Ir direto para menu de acessibilidade.
Atenção! Você está acessando um arquivo automático de notícias e o seu conteúdo pode estar desconfigurado. Acesse as notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.

Inovação e aprendizado marcaram a primeira edição do Startup Trail Mestres e Doutores na UFLA

Escrito por Ana Eliza Alvim | Publicado: Sexta, 19 Dezembro 2014 12:16 | Última Atualização: Segunda, 15 Dezembro 2014 16:10
image085Depois de mais de 50 horas de imersão no ambiente do empreendedorismo, os participantes do Startup Trail Mestres e Doutores cumpriram sua missão: desenvolveram ideias inovadoras e mostraram a si mesmos seu potencial para empreender. O evento começou na sexta-feira (12/12) no Núcleo de Educação Continuada da Universidade Federal de Lavras (UFLA). Às 14h de domingo (14/12) teve início a apresentação, à banca de avaliadores, do resultado final alcançado pelas equipes. Reunindo um público de 21 participantes, de diferentes áreas do conhecimento e com a presença de outras instituições do Estado além da UFLA, o Startup Trail Mestres e Doutores foi promovido pelo Sebrae Minas, em parceria com o Laboratório de Negócios Inovadores (Tropos Lab) e com a Incubadora de Empresas de Base Tecnológica da UFLA (Inbatec). O objetivo era fazer com que a comunidade acadêmica reconhecesse suas pesquisas como soluções para os problemas da sociedade, com potencial para transformarem-se em empreendimentos. Foi o que aconteceu com a equipe classificada em primeiro lugar pela banca. Alicerçados no trabalho de mestrado produzido pela agora doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias da UFLA Camila Costa Abreu, os membros do grupo criaram a proposta de um laboratório capaz de reduzir - de uma semana para seis horas - o tempo necessário para emissão de resultados de exames feitos em amostras histopatológicas. Camila é a autora da técnica de processamento das amostras que motivou a ideia do laboratório. Ela conta que, no início do evento, estava com receio de utilizar a ideia, não acreditando que poderia ter tamanho reconhecimento. Outro membro do grupo, Ernani de Souza, diz que o foco deles não era a premiação, mas sim o crescimento profissional de cada um. “A conquista foi muito bem recebida”. O momento foi de comemoração também para os demais participantes da equipe - o mestrando em Ciências Veterinárias Jesús Alfonso Sanches Viafras, que participou pela primeira vez de um evento voltado à inovação; e a doutora em Fitotecnia Rosiane Rodrigues de Souza, que apesar de já ter concluído o curso, mantém interesse constante na atualização profissional e não perdeu a oportunidade. “Estou sempre de olho no site da UFLA e quando vi a notícia sobre o Startup Trail, logo me interessei”, contou Rosiane. A banca avaliadoraimage002 A tarefa de avaliar as ideias apresentadas pelos grupos foi assumida pela reitora em exercício da UFLA, professora Édila Vilela de Resende Von Pinho; pelo assessor de Inovação e Empreendedorismo da UFLA, professor Luiz Gonzaga de Castro Junior; pelo diretor operacional do Sebrae Minas, Fábio Veras; e por um dos sócios fundadores do Tropos, Paulo Renato Macêdo Cabral. Professora Édila, ao anunciar os resultados, realçou a importância do evento e a qualidade dos trabalhos apresentados. Ela aproveitou para agradecer ao Sebrae, ao Tropos, ao professor Gonzaga e aos demais envolvidos na parceria, assim como para divulgar que no início de 2015 ocorrerá na UFLA o 3º Programa de Incentivo à Inovação. “Para nós, todos vocês são vencedores”, disse aos participantes. O grupo classificado em primeiro lugar recebeu homenagens, o convite do Sebrae para uma viagem técnica a ambientes de inovação em Belo Horizonte e para participar da Campus Party, em São Paulo, em fevereiro de 2015. A evolução do público durante o evento foi observada pelo professor Gonzaga. “Tive grande satisfação e alegria ao ver o crescimento dos participantes ao longo do evento: todos começaram cheios de dúvidas e interrogações, e terminaram com serviços e produtos bem estruturados”. Ele ressaltou que o projeto agora é levar essa oportunidade a um número maior de membros da comunidade acadêmica. Na avaliação do Tropos, responsável pelo desenvolvimento do evento, o projeto piloto teve resultados positivos. “Muitas vezes, ao final, as pessoas concentram-se nas ideias apresentadas, mas o que mais comemorei foi o aprendizado e a motivação das pessoas. Pesquisadores foram a campo validar suas ideias, e isso é muito bacana”, diz Paulo Renato. A experiência narrada pelos participantes Enquanto a banca se reunia para chegar ao consenso do resultado, os participantes foram convidados a externar suas sensações após participarem da experiência. A programação intensa, que invadiu as madrugadas, chegou a ser ainda mais extensa por escolha dos próprios grupos, que decidiram mergulhar nos projetos e caprichar nas atividades. Em resumo, os relatos foram de transformação e de aprendizado. “A transformação que ocorre conosco é muito grande. Sinto-me com novo entusiasmo para empreender.” José Luiz Contado, professor do Departamento de Ciência dos Alimentos (DCA). “A vontade é voltar para a minha instituição e pensar coisas que ainda não foram pensadas, ajudando meus estudantes a explorar melhor suas pesquisas”. Marciana Gonçalves Farinha, professora do Instituto de Psicologia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

 

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.