Ir direto para menu de acessibilidade.
Atenção! Você está acessando um arquivo automático de notícias e o seu conteúdo pode estar desconfigurado. Acesse as notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.

Aprendizado além da sala de aula: PET Engenharia de Alimentos realiza visita em empresa alimentícia

Escrito por Comunicação UFLA | Publicado: Quinta, 17 Março 2016 13:48 | Última Atualização: Terça, 15 Março 2016 15:14
pet_engenharia_visita Com o intuito de aproximar os estudantes do curso de Engenharia de Alimentos da vivência industrial, o Programa de Educação Tutorial (PET) Engenharia de Alimentos realizou uma visita técnica na empresa Ajinomoto em Limeira, São Paulo.  A visita teve a participação de 25 estudantes da Universidade Federal de Lavras (UFLA). Ajinomoto é uma empresa japonesa que produz alimentos, óleos de cozinha e remédios, presente no Brasil desde 1956. Ao longo de sua história, se especializou no desenvolvimento de produtos a partir de aminoácidos aplicados nas indústrias alimentícia, de cosméticos, farmacêutica, de nutrição animal, e de agronegócios. A empresa atua através de três unidades no Brasil. A visita incluiu uma palestra sobre o principal produto da empresa, o glutamato monossódico, além de um tour para conhecer o funcionamento da unidade. Para a equipe do PET, a visita técnica contribui para a formação de profissionais mais informados e interessados na área. Esse tipo de atividade busca motivar os alunos, contribuindo assim para o aumento da dedicação às disciplinas e demais atividades extracurriculares oferecidas pela UFLA. O PET Engenharia de Alimentos iniciou suas atividades em março de 2013, com a missão de construir e aperfeiçoar o conhecimento dos membros, com o intuito de formar profissionais de excelência e cidadãos socialmente responsáveis, a fim de disseminá-lo no meio acadêmico e na comunidade em que estão inseridos. Os discentes que têm a oportunidade de participar do grupo, além de compartilhar experiências, realizam trabalhos em grupo e contam com uma formação humana diferenciada, aprendendo a lidar com uma série de situações no âmbito social. Além disso, as atividades do grupo contribuem para a redução da evasão estudantil, já que o processo de formação se torna mais agradável aos discentes a partir do momento em que podem entender a atuação do engenheiro de alimentos e, consequentemente, o processo de formação proporcionado pela Universidade.
Texto: Camila Caetano – jornalista/bolsista UFLA e Renata de Castro – estudante de Engenharia de Alimentos e integrante do PET
 

 

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.