Ir direto para menu de acessibilidade.
Atenção! Você está acessando um arquivo automático de notícias e o seu conteúdo pode estar desconfigurado. Acesse as notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.

Técnicos, produtores e pesquisadores mexicanos conhecem estrutura da InovaCafé

Escrito por Joyce | Publicado: Quarta, 11 Novembro 2015 14:01 | Última Atualização: Terça, 10 Novembro 2015 05:45
Agência foi escolhida para apresentar aspectos do sistema de produção do Café Arábica [caption id="attachment_104710" align="alignleft" width="249"]mexicanos-necaf Mexicanos recebem café produzido na UFLA em visita ao Necaf[/caption] Nesta segunda e terça-feira, 9 e 10 de novembro, técnicos, produtores e pesquisadores do México visitam a Agência de Inovação do Café (InovaCafé) para participar de um projeto de capacitação em cultura do café. Na manhã de ontem, o grupo conheceu o Núcleo de Estudos em Cafeicultura (Necaf) e degustaram o café brasileiro produzido na região de Minas Gerais. Logo em seguida conheceram a técnica de clonagem do café pelo método de estaquia. A InovaCafé foi apresentada pelo atual assessor de Inovação e Empreendedorismo da UFLA, professor Luiz Gonzaga de Castro Júnior, que explanou sobre o surgimento, atuação e projetos da Agência. O coordenador de pesquisa e estágio do Necaf, Renato Bottrel, pontuou que esse tipo de intercâmbio é bastante interessante, tendo em vista a diferença na produção do café entre os dois países. “A equipe é interessada e fez diversos questionamentos. Esse tipo de experiência contribui com a troca de informações”, apontou Bottrel. O projeto de capacitação faz parte de uma articulação conjunta entre a Agência Brasileira de Cooperação (ABC) do Ministério das Relações Exteriores, a Agencia Mexicana de Cooperación Internacional para el Desarrollo (AMEXCID), a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Empraba) e o Instituto de Investigaciones Forestales, Agrícolas y Pecuarias (INIFAP). Os governos do Brasil e do México firmaram um Acordo de Cooperação Técnica com o objetivo de formar técnicos especializados em Agricultura, Pecuária e Silvicultura Tropical para o Desenvolvimento das Zonas Tropicais Mexicanas. [caption id="attachment_104711" align="alignleft" width="249"]virgilio-cafeicultura O professor Virgílio Anastácio (DAG/Setor de Cafeicultura) apresenta painel de classificação de defeitos e enquadramento do tipo de café para precificação[/caption] Para o representante do INIFAP, Ismael Mendes Lopes, o objetivo do projeto é fazer com que os mexicanos que estão trabalhando com o cultivo de café no México se familiarizem com outras tecnologias, com metodologias avançadas. “O Brasil é o principal produtor de café com um diferente sistema de produção; nós temos sistemas de produção diferentes, porém, parte dessa tecnologia pode ser aproveitada para os produtores mexicanos. Os técnicos estão relacionados aos produtores e esse é o momento de capacitá-los para que eles possam transferir esses conhecimentos para os cafeicultores. Os sistemas de produção são bem diferentes nos dois países, o café se dá naturalmente na sombra, e nos utilizamos essa metodologia. As nossas condições topográficas são diferentes, temos regiões muito acidentadas, mas eu acredito que parte da tecnologia brasileira pode ser aplica no México e para isso é importante que esses técnicos tenham acesso ao conhecimento”, pontou Lopes. Os técnicos conheceram o Laboratório de Anatomia, clonagem por estacas, experimentos de irrigação/melhoramento/adubação, estrutura de colheita e pós-colheita e realizaram o procedimento de degustação de café de acordo com a metodologia da Specialty Coffee Association of America (SCAA). No dia 10, o grupo visita a Fazenda Bom Jardim, em Santo Antônio do Amparo (MG) e a Fazenda Ipanema Coffees, em Alfenas (MG). Essa última é uma empresa brasileira focada na comercialização e produção de cafés especiais, sendo hoje uma das mais reconhecidas produtoras de café do mundo, presente em mais de 20 países. O professor Rubens José Guimarães, do Departamento de Agricultura da UFLA, afirma que a UFLA é uma referência em cafeicultura no Brasil e no mundo por causa da qualidade do ensino, pesquisa, extensão e por conta dos profissionais qualificados que atuam na instituição. “Nós vamos conduzir o grupo durante todas as visitas, entre elas a maior fazenda de café do mundo, que é a Ipanema Coffees, e durante toda a programação haverá troca de ideias, troca de tecnologias e quem sabe, no futuro, um intercâmbio maior entre os países”. A analista do Departamento de Transferência de Tecnologia e gestora do projeto pela Embrapa, Assunta Helena Sicoli, afirmou que a UFLA, através da InovaCafé, foi selecionada entre todas as universidades brasileiras para realizar uma etapa do programa de café, tendo em consideração que é uma referência na área. O programa, que será realizado em três semanas, comtempla ainda visitas ao Instituto Federal do Sul de Minas - Câmpus Muzambinho e propriedades em Machado, Alfenas e Guaxupé, em Minas Gerais. Depois, segue para o município de Jacarezinho, no estado do Paraná.
Vanessa Trevisan – jornalista – Agência de Inovação do Café (InovaCafé)
 

 

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.