Ir direto para menu de acessibilidade.
Atenção! Você está acessando um arquivo automático de notícias e o seu conteúdo pode estar desconfigurado. Acesse as notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.

Conferência na UFLA definiu propostas para resíduos urbanos

Escrito por Mateus Lima | Publicado: Quinta, 04 Julho 2013 07:24 | Última Atualização: Segunda, 01 Julho 2013 07:24
A I Conferência Municipal de Meio Ambiente foi realizada na UFLA no dia 26 de junho, com a presença de gestores de Lavras, empresários, pesquisadores e discentes. Durante o evento, os participantes discutiram proposições para o tratamento dos resíduos sólidos urbanos de maneira ambientalmente correta e definiram propostas que serão encaminhadas para as conferências estadual e nacional sobre o tema. Essas propostas contribuirão com a construção da Política Nacional de Resíduos Sólidos e foram definidas em quatro eixos: produção e consumo sustentável; redução dos impactos ambientais; geração de emprego e renda; e educação ambiental. O evento foi realizado pela Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares da UFLA (Incubacoop). Veja as proposições aprovadas:   Produção e consumo sustentável
  • Estudo para padronização de embalagens para a sua reutilização como retornável ou refil.
  • Ampliação da obrigatoriedade da logística reversa. Exemplos: isopor, eletrônicos e eletrodomésticos.
  • Incentivo fiscal e/ou desoneração para as empresas que fabriquem produtos com maior vida útil e garantam assistência técnica e reposição de peças por no mínimo dez anos.
  • Obrigação da coleta seletiva em três níveis: recicláveis, rejeitos e orgânicos, inclusive na zona rural.
  • Implantação de centrais regionais de logística reversa gerenciada por associações ou cooperativas de catadores, desde que remuneradas por empresas geradoras.
  Redução dos impactos ambientais
  • Unificação dos processos de licenciamento ambiental entre todos os órgãos envolvidos.
  • Formar e qualificar os vigilantes sanitários e agentes de saúde para conscientizar a população sobre as questões ambientais na visita domiciliar.
  • Exigir a implantação de estações específicas de tratamento físico-químico de metais pesados para aterros sanitários.
  • Exigir investimentos por parte do Governo Federal e Estadual para a execução da política municipal dos resíduos sólidos.
  • Subsídios do Governo Federal e Estadual para o beneficiamento de resíduos da construção civil.
  Geração de emprego e renda
  • Criar incentivos técnicos e financeiros para aquisição de equipamentos para utilização na cadeia produtiva de recicláveis, bem como para implantação e ampliação de unidades de reciclagem.
  • Parcerias publica-privada para formação e qualificação da mão de obra especializada de todos os setores envolvidos na gestão de resíduos.
  • Destinar os serviços de capina, varrição e limpeza do município e instituições públicas para associações e cooperativas de catadores.
  • Estimular e viabilizar parcerias das associações com os grandes geradores de resíduos.
  • Incentivar pesquisas no polo regional com parcerias com a comunidade cientifica para viabilizar técnico e economicamente a melhoria continua da manipulação, utilização e destinação dos recicláveis.
  Educação ambiental
  • Criação de um conselho gestor de Educação Ambiental no município como um todo, abrangendo zonas rurais e urbanas, com função de normatizar, fomentar e fiscalizar.
  • Criar a disciplina de “Educação Ambiental” nas escolas, ministrada por um profissional qualificado no conteúdo, utilizando material didático especifico para servir de auxílio abrangendo todos os cidadãos, respeitando as diversidades culturais.
  • Criação de “Centros de Educação Ambiental” nos âmbitos municipais e regionais envolvendo práticas sustentáveis.
  • Programas de educação ambiental formal e não formal, adequados para zonas rurais e urbanas.
  • Criação de praças e parques ecológicos, através da bioconstrução (construção ecológica), objetivando fomentar a educação ambiental.