Ir direto para menu de acessibilidade.
Atenção! Você está acessando um arquivo automático de notícias e o seu conteúdo pode estar desconfigurado. Acesse as notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.

Professor da UFLA é convidado a replicar o projeto Vozes da África na Ásia

Publicado: Terça, 13 Agosto 2013 13:08 | Última Atualização: Segunda, 12 Agosto 2013 06:31
[caption id="attachment_24820" align="alignleft" width="249"]Professor Gilmar Tavares em projeto desenvolvido na andamento na República Democrática do Congo Professor Gilmar Tavares é recebido por crianças, durante viagem do projeto na República Democrática do Congo[/caption] Nesta segunda feira (12), o professor Gilmar Tavares, do Departamento de Engenharia da UFLA, realiza uma viagem de caráter extensionista para a República União de Myanmar, região Indochina da Ásia. O professor vai participar de reuniões com professores, técnicos e autoridades locais e apresentar suas propostas socioambientais de Agroecologia, Agricultura Familiar e Extensão Universitária Inovadora, visando a auxiliar a produção de alimentos básicos e fundamentais, com adequação cultural. As propostas fazem parte do mecanismo de desenvolvimento entre países emergentes, em resposta a desafios comuns, denominado Cooperação Sul-Sul. O convite ao professor da UFLA foi feito pela Agência Brasileira de Cooperação do Ministério das Relações Exteriores (ABC/MRE), com base no sucesso do Projeto Vozes da África. O professor Gilmar Tavares deverá levar ao país asiático de Myanmar (antiga Birmânia), conhecido por uma das ditaduras mais longas do mundo, a experiência de participação na Cooperação Sul-Sul, com a coordenação geral do trabalho em andamento na República Democrática do Congo, que capacitou 60 professores em Agroecologia, Agricultura Familiar e Extensão Universitária Inovadora, tendo como consequência imediata a geração de empregos, o incentivo ao cooperativismo, à segurança alimentar, além de diversos programas de saúde. O professor, em um trabalho voluntário, pretende adaptar seus projetos de acordo com as necessidades e a cultura do país que se manteve isolado por sanções econômicas e tem passado por diversas reformas políticas nos últimos meses. A ideia é trazer também professores para o Brasil, para capacitá-los em Agroecologia, fazendo valer a ciência como bem que possibilita a melhoria da vida das pessoas e do meio ambiente. “Sempre seguindo a filosofia holística: Economicamente viável, ecologicamente correto, socialmente justo e culturalmente adequado”, reforça o professor. Gilmar Tavares é o coordenador do Núcleo de Estudos em Agroecologia, Permacultura e Extensão Inovadora (Neape) e professor-tutor do Núcleo Lavras da organização Engenheiros Sem Fronteiras. Sempre visando maximizar a troca de boas práticas socioambientais para atender as necessidades da população, o professor também possui projetos extensionistas no Brasil, com destaque para tecnologias premiadas que foram desenvolvidas com a participação de produtores em Carrancas, Luminárias e Três Pontas.
Com informações da estudante Vivian Bruna Marcello - bolsista ASCOM/DEG