Ir direto para menu de acessibilidade.
Atenção! Você está acessando um arquivo automático de notícias e o seu conteúdo pode estar desconfigurado. Acesse as notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.

INCT Café disponibiliza bolsas para o sequenciamento da ferrugem do cafeeiro na Universidade de Delaware

Publicado: Sexta, 12 Abril 2013 08:31 | Última Atualização: Quarta, 10 Abril 2013 13:22
10.04 ferrugemO surto da ferrugem alaranjada, uma das mais importantes doenças do cafeeiro, vem causando perdas enormes na produção de café na América Central e no México nos últimos meses, o que tem gerado grande preocupação entre os pesquisadores da área. Por esse motivo, um simpósio emergencial será realizado na Guatemala neste mês de abril para discutir o surto epidemiológico da doença. Com o objetivo de conhecer melhor o agente causal da doença, será realizado o sequenciamento genômico do fungo Hemileia vastatrix. Para tal, o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia do Café (INCT Café) está disponibilizando bolsas para doutorado-sanduiche e pós-doutorado na Universidade de Delaware, em Newark, nos Estados Unidos. Há uma grande incidência da doença em toda América Central e os motivos ainda não são conhecidos. Segundo estimativas, os cafeicultores estão perdendo de 20% a 30% da produção atualmente. De acordo com o coordenador do INCT Café, Mário Lúcio Vilela de Resende, as bolsas, que serão oferecidas via Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), fazem parte do esforço conjunto contra a ferrugem. Segundo ele, a princípio serão sequenciadas a raça 2 e a raça 33 do fungo, raças estas de grande importância pelo potencial de dano que podem causar à cafeicultura nacional. “Estamos iniciando o projeto de sequenciamento do fungo que causa a ferrugem em parceria com a Universidade de Delaware, instituição esta que possui um Centro Avançado de Biotecnologia, o ‘Delaware Biotecnology Institute’. Vamos verificar se o fungo passou por processo de seleção ou se existe uma raça nova vencendo a resistência de cultivares de café”, explicou. Ainda segundo o coordenador do instituto, as bolsas para os estudantes interessados preferencialmente da Universidade Federal de Lavras (UFLA) e da Universidade Federal de Viçosa (UFV) (participantes do projeto) estão disponíveis para início até junho. Os bolsistas deverão permanecer no exterior por períodos que vão de seis meses a um ano. Para maiores detalhes, os interessados devem entrar em contato com o coordenador do INCT Café pelo e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. O INCT Café faz parte de um dos maiores programas de Ciência e Tecnologia do Brasil e está sediado na Universidade Federal de Lavras, junto ao Polo de Excelência do Café. Com aporte financeiro do CNPq, Capes e da Fapemig, o INCT Café busca sua consolidação junto ao Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação. Participam do INCT Café pesquisadores, bolsistas de graduação, mestrado, doutorado e pós-doutorado, além de representantes de diversas instituições de pesquisa, como a Universidade Federal de Lavras (UFLA), Universidade Federal de Viçosa (UFV), Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), Instituto Agronômico do Paraná (IAPAR), Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, Embrapa Café, Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (INCAPER) e Instituto Agronômico de Campinas (IAC).
Texto: Fábio Alvarenga - jornalista do INCT/Café e Polo de Excelência do Café