Ir direto para menu de acessibilidade.
Atenção! Você está acessando um arquivo automático de notícias e o seu conteúdo pode estar desconfigurado. Acesse as notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.

Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas recebe equipamentos do “Projeto Malha”

Escrito por Comunicação UFLA | Publicado: Terça, 30 Julho 2013 05:59 | Última Atualização: Quarta, 24 Julho 2013 09:15
CapturarO Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas (CBEE) recebeu na última quinta-feira (18) os equipamentos para o “Projeto Malha”. O CBEE é um centro de pesquisa sediado no Departamento de Biologia (DBI) da UFLA e realiza pesquisas e projetos na área de ecologia de estradas. Uma dessas atividades é o “Projeto Malha”, de âmbito nacional, que tem como finalidade mapear e sistematizar dados sobre atropelamentos da fauna nas malhas rodoviárias e ferroviárias brasileiras. O “Projeto Malha” é financiado pela Tropical Forest Conservation Act (TFCA), através do Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio) e conta com o apoio da Fundação Boticário, da Tetra Pak, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do estado de Minas Gerais (Fapemig), além da parceria com o Insituto Chico Mendes. O CBEE acaba de receber do Funbio os equipamentos para o “Projeto Malha”, entre eles um carro, 15 tablets, 15 “armadilhas fotográficas” e 15 termoidrômetros, que serão distribuídos entre as unidade parceiras do projeto. Tendo iniciado neste ano, o “Projeto Malha” está em sua fase inicial. Seu objetivo é criar um protocolo de coleta de dados e desenvolver um banco de dados para armazenar e difundir os atropelamentos de fauna no País. Para dar conta desse extenso mapeamento, o projeto possui parceria com 20 Unidades de Conservação (UC) brasileiras. Para trabalhar com as unidades, é feita a capacitação das equipes para fazer os monitoramentos, cujos relatórios serão enviados à equipe do CBEE para análise dos dados obtidos. Foi criado também o “Sistema Urubu”, um aplicativo que ajuda a fazer parcerias não só com pessoal capacitado, mas com qualquer pessoa que possua um smartphone ou tablet. O professor do Departamento de Biologia (DBI) e coordenador do projeto, Alex Bager, explica o funcionamento do aplicativo: “Através do aplicativo, qulaquer pessoa que presenciar ou se deparar com um atropelamento de fauna poderá tirar fotos, precisar a hora e a data, bem como o local através do sistema GPS e fazer uma breve descrição da situação. Feito isso, o sistema envia as informações para um banco de dados, e posteriormente é feita a averiguação do ocorrido.” O CBEE é o centro de apoio e desenvolvimento do projeto, criado em fevereiro de 2012. O professor Alex Bager conta como o CBEE surgiu: “Nós temos um grupo de pesquisa interinstitucional, vinculado ao CNPq. A partir desse grupo, nós criamos o Congresso Brasileiro de Ecologia de Estradas, e a partir do congresso a gente viu a necessidade de criar um centro de pesquisa. Hoje o Centro é institucional, vinculado ao DBI, mas já tem atuação com pesquisadores do Departamento de Medicina Veterinaria, Ciências Florestais e Ciência da Computaçao, além dos estudantes que formam a equipe, que é multidisciplinar.” Hoje o CBEE conta com 21 estudantes bolsistas, da graduação ao doutorado, e são eles os responsáveis pelo respaldo ao Projeto Malha. Texto Marina Botelho – jornalista bolsista ASCOM  

 

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.