Ir direto para menu de acessibilidade.
Atenção! Você está acessando um arquivo automático de notícias e o seu conteúdo pode estar desconfigurado. Acesse as notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.

Fundo de investimentos aposta em empresa incubada e avalia novos empreendimentos na UFLA

Publicado: Sexta, 08 Mai 2015 07:27 | Última Atualização: Quarta, 06 Mai 2015 12:08
[caption id="attachment_84131" align="alignleft" width="249"]Edsmar Resende, reitor da UFLA professor Scolforo e o empreendedor Igor Chalfoun. O produto em destaque e o que motivou o investimento é o Sistema de Análise de Sementes (SAS) Edsmar Resende, reitor da UFLA professor Scolforo e o empreendedor Igor Chalfoun. O produto em destaque e o que motivou o investimento é o Sistema de Análise de Sementes (SAS)[/caption] No início de 2015, a Tbit Tecnologia e Sistemas, empresa da Incubadora de Empresas de Base Tecnológica da Universidade Federal de Lavras (Inbatec/UFLA), deu mais um importante passo para se expandir e ganhar espaço no mercado. Ela foi escolhida entre mais de 1200 empresas avaliadas, até o momento, pela Inseed Investimentos para fazer parte do portfólio do Fundo Inseed FIMA, que busca estimular iniciativas inovadoras na área de meio ambiente no País. O aporte pode chegar a R$ 4 milhões, apostando em seu alto potencial de crescimento. Visando a aproximação com a UFLA, o gerente de Venture Capital da Inseed Investimentos, Edsmar Resende, participou de reunião com o reitor, professor José Roberto Scolforo, para apresentar outras possibilidades de investimentos em empreendimentos da Universidade e fortalecer a sua vocação estratégica em agronegócio. Segundo o gerente, a ideia é apoiar empresas mineiras e empreendimentos inovadores, incentivando que os pesquisadores extrapolem os limites acadêmicos e apresentem soluções estratégicas demandadas pelo mercado. Para Scolforo, a inovação é um dos pilares da instituição e deve ser amplamente incentivada a transformação dos conhecimentos gerados em produtos que possibilitem uma melhor qualidade de vida para a comunidade. A perspectiva da Inseed é investir em mais 11 empresas do setor de tecnologias limpas, que tenham faturamento de até R$ 20 milhões por ano. A Tbit faz parte de um grupo com mais três empresas que já receberam aporte do Inseed FIMA, operando nos setores de tratamento de resíduos, logística reversa e uso de PET reciclado. [caption id="attachment_84127" align="alignright" width="249"]A perspectiva da Inseed é investir em mais 11 empresas do setor de tecnologias limpas, que tenham faturamento de até R$ 20 milhões por ano A perspectiva da Inseed é investir em mais 11 empresas do setor de tecnologias limpas, que tenham faturamento de até R$ 20 milhões por ano[/caption] Modelo inovador Não é por acaso que a Tbit tem sido apresentada ao mercado como aposta promissora. Criada em 2009, a empresa tem desenvolvido sistemas que prometem alterar o modelo de análise de sementes, aliando conhecimentos de inteligência artificial, processamento de imagens, sistemas embarcados e construção de hardware para soluções voltadas ao agronegócio. Com sede no câmpus da Universidade, a Tbit conta com uma equipe multidisciplinar de profissionais que usam a tecnologia de ponta para avaliar a qualidade e os parâmetros de grãos, sementes e plântulas com mais eficiência e rapidez. Com mais investimentos, a empresa ganha força para o lançamento de novos produtos, como o LisBit, que realiza a leitura automática de reações bioquímica e testes elisa em microplacas e é voltado à empresas de biotecnologia, laboratórios, centros de pesquisa, estendendo-se à todas as empresas que utilizam testes reagentes. De acordo Edsmar Resende, a perspectiva é aumentar o faturamento da empresa em mais de 300% em 2015. O aporte vai contribuir para que a empresa estruture uma solução específica para a área de produção de grãos, incrementando o atendimento de clientes dessa cadeia produtiva. Além disso, também está prevista a internacionalização do serviço, o que vai permitir à Tbit atender às unidades de clientes que já possui no exterior e ainda oferecer suas soluções para