Ir direto para menu de acessibilidade.
Atenção! Você está acessando um arquivo automático de notícias e o seu conteúdo pode estar desconfigurado. Acesse as notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.

Prêmio Capes 2012: a melhor tese de Ciências Agrárias foi defendida na UFLA

Escrito por Cibele | Publicado: Sexta, 28 Dezembro 2012 08:52 | Última Atualização: Segunda, 17 Dezembro 2012 08:24
Cibele Aguiar
Na quinta-feira (13), a Universidade Federal de Lavras (UFLA) esteve mais uma vez representada na solenidade de entrega do Prêmio Capes de Tese 2012, na sede da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), em Brasília. O pesquisador Sílvio Junio Ramos defendeu a tese premiada “Biofortificação, variação genotípica e metabolismo envolvendo selênio em alface e brócolis”, no Programa de Pós-Graduação de Ciência do Solo da UFLA, sob a orientação do professor Valdemar Faquin e coorientação dos professores Luiz Roberto Guimarães Guilherme (DCS/UFLA) e Li Li (Cornell University, EUA). Na mesma categoria, a doutora Maria Cristina Silva recebeu menção honrosa pela tese defendida no Programa de Pós-Graduação em Agroquímica, sob a orientação da professora Angelita Duarte Corrêa, intitulada “Degradação de corantes e remediação de efluentes têxteis por extrato bruto de peroxidase de nabo”. A premiação nacional reconhece os melhores trabalhos desenvolvidos em todo o País. Em sua sétima edição, foram avaliadas 440 teses inscritas pelos programas de pós-graduação e defendidas em 2011, sendo 44 selecionadas. São considerados na seleção os quesitos originalidade, inovação e qualidade.  O prêmio constitui-se de certificado, medalha e bolsa de pós-doutorado, além de distinção aos respectivos orientadores, coorientadores e programas de pós-graduação. [caption id="attachment_17725" align="alignleft" width="249"] Pequisador Sílvio Junio Ramos e o orientador professor Valdemar Faquin recebem a honraria[/caption] A cerimônia de premiação contou a presença do representante do Ministério da Ciência e Tecnologia Luiz Antônio Rodrigues Elias; do presidente da Capes, Jorge Guimarães; do presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, Glaucius Oliva; da vice-presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, Dora Fix Ventura; e do presidente da Comissão Executiva do Prêmio Capes de Tese e Diretor de Avaliação da Capes, Lívio Amaral. Reconhecimento Orgulho para os autores, orientadores e Programas, o reitor da UFLA, professor José Roberto Scolforo, também reconhece a importância da premiação para a imagem da UFLA no cenário nacional e internacional, confirmando a qualidade dos programas de pós-graduação e a relevância das pesquisas realizadas, com especial destaque para o empenho de estudantes e professores. “A premiação reforça ao mundo que a UFLA está entre as melhores instituições do País no desenvolvimento de pesquisas que impactam, de forma positiva, a qualidade de vida da população”, enfatiza. Para o pró-reitor de Pós-Graduação, professor Alcides Moinho Júnior, a premiação é o reconhecimento de que o trabalho realizado na UFLA é lastreado no envolvimento do corpo discente e docente, no investimento em infraestrutura e na busca persistente pela qualidade. Alimentos biofortificados [caption id="attachment_17726" align="alignleft" width="249"] Sílvio Ramos e os professores Faquim e Luiz Roberto avaliam amostras no Laboratório de Geoquímica Ambiental[/caption] A segurança alimentar é uma temática que sempre teve importância e representa uma das linhas de pesquisa prioritárias da UFLA. A preocupação esbarra no fato de que milhões de pessoas em todo o mundo não têm acesso à quantidade adequada de alimentos, sendo parte da deficiência de nutrientes consequência de teores insuficientes em produtos agrícolas mais utilizados na dieta da população. Atenta às novas demandas e tendências, Sílvio Ramos faz parte de um grupo de pesquisadores da UFLA que tem direcionado os estudos para encontrar tecnologias que garantam a produção de alimentos com teores elevados de nutrientes, em especial aqueles deficientes na dieta da população brasileira. Estudos indicam que, no Brasil, a ingestão de alguns minerais, entre eles o selênio, encontra-se abaixo do recomendado ou apresentam baixa disponibilidade na dieta, havendo necessidade de intervenção. Justificada nesse desafio, a tese premiada avaliou técnicas de biofortificação para aumentar a disponibilidade de selênio em alface e brócolis, por se tratar de um elemento essencial para o metabolismo humano e animal, atuando na prevenção de alguns tipos de câncer, no metabolismo de hormônios, anomalias morfológicas, doenças cardiovasculares, entre outras. Defesa ambiental [caption id="attachment_17767" align="alignright" width="249"] Professora Angelita e a então doutoranda Maria Cristina, na entrega do Prêmio Ouro Azul, em 2010.[/caption] Hoje, professora do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais e coorientadora do Programa de Pós-Graduação em Agroquímica da UFLA, Maria Cristina Silva teve mais uma confirmação de que o seu trabalho é de extrema relevância e qualidade. Além da menção honrosa recebida agora pela Capes, maior premiação do País, o trabalho já venceu duas edições do Prêmio Furnas Ouro Azul, promovido pelo Jornal Estado de Minas. Com a orientação da professora Angelita, o estudo tem como foco o uso racional dos recursos hídricos, oferecendo uma alternativa aos processos tradicionais voltados para o tratamento de efluentes coloridos de indústrias têxteis. Parte do trabalho foi realizado na Universidade do Minho (Portugal), onde a estudante participou de treinamento. A tecnologia desenvolvida utiliza uma enzima presente no nabo (peroxidase) capaz de atuar na oxidação de diversos corantes industriais . O resultado permite o descarte da água residuária no meio ambiente ou mesmo a sua reutilização em banhos de tingimento. A tecnologia rendeu o depósito de uma patente. Tradição na UFLA Desde que foi instituído em 2005, a UFLA sempre esteve representada no Prêmio Capes de Tese, que outorga distinção às melhores teses de doutorado defendidas e aprovadas nos cursos reconhecidos pelo Ministério da Educação (MEC). Veja o histórico das teses que receberam distinção: 2006 Autor: Giuliano Marchi Orientador: professor Luiz Roberto Guimarães Programa de Pós-Graduação em Agronomia (DAG) 2007 Autora: Gláucia Maria Vasconcellos Vale Orientador: professor Robson Amâncio Programa de Pós-Graduação em Administração (DAE) 2008 Autor: Mônica Juliani Zavaglia Pereira (indicada ao Prêmio) Orientador: professor Magno Antonio Patto Ramalho Programa de Pós-Graduação em Genética e Melhoramento de Plantas (DBI) Autora: Kelen Cristina dos Reis Orientadora: professora Joelma Pereira Programa de Pós-Graduação em Ciência dos Alimentos (DCA) 2009 Autor: Ederson da Conceição Jesus Orientadora: professora Fátima Maria de Souza Moreira Programa de Pós-Graduação em Ciência do Solo (DCS) 2010 Autor: Flávio Henrique Vasconcelos de Medeiros Orientador: professor Ricardo Magela de Souza e coorientadores, professor José da Cruz Machado (UFLA), Paul Pare (Texas Tech) e Alan Pomella (iniciativa privada). Programa de Pós-Graduação em Agronomia/Fitopatologia 2011 Autor: Iara do Rosário Guimarães Orientador: professor Luiz Carlos Alves de Oliveira Pós-Graduação em Agroquímica (DQI/UFLA)   Fotos da cerimônia: Guilherme Feijó - ACS/Capes