Ir direto para menu de acessibilidade.
Atenção! Você está acessando um arquivo automático de notícias e o seu conteúdo pode estar desconfigurado. Acesse as notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.

Detecção automática de acidentes de trânsito e transmissão de alertas é tema de pesquisa na UFLA

Escrito por Ana Eliza Alvim | Publicado: Sexta, 06 Novembro 2015 07:29 | Última Atualização: Segunda, 26 Outubro 2015 14:29
[caption id="attachment_102552" align="alignleft" width="249"]DCC-pesquisa Professor Luiz Henrique (à esq.) e Thiago conduziram, este ano, os testes no câmpus da UFLA.[/caption] Segundo dados do Seguro DPVAT (seguro obrigatório de trânsito), em 2014 foram pagas mais de 52 mil indenizações por morte em acidentes de trânsito no Brasil, e quase 600 mil por invalidez. Estatísticas como essas motivam pesquisas na Universidade Federal de Lavras (UFLA) para o desenvolvimento de tecnologias capazes de ajudar a reduzir o número de acidentes automobilísticos. Uma delas permitiu a criação de um sistema que pode alertar, de forma automática, motoristas sobre acidentes que tenham ocorrido em regiões próximas de onde estejam trafegando. Com mais tempo para que os condutores reduzam a velocidade e adotem medidas preventivas, podem ser evitados engavetamentos e outras complicações. Autoridades também podem ser avisadas automaticamente, tornando possível maior agilidade na sinalização da pista e na prestação de socorro. A proposta foi desenvolvida sob orientação do professor do Departamento de Ciência da Computação (DCC) Luiz Henrique Andrade Correia. Hoje mestre em Ciência da Computação, Thiago Carvalho Amarante trabalhou no projeto, que resultou em sua dissertação, defendida neste ano. Adaptando hardwares já existentes no mercado e desenvolvendo softwares específicos, ele criou e testou dispositivos que podem funcionar por meio de redes de comunicação capazes prover a troca de informações entre veículos e de veículos com infraestruturas fixas. Essas redes de comunicação são chamadas de Vanets (Vehicle Ad Hoc Networks). O trabalho comprovou a efetividade da seguinte situação: o dispositivo criado, quando instalado em um veículo, identifica que ele acabou de se acidentar e emite um sinal de alerta, que poderá ser captado dentro de um determinado raio geográfico (os experimentos foram com o raio de 1 Km, mas essa extensão pode ser programada para outras dimensões). Um segundo veículo que entre nessa área (e tenha também o dispositivo instalado) receberá o sinal, podendo retransmiti-lo para outros veículos pelos quais passar. Há também a possibilidade de que os dispositivos desenvolvidos, se instalados em centrais ao longo da autopista, recebam o sinal e possam tornar o alerta disponível em sites na Internet. Todo esse sistema funcionaria por meio de Vanets. Outros estudos já criaram aplicativos para dispositivos móveis que detectam acidentes e emitem alertas utilizando, por exemplo, mensagens de celular ou a rede 3G/4G, mas nenhum deles utiliza Vanets como meio de transmissão. A vantagem das Vanets é a comunicação mais ágil, automática. A particularidade do experimento conduzido na UFLA é que ele une a detecção automática do acidente e a emissão de alerta para outros motoristas, enquanto outros sistemas possuem apenas uma das duas funções. [caption id="attachment_102553" align="alignright" width="249"]DCC-pesquisa2 Os dispositivos e o sistema já desenvolvidos podem ser utilizados tanto na comunicação automática entre veículos, quanto na comunicação de veículo para uma central fixa.[/caption] Para testar a invenção, as simulações foram feitas no câmpus da UFLA, alcançando os resultados esperados pelos pesquisadores. O dispositivo desenvolvido, presente no carro, capta, por meio de sensores que já existem no veículo, informações que permitem identificar que o acidente ocorreu. São exemplos os sensores que apontam o acionamento do air bag ou uma desaceleração brusca do veículo. Em seguida, a transmissão do sinal ocorre de veículo para veículo, podendo também ocorrer de um veículo para uma central de monitoramento. Se a ideia fosse colocada em prática nas rodovias, seria possível, por exemplo, que o cidadão, antes mesmo de sair para viagem, consultasse, on-line e em tempo real, a existência de acidentes em determinado trecho naquele momento. No entanto, o caminho para essa realidade não é breve.  Professor Luiz Henrique explica que suas pesquisas orientadas para esses objetivos começaram há cerca de quatro anos e continuam em andamento. “O investimento para que esses projetos se tornem realidade no país ainda é muito alto e depende de uma infraestrutura que envolveria diferentes atores da área pública e privada. Mas nosso desafio é desenvolver as pesquisas e produzir o conhecimento científico que poderá ser útil no futuro. Acredito que em até dez anos já tenhamos estruturas como essa em funcionamento”, diz. Para Thiago, o mais importante nos resultados obtidos é o indicativo de que muitas portas se abrem a outras informações possíveis de serem transmitidas por meio das Vanets. “O trabalho é uma boa demonstração de que, por exemplo, alertas podem ser emitidos quando ocorrerem violação de semáforo ou excesso de velocidade antes de uma curva, tudo para contribuir com o aumento da segurança no trânsito”, avalia. Atualmente, a equipe de pesquisa trabalha para tornar mais compacto o dispositivo desenvolvido por Thiago. Dois bolsistas de iniciação científica e outros dois estudantes de pós-graduação dão seguimento às atividades e evoluem nos resultados. “Há ainda um longo caminho a ser percorrido. Um dos desafios que o sistema terá, por exemplo, é o da segurança da informação. É necessário que existam meios de se garantir que a informação transmitida não seja corrompida e utilizada para fins indevidos.” A dissertação de Thiago deu prosseguimento ao trabalho de mestrado desenvolvido por Vladimir Píccolo Barcelos, também estudante do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação. O documento esteve entre os dez mais acessados do Repositório Institucional da UFLA no mês de agosto. Esses dados são divulgados mensalmente pela Biblioteca Universitária. Consulte a dissertação no Repositório Institucional da UFLA.
Portal da Ciência - Universidade Federal de Lavras
Coronavírus Covid-19: É importante de informar e prevenir. ufla.br/coronavirus
FalaBR: Pedidos de informações públicas e manifestações de ouvidoria em um único local. Sistema Eletrônico de Informações ao Cidadão (e-SIC) e Ouvidoria.