Ir direto para menu de acessibilidade.
Atenção! Você está acessando um arquivo automático de notícias e o seu conteúdo pode estar desconfigurado. Acesse as notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.

Lavrastec vai concorrer ao Programa Nacional de Apoio às Incubadoras de Empresas e Parques Tecnológicos

Publicado: Segunda, 05 Agosto 2013 12:11 | Última Atualização: Quinta, 01 Agosto 2013 12:00
[caption id="attachment_24511" align="alignright" width="249"]Encontro sobre Chamada Pública realizado em Brasília -Reprodução Anprotec Encontro sobre Chamada Pública realizado em Brasília - fonte Anprotec[/caption]

Anprotec, Finep e MCTI realizam encontro para esclarecimento da Chamada Pública

Foi realizado nesta quarta-feira (31), no Auditório do Centro de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico da Universidade de Brasília (CDT/UnB), em Brasília (DF), um encontro com gestores de parques tecnológicos associados e empreendedores para discussões sobre o edital lançado pelo Governo Federal referente ao Programa Nacional de Apoio às Incubadoras de Empresas e Parques Tecnológicos. O edital destinará R$ 640 milhões voltados a parques tecnológicos em operação e em estágio de implantação; a empresas residentes nos parques ou a incubadoras de empresas. Em fase de implantação, o Parque Científico e Tecnológico de Lavras (Lavrastec) vai concorrer ao “Instrumento I” da Chamada Pública, que contempla financiamento não reembolsável, de no mínimo R$ 2 milhões a no máximo R$ 5 milhões, destinados a parques tecnológicos em operação e em processo de implantação. A Incubadora de Empresas de Base Tecnológica (Inbatec) e o Parque Científico e Tecnológico de Lavras (Lavrastec) foram representados pelo assessor de Inovação e Empreendedorismo da UFLA, professor Wilson Magela. O evento contou com a participação de 80 representantes de empreendimentos de todos os estados do País. A reunião contou com a presença da presidente da Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec), Francilene Garcia, do coordenador de Serviços Tecnológicos da Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (Setec) - Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Jorge Mario Campagnolo e do chefe do Departamento de Subvenção da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), Marcelo Camargo. O objetivo do evento foi esclarecer dúvidas acerca da Chamada Pública e orientar a participação das instituições interessadas em partir da apresentação geral do edital e de esclarecimentos focados nos três instrumentos da Chamada. Seleção nacional Para participar da seleção, os projetos devem contemplar informações referentes ao projeto básico, estudo de viabilidade técnica e econômica, equipe gestora e dedicação, plano de negócios ou planejamento estratégico, licenças ambientais, demonstração do resultado do exercício anterior e a demonstração da vinculação existente com centros de excelência do desenvolvimento de processos e produtos para empresas. Segundo levantamento realizado pela Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec), o Brasil possui 74 parques tecnológicos que se encontram em fase de operação, implantação e projeto. Com a Chamada Pública, espera-se atender 10 empreendimentos de parques tecnológicos em operação e 10 empreendimentos de parques tecnológicos em implantação. O Parque Científico e Tecnológico de Lavras busca atrair empresas que invistam em Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (P&DI) de produtos e processos inovadores voltados para as áreas do Agronegócio, Biotecnologia, Tecnologia da Informação, Gestão Ambiental e Engenharias. Desta forma o parque visa promover o desenvolvimento da pesquisa e inovação tecnológica, proporcionando ao município de Lavras e região a geração de novas oportunidades. Sobre a Chamada Pública Os R$ 640 milhões do edital serão concedidos por meio de três instrumentos. O primeiro, de R$ 90 milhões em recursos não reembolsáveis, vai apoiar parques tecnológicos em operação e em processo de implantação, de forma a viabilizar a consolidação do projeto. As propostas deverão ser encaminhadas até o dia 17 de agosto, via Formulário de Apresentação de Propostas (FAP’s), disponível no site da Finep. É obrigatório o envio de uma cópia impressa da proposta até o dia 18 de agosto. No caso dos parques em operação, serão apoiados projetos de no mínimo R$ 6 milhões até o limite de R$ 14 milhões. Já para propostas de parques em fase de implantação, o valor mínimo é de R$ 2 milhões e o máximo de R$ 5 milhões. Também destinado a parques tecnológicos em operação e em implantação, o segundo instrumento oferecerá  R$ 500 milhões em crédito. Nesse caso, a solicitação de recursos ocorrerá respeitando o procedimento atual de análise de propostas adotado pelo programa Inova Brasil, que opera taxas de 2,5% a 5% ao ano, com carência de 48 meses e prazo final para pagamento de 120 meses. Neste tipo de operação, é exigida contrapartida financeira de 20% do valor pleiteado à Finep. O terceiro instrumento se constitui de um fundo de investimento – Fundo Inova Empresa MPE, de R$ 50 milhões – destinado a empresas apoiadas por incubadoras e parques tecnológicos, ou ainda graduadas até dois anos, por meio de participação no capital e apoio gerencial. O edital prevê a seleção de um gestor/administrador para esse fundo, que deverá ter como base legal as instruções da Comissão de Valores Mobiliárias (CVM).  A taxa de performance será de 20% dos ganhos distribuídos pelo Fundo que excederem o capital original investido, atualizado pela variação de um índice de inflação (IPCA). Ainda relativo ao Instrumento III, a Finep poderá, a seu critério, abrir mão de até 30% de seus rendimentos em benefício de incubadoras de empresas e parques tecnológicos, a serem repassados na proporcionalidade das empresas investidas vinculadas a cada ambiente.
Texto: Vanessa Trevisan - jornalista Nintec/Inbatec/Lavrastec/
 

 

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.