outros players. Parte de um planejamento estratégico para sua expansão, a Tbit passou a ser registrada como Sociedade Anônima (normalmente abreviado por S/A), ou seja, o capital social não se encontra atribuído a um nome em específico, mas está dividido em ações. Para o empreendedor da Tbit, Igor Chalfoun, o investimento é importante para dar um salto de profissionalismo na empresa, sobretudo, porque o recurso vem acompanhado de uma orientação estratégica de mercado que poderá resultar num melhor posicionamento do produto. A Tbit tem se destacado no mercado com produtos inovadores para o agronegócio, especificamente para o segmento de sementes. O produto em destaque e o que motivou o investimento é o Sistema de Análise de Sementes (SAS), que agora passa por reformulação estratégica de marketing para encontrar um novo posicionamento da marca. Por meio de inteligência artificial e redes neurais, o equipamento é capaz de extrair um conjunto significativo de informações de um lote de sementes, permitindo maior agilidade e confiabilidade às análises que ainda hoje são baseadas em procedimentos manuais. Lançado em 2011, o sistema vem sendo aprimorado e já é utilizado por profissionais e empresas de diferentes segmentos. Na UFLA, o equipamento é utilizado pelo Laboratório de Sementes, servindo de ferramenta e objeto de estudo para dissertações e teses. Além das funcionalidades do SAS, a equipe da Tbit lançou recentemente outro equipamento destinado especificamente à análise de plântulas utilizando esteira e vídeo. O sistema permite a análise do tamanho das estruturas vegetais e avalia o crescimento de plântulas de diferentes lotes, determinando de maneira rápida e precisa do vigor do lote analisado. As inovações agradam o catálogo de clientes da empresa, incluindo importantes empresas do setor, mas a ideia é expandir a tecnologia para produtores, cooperativas e exportadores, por meio da venda ou aluguel dos equipamentos. Investimento para empreendedores A Inseed Investimentos possui 265 milhões sob gestão e um histórico crescente de resultados positivos. As empresas nascentes que ultrapassam o rigoroso funil de avaliações e prospecção de resultados recebem o tão desejado capital para se expandirem, além de poderem compartilhar um modelo de governança que permite transformar tecnologias promissoras em inovações de grande impacto para o mercado. A Inseed Investimentos foi criada em 2009 a partir de uma spin-off do Instituto Inovação S/A, grupo que atua no segmento de inovação tecnológica, estabelecendo um elo entre desenvolvimento científico e mercado. Entre suas iniciativas está a co-gestão do Fundo Criatec, maior fundo de capital semente do Brasil, com R$ 100 milhões de capital comprometido e que tem o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e o Banco do Nordeste (BNB) como cotistas. O Fundo Criatec investiu em 36 empresas e formou a principal carteira de S/As de inovação no segmento de pequenas e médias empresas do País. Desde 2012, a INSEED gere o FIP INSEED FIMA – Fundo de Inovação em Meio Ambiente, primeiro fundo destinado ao segmento de Inovação Tecnológica sustentável do Brasil. O Fundo tem R$ 165 milhões de capital comprometido, captados de investidores como o BNDES, fundos de pensão e investidores privados. inovacao-empreendedorismoInbatec A Inbatec é o órgão responsável pelo processo de incubação de empresas de base tecnológica e pelo desenvolvimento da cultura empreendedora no âmbito da UFLA. Durante o processo de incubação, as empresas selecionadas são abrigadas e recebem apoio e orientação para se desenvolver. Vinculada ao Núcleo de Inovação Tecnológica da UFLA (Nintec), a Inbatec apoia empreendimentos relacionados à comunidade universitária: de estudantes de graduação e de pós-graduação da UFLA; pesquisadores, docentes e técnicos administrativos; servidores públicos ativos e iniciativos; e empreendedores da iniciativa privada, desde que estejam associados com algum membro da comunidade universitária.
Com informações de Amanda Castro – Jornalista da Assessoria de Inovação e Empreendedorismo
 

 

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.