Ir direto para menu de acessibilidade.
Atenção! Você está acessando um arquivo automático de notícias e o seu conteúdo pode estar desconfigurado. Acesse as notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.

Professor do curso de Nutrição responde: o leite é vilão ou aliado para a saúde?

Escrito por Ana Eliza Alvim | Publicado: Segunda, 29 Fevereiro 2016 08:55 | Última Atualização: Quinta, 18 Fevereiro 2016 15:11
entrevista-tvuOs benefícios do consumo do leite têm sido questionados com diferentes argumentos, que levam a população a uma dúvida: o alimento é vilão ou aliado para a saúde? O professor do Departamento de Nutrição da Universidade Federal de Lavras (DNU/ UFLA) Michel Cardoso Angelis Pereira esteve no estúdio da TVU-Lavras nessa quarta-feira (17/2) para conversar sobre o tema e desmistificar algumas crenças. De maneira geral, ele diz que o leite tem muito a oferecer à saúde da maior parte da população, se ingerido nas porções corretas, integrando uma dieta equilibrada. Ele esclarece também sobre o consumo de produtos sem lactose, que pode ser prejudicial a quem não tem intolerância comprovada a esse carboidrato. Alergia e intolerância à lactose Aqueles que condenam a ingestão dos lácteos apontam a alergia e a intolerância à lactose como supostos malefícios do produto. No entanto, professor Michel esclarece que apenas um número reduzido de pessoas tem alergia à proteína do leite (menos de 1% da população), não justificando que grande parcela das pessoas tenha temor em consumir. Trata-se de um processo alérgico que pode existir também em relação à proteína existente em outros alimentos, como o amendoim, a soja, etc. A intolerância à lactose é outra reação do organismo que está presente em um número muito pequeno de indivíduos, em níveis variados: alguns deles precisam eliminar a lactose da alimentação e outros devem reduzir o consumo. No entanto, a indicação indiscriminada de uma dieta sem lactose pode trazer prejuízos a quem a adota. “Se a pessoa não tem a intolerância e é incentivada a não consumir a lactose por um longo período, poderá, no futuro, desenvolver a reação”, explica Michel. Aproveitamento do cálcio pelo organismo É comum o comentário de que o ser humano é o único mamífero que continua a ingerir leite ao longo da vida e de que essa ingestão é maléfica ao organismo, já que não haveria leiteabsorção do cálcio do leite de forma adequada. O professor, ao contrário, afirma que quem não consome leite tem maior tendência a desenvolver deficiência de cálcio. “O cálcio do leite tem absorção muito maior do que o cálcio de outros alimentos. A lactose colabora nesse processo, sendo a principal responsável pela melhor absorção”. Vantagens do consumo do leite Além de ser uma fonte diferenciada de cálcio, o leite é considerado um dos alimentos mais completos. Apresenta proteína de alto valor biológico, ou seja, uma proteína que é utilizada pelo organismo com muita eficiência. É rico em vitamina A (importante para manter a acuidade visual, proteger a pele, auxiliar na prevenção de alguns tipos de câncer e atuar no fortalecimento do sistema imunológico, prevenindo infecções, principalmente no pulmão). Vitaminas do complexo B também estão presentes. “A lactose, para quem é tolerante - e a maioria da população é tolerante - tem efeito pré-biótico, ou seja, faz com que o intestino funcione melhor e aumenta a capacidade de absorção de outros micronutrientes, como as vitaminas e os sais minerais”, diz Michel. Além do mais, a lactose, exerce outros efeitos benéficos ao organismo, por auxiliar no equilíbrio da microbiota intestinal, o que pode estar relacionado com a prevenção de câncer do intestino. Sim ao leite, mas não ao exagero O professor Michel enfatiza que o excesso de qualquer alimento pode ser prejudicial à saúde. Com o leite não é diferente: “o recomendado é o consumo de três a cinco porções diárias, sendo esse número máximo recomendado para atletas de alto rendimento”. Uma porção de leite é equivalente a um copo americano (150 ml), ou a uma fatia pequena de queijo, ou a um pote pequeno de iogurte (cerca de 130 ml). O excesso de cálcio pode levar a calcificações no fígado, formação de pedra nos rins e na vesícula, insuficiência renal e outras complicações. É recomendado tomar leite após o exercício físico? O exercício físico provoca a inflamação dos músculos, fazendo com que a pessoa precise de proteína para regenerá-los. Como é fonte de proteína de alto valor biológico, o leite é bem-vindo após as atividades. “Nesse momento, os músculos usam melhor os aminoácidos das proteínas do leite, e os ossos captam mais cálcio, o que colabora para que fiquem mais compactos e enrijecidos. Além disso, com o leite você consegue repor vários minerais”. Assista à entrevista do professor Michel Cardoso Angelis Pereira