Ir direto para menu de acessibilidade.
Atenção! Você está acessando um arquivo automático de notícias e o seu conteúdo pode estar desconfigurado. Acesse as notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.

Núcleos de estudo do DCA expõem produtos na Maratona de Engenharia de Alimentos – visite

Escrito por Mateus Lima | Publicado: Segunda, 10 Novembro 2014 13:52 | Última Atualização: Quinta, 06 Novembro 2014 11:20
maratona-alimentosAinda dá tempo de conferir a Maratona de Engenharia de Alimentos! Até as 16 horas do dia 6 de novembro, núcleos de estudo e entidades do Departamento de Engenharia de Alimentos (DCA) expõem suas iniciativas – no caso do núcleo, produtos criados a partir de pesquisas. É possível provar alguns alimentos, como sorvete a base de iogurte grego; hambúrguer tipo árabe com ervas finas e petisco com pimenta e ervas finas; pães de queijo; e empanado de tilápia. Também há uma mostra de boas práticas em higiene. Os produtos e práticas (e os respectivos estudos deram origem a eles) foram desenvolvidos pelo Núcleo de Estudos em Laticínios (NEL), Núcleo de Estudos em Produtos de Origem Animal (Nepoa), Núcleo de Estudos em Novos Produtos e Análise Sensorial (Nenp), Núcleo de Estudos em Pescado (Nepesca) e Núcleo de Estudos em Qualidade de Alimentos (Nuquali). Esses núcleos concorrem a um prêmio de R$300,00, dado pelo grupo PET – Engenharia de Alimentos, que promove a Maratona em parceria com Centro Acadêmico do curso. As instituições promotoras, assim como a Consea Jr, expõem suas atividades. [caption id="attachment_71974" align="alignleft" width="249"]Estandes estão no Estacionamento do DCA. Estandes estão no Estacionamento do DCA.[/caption] A Maratona também contou com uma competição esportiva entre os estudantes do DCA, realizada no Centro de Integração Universitária (Ciuni), no dia 2. Para a gerente de Qualidade do PET, Ana Clara Carneiro, o evento já superou as expectativas: “O fluxo de pessoas nesta feira é grande, inclusive de estudantes de cursos não vinculados ao DCA, que demonstram interesse pelas pesquisas dos Núcleos. Esta foi uma boa estratégia para dar mais visibilidade à produção científica gerada por eles”, considerou.