Ir direto para menu de acessibilidade.
Atenção! Você está acessando um arquivo automático de notícias e o seu conteúdo pode estar desconfigurado. Acesse as notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.

Novos cursos de Engenharia da UFLA terão Área Básica de Ingresso

Escrito por Ana Eliza Alvim | Publicado: Segunda, 05 Janeiro 2015 16:02 | Última Atualização: Sexta, 30 Mai 2014 16:01
[caption id="attachment_37253" align="alignleft" width="249"]Um dos investimentos da UFLA para a área, o Edifício das Engenharias Um dos investimentos da UFLA para a área, o Edifício das Engenharias[/caption] O processo de expansão dos cursos da Universidade Federal de Lavras (UFLA) tem etapa importante no segundo semestre de 2014, já que estarão disponíveis pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu) duzentas vagas para os novos cursos de Engenharia Civil, Engenharia de Materiais, Engenharia Química e Engenharia Mecânica. O Projeto Pedagógico dos Cursos (PPC) traz uma novidade em relação aos demais cursos da instituição: o ingresso será conjunto, ou seja, apenas no decorrer da graduação os alunos vão escolher em qual das engenharias desejam se formar. Trata-se da Área Básica de Ingresso (ABI) No processo seletivo, o estudante não fará essa escolha. Quando ingressar na UFLA e concluir o primeiro período, indicará seu curso predileto, que poderá ser alterado ao longo do tempo. Ele também terá a opção de cursar disciplinas referentes a mais de uma engenharia. Para todos os alunos, haverá o Núcleo de Conteúdos Curriculares Comuns das Engenharias (NCCE), com 106 créditos em atividades acadêmicas, que contemplarão a formação em ciências naturais e matemáticas, além de aspectos sociais e filosóficos envolvidos no trabalho com ciência e tecnologia. O conteúdo do Núcleo representa cerca de 40% do currículo dessas engenharias. A previsão é de que no segundo semestre de 2015 mais duas engenharias sejam ofertadas, elevando para 300 o número de vagas. São elas as engenharias Física e de Computação. A seleção para os seis cursos ocorrerá nos mesmos moldes dos demais: no primeiro semestre letivo de cada ano, 40% das vagas serão preenchidas pelo Processo de Avaliação Seriada (PAS) e 60% delas pelo Sistema de Seleção Unificada do MEC (Sisu); já no segundo semestre, 100% das vagas estão disponíveis pelo Sisu. Com atuação principalmente na área de Ciências Agrárias até a década de 1990, a UFLA tem buscado, a partir do final dos anos de 1990, inserir-se nas áreas de Ciências Exatas e da Terra, Ciências Biológicas, Engenharias, Saúde, Ciências Sociais Aplicadas, Ciências Humanas, Linguística, Letras e Artes. A estrutura dos novos cursos Para receber os estudantes, o Departamento de Engenharia terá, ao longo da implantação dos seis cursos, mais 79 professores no quadro. Outros onze departamentos, que estarão envolvidos no currículo dos novos cursos, também terão seu número de docentes aumentado frente às novas demandas. Quanto à infraestrutura física, encontra-se em construção o primeiro prédio destinado a abrigar as novas atividades, com área de 12.982 m2, valor de investimento estimado em R$15.618.414,00 e prazo de execução de 480 dias. O prédio abrigará os gabinetes de docentes, os laboratórios, além de anfiteatros, almoxarifados e outras áreas comuns. Entretanto, a área útil do prédio destinada a laboratórios e gabinetes de docentes é de cerca de 5.900 m2. Por isso, um segundo prédio será construído, com área útil estimada de 3000 m2, onde ficarão instalados os laboratórios específicos das engenharias de computação e física, além de oitenta gabinetes de docentes. Farão parte também deste prédio estruturas relacionadas à parte básica e também à parte de pesquisas da área de física. Clique aqui e esclareça suas dúvidas sobre o ingresso nas novas engenharias.   Saiba mais sobre as engenharias com início no segundo semestre letivo de 2014 O que vale para as quatro engenharias: Grau Acadêmico: Bacharelado Modalidade de oferecimento: Presencial Turno de funcionamento: Integral Periodicidade de oferecimento: Semestral Número de vagas por semestre: 50 Duração do Curso: dez semestres   O que é específico de cada um dos cursos: Engenharia Civil Carga horária: 3.972 horas inteiras Atuação do profissional formado na área: desenvolve estudos, projetos, fiscalização e supervisão de atividades relacionadas com drenagem urbana; abastecimento de água e saneamento; sistema de transportes; construção de edifícios, estradas, pistas de rolamentos e aeroportos; construções de portos, canais, barragens, diques, túneis, pontes, grandes estruturas e serviços correlatos. Engenharia Mecânica Carga horária: 3.689 horas inteiras Atuação do profissional formado na área: atua, de forma generalista, no desenvolvimento de projetos de sistemas mecânicos e termodinâmicos. Otimiza, projeta, instala, mantém e opera sistemas mecânicos, termodinâmicos, eletromecânicos, de estruturas e elementos de máquinas, desde sua concepção, análise e seleção de materiais, até sua fabricação, controle e manutenção. Coordena e supervisiona equipes de trabalho; realiza pesquisa científica e tecnológica e estudos de viabilidade técnico-econômica; executa e fiscaliza obras e serviços técnicos; efetua vistorias, perícias e avaliações, emitindo laudos e pareceres.  Engenharia de Materiais Carga horária: 3.717 horas inteiras Atuação do profissional formando na área: produz, desenvolve, caracteriza e seleciona materiais, visando a aplicação pela sociedade. Atua na pesquisa e no desenvolvimento de novos materiais e processos, tanto na indústria como em centros de pesquisa e em universidades, o que lhe proporciona as condições para uma comunicação fácil  com diversas áreas do conhecimento, assim como  habilidades para a auto–aprendizagem e  atitude empreendedora. Engenharia Química Carga horária: 3.717 horas inteiras Atuação do profissional formado na área: de forma generalista, atua no desenvolvimento de produtos e processos químicos em escala industrial. Em sua atividade, elabora estudos, projetos e implementações nas áreas de: alimentos, cosméticos, biotecnologia, fertilizantes, fármacos, cimento, papel e celulose, nuclear, tintas e vernizes, polímeros, têxtil, indústria química de base, galvanoplastia, alcoolquímica, carboquímica, cerâmica, tensoativos, explosivos, aditivos, tratamento de água e meio ambiente, entre outras. Identifica, formula e resolve problemas de engenharia relacionados à indústria química, acompanhando o processo de manutenção e operação de sistemas. Desenvolve tecnologias limpas, processos de reciclagem e de aproveitamento dos resíduos da indústria química. Coordena e supervisiona equipes de trabalho, realiza estudos de viabilidade técnico-econômica e ambiental, executa e fiscaliza obras e serviços técnicos e efetua vistorias, perícias e avaliações, emitindo laudos e pareceres técnicos.