Ir direto para menu de acessibilidade.
Atenção! Você está acessando um arquivo automático de notícias e o seu conteúdo pode estar desconfigurado. Acesse as notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.

Internacionalização: Professores do DFI estiveram no Reino Unido em outubro

Escrito por Ana Eliza Alvim | Publicado: Quinta, 26 Novembro 2015 13:01 | Última Atualização: Terça, 24 Novembro 2015 12:21
O Departamento de Física da Universidade Federal de Lavras (DFI/UFLA) avança em suas ações de internacionalização. No mês de outubro deste ano, os professores Onofre Rojas e Jenaína Ribeiro Soares  estiveram no Reino Unido participando de atividades distintas, que visam à criação de colaboração científica e de parcerias com grupos de pesquisas de universidades reconhecidas no cenário internacional. Na Universidade de Cambridge, novos nanomateriais bidimensionais foram o foco dos trabalhos [caption id="attachment_105121" align="alignleft" width="249"]jenaina-cambridge1 Professora Jenaina fez apresentações na Universidade de Cambridge.[/caption] A experiência e as publicações da professora Jenaina Ribeiro Soares na área de novos nanomateriais bidimensionais levaram-na a ser indicada para contribuir com trabalhos em desenvolvimento na Universidade de Cambridge (Cambridge University). No período de 26/9 a 29/10 ela esteve na instituição britânica, onde fez apresentações, reuniu-se com diferentes pesquisadores, discutiu possibilidades de parceria entre as duas instituições e participou da finalização de trabalho iniciado antes mesmo de sua viagem. De acordo com Jenaina, o diretor do Centro de Grafeno de Cambridge (Cambridge Graphene Centre – CGC), professor Andrea Ferrari, buscava um especialista que pudesse contribuir na construção teórica de explicações para a resposta experimental que ele detectou em amostras de várias famílias de novos nanomateriais bidimensionais (como por exemplo, o grafeno, uma monocamada de espessura atômica de átomos de carbono arranjados em forma de colméia de abelha). Com a indicação dela para o trabalho, as atividades conjuntas começaram a ser feitas em julho deste ano a distância, por meio de reuniões e mensagens com a mediação da Internet. A viagem de Jenaína ao Reino Unido tornou-se, então, necessária à finalização dos trabalhos e à expansão da colaboração, para planejamento de projetos futuros conjuntos, inclusive com perspectiva de intercâmbio de pesquisadores da Cambride University para a UFLA e vice-versa. Os custos do deslocamento (passagem e estadia) foram financiados pelos projetos do professor Andrea Ferrari. “Em termos de pesquisa, os resultados desse um mês de trabalho no exterior foram surpreendentes. Desenvolvemos uma teoria com a qual é possível obter informações bastante gerais sobre a atividade Raman e Infravermelho de novas famílias de nanomateriais bidimensionais, utilizando para isso aspectos básicos de simetria. Esses novos materiais podem ser obtidos a partir de cristais de estrutura laminar bem conhecidos na literatura, mas que quando esfoliados, geram novas estruturas com poucas camadas atômicas. As propriedades eletrônicas, vibracionais, ópticas e mecânicas desses nanomateriais são totalmente diferentes, principalmente devido a quebras de simetria e confinamento dos elétrons”, avalia a professora. Segundo Jenaína, esses novos materiais são tratados como a aposta do futuro para a indústria de novos dispositivos eletrônicos e ópticos, que podem então ter espessuras atômicas. “Como colaborador nesse trabalho temos também o renomado professor Nicola Marzari, da Ecole Polytechnique Féderale de Lausanne (EPFL), que em seu trabalho de mineração de dados encontrou mais de 4800 novos materiais nos quais nossa teoria pode ser aplicada. Com isso esperamos uma publicação importante e que será referência para trabalhos futuros nesta área de pesquisa”, diz. [caption id="attachment_105120" align="alignright" width="249"]jenaina-cambridge2 À direita de Jenaina está o professor Andrea Ferrari. Eles estão acompanhados por integrantes da delegação brasileira do MackGraphe.[/caption] Durante sua estada na Cambridge University, a professora conheceu a estrutura do Centro de Grafeno de Cambridge e as pesquisas lá desenvolvidas, participou de reuniões com pós-doutores do Centro para discutir possibilidades de cooperação em trabalhos já em execução e de propostas de novas pesquisas que possam ser feitas em parceria com o DFI/UFLA. “Durante esse tempo, participei ainda da recepção da delegação de brasileiros da Universidade Presbiteriana Mackenzie (de São Paulo), que sedia o MackGraphe, um centro de pesquisa voltado para nanomateriais bidimensionais (como o grafeno e semelhantes). Neste momento foi possível discutir futuras cooperações da UFLA tanto com o MackGraphe quanto com a Cambridge University”. Na programação das atividades de Jenaína no Reino Unido, esteve também a apresentação de um seminário direcionado a especialistas de diversas áreas de pesquisa em nanomateriais, no qual ela relatou seus trabalhos publicados anteriormente utilizando Teoria de Grupos e falou sobre as perspectivas de novas cooperações. Houve também um workshop sobre aspectos de simetria em nanomateriais. Em três horas de apresentação, a professora esclareceu para o grupo de pesquisa os pontos necessários ao entendimento dos resultados da pesquisa realizada com o professor Andrea Ferrari. Estágio de pesquisa na Universidade de Coventry: uma consequência do Programa de Reconhecimento à Produção Científica de Alto Impacto Acadêmico da UFLA A Universidade de Coventry (Coventry University) recebeu o professor do DFI Onofre Rojas entre 3/10 e 20/10. Ele passou por um estágio de pesquisa, viabilizado por meio do Edital DRI 01/2015, referente ao Programa de Reconhecimento à Produção Científica de Alto Impacto Acadêmico. O professor participou na instituição britânica do desenvolvimento de projetos relacionados a física estatística e estudo de zeros da função de partição em redes bidimensionais, como a rede Bethe. Avaliando o resultado da experiência, Onofre está otimista quanto a trabalhos futuros, prevendo também benefícios para a pós-graduação em Física da UFLA. “Acho que criaremos uma ótima colaboração, que será importante para futuros projetos e visitas mútuas”, diz. O Programa de Reconhecimento à Produção Científica de Alto Impacto Acadêmico é uma ação do Plano de Internacionalização da UFLA, sendo coordenado e implementado pela DRI, com a participação da Pró-Reitoria de Pesquisa (PRP), da Pró-Reitoria de Pós-Graduação (PRPG) e da Pró-Reitoria de Graduação (PRG). Em fluxo contínuo, docentes ou servidores técnico-administrativos, credenciados em programa de pós-graduação da UFLA, enviam suas propostas e podem receber recursos para diárias e passagens para participação em eventos e reuniões científicas internacionais de alta relevância. O critério de avaliação é a publicação de artigos com parceria internacional em periódicos com classificação Qualis Capes A1 e A2 . O objetivo do Programa é elevar a quantidade de artigos científicos publicados pelo corpo docente da UFLA em veículos de divulgação científica de alto impacto internacional (Consulte o edital vigente para saber mais).