Ir direto para menu de acessibilidade.
Atenção! Você está acessando um arquivo automático de notícias e o seu conteúdo pode estar desconfigurado. Acesse as notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.

Entrada da safra pressiona preços agrícolas – renda do produtor na região cai

Publicado: Sexta, 20 Junho 2014 15:04 | Última Atualização: Quarta, 18 Junho 2014 08:12
IPP-IPRO Índice de Preços Recebidos (IPR), referente à venda dos produtos agrícolas no Sul de Minas Gerais, teve queda de -9,63% no mês de maio. De acordo com pesquisa realizada no Departamento de Administração e Economia da UFLA (DAE), esse é um reflexo do aumento da produção de alguns grupos, que força a redução dos preços. No acumulado de 2014, a renda média do produtor rural na região apresenta alta de 27,61%, mas demonstra um viés de baixa. Isso porque a agropecuária, de uma maneira geral, está entrando no auge de sua safra, o que representa uma maior oferta de produtos e pressão para que os preços baixem, devido à alta oferta, conforme explica o coordenador da pesquisa, professor Renato Fontes. Em maio, destaca-se a queda de preços ocorrida no grupo dos grãos (-7,86%), incluindo o feijão (-15,21%). As carnes também tiveram seu preço reduzido (-3,02%), mesmo com elevação da bovina, em torno de 15,10%. Frango, peixe e principalmente a carne suína (-34,40%) apresentaram queda. A saca do café também sofreu baixa nesse período, saindo de preços na casa dos R$490,00 para R$430,00. Conforme o professor Renato Fontes, esse novo preço representa a entrada da nova safra cafeeira no mercado, que vem ocorrendo de maneira sem sobressaltos climáticos até o momento. Porém, o mercado ainda está em análise sobre a real condição e tamanho da safra brasileira, castigada pelo veranico do ano de 2014. Caso sejam confirmadas as piores situações, a tendência é de que o preço do café se recupere após a pressão de oferta da colheita atual, que vai até o mês de setembro. O grupo leite também apresentou redução (-6,71%), demonstrando principalmente uma demanda menor por produtos lácteos. Essa redução no consumo faz com que haja mais leite no mercado e pressione os preços para baixo. Outro grupo que contribuiu para a pressão no IPR foi o das frutas, pois apresentou uma expressiva redução de -18,84%. Abacate (-76,45%), laranja (-56,57%) e tangerina (-50,00%) foram alguns dos responsáveis por isso; porém, o morango, mamão e banana apresentaram elevação dos preços. IPP O Índice de Preços Pagos (IPP), referente aos insumos gastos pelos produtores rurais no Sul de Minas Gerais, apresentou queda de -0,45% no mês de maio. A cifra demonstra estabilidade nos custos de produção agropecuária na região.  

 

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.