Ir direto para menu de acessibilidade.
Atenção! Você está acessando um arquivo automático de notícias e o seu conteúdo pode estar desconfigurado. Acesse as notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.

Contra orientação da Fasubra, técnicos administrativos da UFLA rejeitam proposta e mantêm greve

Publicado: Sexta, 24 Agosto 2012 05:55 | Última Atualização: Terça, 21 Agosto 2012 11:35
Cibele Aguiar
Após duas horas de assembleia, 113 servidores técnico-adminsitrativos da Universidade Federal de Lavras (UFLA) decidiram por rejeitar a orientação do Comando Nacional de Greve da Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-Administrativos em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil (CNG/Fasubra), rejeitando a proposta apresentada pelo governo e mantendo a greve iniciada em 12 de junho. Foram oito votos favoráveis à aceitação da proposta do governo e 10 abstenções. A decisão vai contra a orientação da Fasubra, em documento enviado aos comandos locais de greve, para o retorno das atividades na próxima segunda-feira (27). Nos depoimentos, confirma-se que o movimento vive um momento crucial e que a decisão pela sua manutenção está fundamentada em avaliações de perdas salarias para a maioria da categoria no final de 2015, período estipulado para o reajuste de 15,8% oferecido pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG). Segundo o Comando Local de Greve (CLG/UFLA), a decisão reafirma a força da greve como a maior da história, envolvendo diversas categorias do funcionalismo público, devendo ser intensificada, mesmo diante de cenários incertos e da possibilidade de corte de ponto por parte do governo federal. Para a Fasubra, a manutenção da greve sugere à categoria um cenário de muitas dúvidas e inseguranças, em que o montante ofertado seria distribuído para outras categorias e de risco eminente de corte de ponto generalizado. Segundo o documento, a tendência maior da evolução de uma greve nessas condições seria a saída sem acordo, sem qualquer avanço e com os salários cortados, o que imporia dura derrota para nossa categoria. O CLG/UFLA sugere uma contraproposta à Fasubra, Sindicato que o representa na mesa de negociações, para que seja buscada uma proposta que incorpore 15% de aumento em três parcelas, nos anos de 2013, 2014, 2015, acrescentando aos 5% de reajuste de cada ano a inflação de 2010, 2011 e 2012 respectivamente, manutenção do step de 4%, isonomia do vale alimentação, revisão dos valores dos auxílios e Implementação de data-base indexada. Nesta quarta-feira (22), haverá reunião entre os sindicatos da categoria e representantes do governo. Na quinta-feira (23) está agendada nova assembleia do Comando Local de Greve.  

 

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.