Ir direto para menu de acessibilidade.
Atenção! Você está acessando um arquivo automático de notícias e o seu conteúdo pode estar desconfigurado. Acesse as notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.

Há dez anos, UFLA leva inovações tecnológicas a fruticultores da Serra da Mantiqueira

Escrito por Ana Eliza Alvim | Publicado: Segunda, 21 Dezembro 2015 14:26 | Última Atualização: Terça, 15 Dezembro 2015 14:53
palestra-fruticultura-mantiqueiraFoi realizada em São Bento do Sapucaí (SP), no dia 9/12, a décima edição do Seminário Fruticultura de Clima Temperado. A Universidade Federal de Lavras (UFLA) é parceira na organização durante toda a história do evento. De acordo com o professor do Departamento de Agricultura (DAG) Rafael Pio, um dos organizadores do Seminário, mais de 1500 pessoas já participaram das atividades ao longo do tempo, incluindo produtores rurais, técnicos e estudantes. “O Seminário Fruticultura de Clima Temperado foi fundamental para expansão do cultivo da amoreira-preta e da framboeseira na serra da Mantiqueira. A UFLA, desde 2009, vem desenvolvendo tecnologias para aprimorar as técnicas de cultivo dessas frutíferas”, comenta Rafael. A contribuição da Universidade nesse cenário pode ser verificada pelas produções acadêmicas desenvolvidas na área. Nos últimos seis anos, o professor Rafael, por exemplo, publicou 22 artigos científicos com pesquisas relacionadas a essas duas frutíferas, orientou oito dissertações e teses e aprovou três projetos de pesquisas no Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e na Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig). Em dez anos de realização, o Seminário abordou temas que propiciaram, entre outros benefícios, a expansão de cultivos importantes na região. É opalestra-fruticultura-mantiqueira2 caso do cultivo de uvas finas para a produção de vinhos de alta qualidade na Serra da Mantiqueira, do cultivo de castanhas e, mais recentemente, do lúpulo. O investimento nos debates sobre essa última planta, inclusive, favoreceu o lançamento de uma edição especial de cerveja pela Baden Baden, de Campos do Jordão-SP. O produto utiliza somente lúpulo brasileiro. Um pouco da história do Seminário O evento é promovido desde 2006 em parceria com a Coordenadoria de Assistência Técnica de Nível Superior (Cati) e com o Viveiro Frutopia. Seu objetivo central é desenvolver a fruticultura de clima temperado na Serra da Mantiqueira. Nas primeiras edições, o foco do Seminário era oferecer novas opções à diversificação da fruticultura serrana de São Paulo e Minas Gerais. Nos três primeiros anos, notou-se grande interesse pelo cultivo da framboeseira e da amoreira-preta, o que determinou, em eventos seguintes, a realização de palestras técnicas sobre manejo cultural e técnicas de cultivo para a produção de frutas de alta qualidade. Posteriormente, foram abordadas tecnologias de processamento e aproveitamento dos frutos, como produção de doces e fermentados. As palestras focadas em novas opções ao cultivo - como o da pereira, do caquizeiro, da macieira, do pessegueiro e da castanheira - garantiram inovação constante na programação. Nas últimas edições, temas relacionados à comercialização, ao turismo rural, ao emprego das amoras-pretas e framboesas na gastronomia também estiveram presentes. Já a produção de vinhos finos na Serra da Mantiqueira e a produção de cervejas artesanais (fortalecida pela exploração do lúpulo, ingrediente da fabricação da cerveja) vêm ganhando espaço nos últimos dois anos. 2015 Na programação deste ano, o pós-doutorando Flávio Gabriel Bianchini proferiu palestra no I Dia de Campo de Cambuci. Ele apresentou tema relacionado à sua tese de doutorado, defendida no Programa de Pós-graduação em Fitotecnia da UFLA em 2015. “Germinação de sementes e caracterização física e química de frutos de acessos de cambucizeiro” é o título da tese.

 

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.