Ir direto para menu de acessibilidade.
Atenção! Você está acessando um arquivo automático de notícias e o seu conteúdo pode estar desconfigurado. Acesse as notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.

Leishmanioses foram discutidas em simpósio na UFLA

Publicado: Sexta, 14 Novembro 2014 11:48 | Última Atualização: Quinta, 13 Novembro 2014 09:40
simposio-doencas-negligenciadas-palestraDiferentes temas relacionados às leishmanioses foram discutidos durante o I Simpósio Sul-Mineiro de Doenças Negligenciadas, realizado no Anfiteatro da Biblioteca da UFLA nos dias 6 e 7 de novembro. O evento contou com quatro palestras, com os pesquisadores Ricardo Toshio Fujiwara, Vânia Cristina dos Santos, Silvio Guimarães Carvalho e Vitor Marcio Ribeiro. Eles abordaram, respectivamente, o diagnóstico da doença, insetos e parasitos, leishmaniose visceral humana e leishmaniose visceral canina. No encontro, também houve a discussão sobre o trabalho feito pela equipe do Laboratório de Biologia Parasitária (BIOPAR) e pela Vigilância Ambiental de Lavras no controle da doença. A UFLA apoia o município na execução do Programa Nacional de Controle de Leishmaniose Visceral, por meio de palestras, eventos de conscientização e aplicação de testes. Entre os pontos discutidos no simpósio, os participantes reconheceram a gravidade da leishmaniose visceral e a importância em evitar casos humanos e novos casos caninos em Lavras, onde a incidência é considerada alta. Como a leishmaniose é um assunto referente à medicina veterinária, saúde pública e biologia, o evento contou com a participação de pesquisadores, estudantes e médicos veterinários residentes da UFLA e outras instituições. A coordenadora do evento, professora Joziana Barçante (DMV), ressaltou que o controle da leishmaniose visceral deve se embasar em três pilares: ações de educação em saúde, controle do vetor e controle dos reservatórios. “Após a explanação dos pesquisadores, ficou claro que o programa conduzido no município tem sido realizado como se deve e como é permitido”, considerou. O simpósio foi promovido pelo Laboratório de Biologia Parasitária (BIOPAR), em ação conjunta com o PETI BIOPAR e o Núcleo de Estudo em Parasitologia (NEP). Doenças negligenciadas Doenças causadas por agentes infecciosos ou parasitos, que atingem especialmente populações de baixa renda causando endemias, são chamadas de negligenciadas porque estão associadas a poucos investimentos em pesquisa, mas causam milhões de mortes e permanecem como uma importante necessidade médica não atendida. Sobre a doença A leishmaniose visceral é uma doença grave, que pode levar à morte, causada por um parasito chamado Leishmania. Ela pode afetar humanos e cães. A transmissão é feita por um inseto, conhecido como mosquito-palha. Ele pica o cão infectado e transmite o parasito ao homem.  

 

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.