minas, movimentando anualmente cerca de R$ 70 bilhões, o gado leiteiro está sendo amplamente discutido durante a realização do I Formuleite (Simpósio Internacional em Formulação de Dietas para Gado de Leite). O evento, que teve início na manhã desta quinta-feira, dia 10, propõe ser específico na alimentação de vacas leiteiras, discutindo novas tecnologias para aumento do custo benefício do produto e a criação de ferramentas computadorizadas para formulação de dietas.

Ao abrir oficialmente as atividades, o reitor em exercício da Ufla, prof. Elias Tadeu Fialho, contextualizou a importância do setor de gado leiteiro para a economia do estado e do país. Ele citou alguns números, baseados em um balanço realizado pelo Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA). “Minas Gerais tem 22,5 milhões de cabeças de gado, sendo o segundo maior produtor de carne bovina do Brasil. Em termos de gado leiteiro, nosso estado tem 9,83 milhões de cabeças de vacas que produzem oito bilhões de litros de leite por ano, ou seja, 30% da produção nacional, sendo desta forma considerado o primeiro produtor de leite do país, com um detalhe muito peculiar, pois 91% dos produtores de leite são classificados como pequenos produtores”.

Fialho destacou, ainda, que o pecuarista vem ao longo dos últimos 10 anos se modernizando pelo uso da genética de boa qualidade e aprendendo a manejar o animal. Segundo ele, o futuro do setor da pecuária leiteira é promissor, mesmo com os baixos preços atuais do litro de leite pagos ao produtor e o desgaste de uma crise econômica globalizada. “A cadeia agro-industrial do leite no estado é caracterizada pela concentração de atividades nos segmentos de criação de bovinos leiteiros e fabricação de produtos do laticínio. O leite, que há quatro anos o Brasil não exportava, também cresceu na pauta externa e deve fechar no ano de 2010 com um faturamento estimado de 800 milhões de dólares”.

Evento pioneiro

Segundo o coordenador do Formuleite, prof. Marcos Neves Pereira, as discussões sobre a nutrição do gado leiteiro em um evento que envolve diversos pesquisadores, é pioneiro no Brasil. “O valor gasto com o alimento fornecido ao gado representa mais da metade do custo de produção. Temos que levar em conta, também, que o valor nutricional interfere diretamente na qualidade do produto. Por isso, é importante discussões dessa natureza para que possamos proporcionar ao produtor ferramentas que vão garantir um produto competitivo no mercado, com qualidade e com baixo custo”.

Após a solenidade de abertura, os participantes conferiram a palestra com o professor Louis E. Armentano, da University Wisconsin, em Madison, EUA, sobre parâmetros para a formulação de carboidratos fibrosos e não fibrosos e dietas para vacas leiteiras. O evento prossegue até o dia 12 de junto, com atividades que vão retratar a realidade do gado de leite no Brasil e no exterior.