Ir direto para menu de acessibilidade.
Atenção! Você está acessando um arquivo automático de notícias e o seu conteúdo pode estar desconfigurado. Acesse as notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.

Vendas do segmento triplicam e estudo da UFLA analisa comportamento dos consumidores de café em cápsulas

Escrito por Comunicação UFLA | Publicado: Terça, 03 Mai 2016 10:17 | Última Atualização: Quinta, 28 Abril 2016 07:35
cafe-em-capsulaO mercado de bebidas em cápsulas apresenta crescimentos exponenciais no cenário nacional. Uma pesquisa encomendada pela Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic) sobre as Tendências do Mercado de Café estima que a receita desse segmento de cápsulas no país deverá triplicar até 2019, atingindo R$ 3,0 bilhões, valor equivalente ao triplo da receita obtida em 2014. A associação afirma que o volume de vendas de cápsulas no país cresceu 52,4% entre os anos de 2013 e 2014. Ainda que as tendências sejam otimistas, pouco se conhece sobre os comportamentos de consumo que permeiam os usuários das bebidas em cápsulas diante desse cenário, o mestrando do Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal de Lavras (UFLA) Rodrigo Marçal Gandia desenvolveu um estudo sobre a estrutura dos valores que orientam a compra de máquinas de bebidas em cápsulas, a pesquisa apresenta resultados com base na estrutura de atributos, consequências e valores vinculados a esses produtos na percepção dos compradores. Os questionamentos que moveram a pesquisa também estão relacionados à influência das marcas que comercializam o produto e como elas estabelecem comportamentos distintos entre os usuários. Também analisa se a motivação dos consumidores do mercado de máquinas de bebidas em cápsulas, seria a economia, a qualidade ou um produto que proporciona reconhecimento social. “Mais especificamente, a pesquisa buscou identificar e comparar as relações associativas entre os atributos do produto e consequências (benefícios) providas por eles, e a conexão desses dois elementos com os valores pessoais percebidos pelos usuários das máquinas de bebidas em cápsulas das marcas Nescafé Dolce Gusto e Nespresso. Foram realizadas 27 entrevistas em profundidade, igualmente distribuídas entre usuários das duas marcas, o que proporcionou a construção de uma matriz de implicação e de um mapa hierárquico de valores que permitiu evidenciar elementos distintos de cada uma das marcas analisadas, assim como cumulativos a ambas as marcas, caracterizados como elementos inerentes às máquinas de bebidas em cápsulas” explica Rodrigo. Os resultados foram classificados de acordo com a escala de Schwartz, metodologia que propõe uma organização circular sobre os tipos de valores motivacionais comuns aos indivíduos. Os resultados demonstram que a realização e o prazer pessoal são valores preponderantes aos usuários. De maneira geral, de acordo com a pesquisa, os consumidores de máquinas de bebidas em cápsulas buscam a qualidade e a praticidade no produto. CURIOSIDADE Apesar de o café em cápsulas não mais se caracterizar como algo inovador no mercado global, tendo em vista que sua primeira patente, criada pela Nespresso, data dos anos 1980, os modelos de negócios orientados para esse produto, no mercado nacional, passam a desempenhar um importante papel na atualidade, em razão do intenso crescimento apresentado nos últimos anos. Ainda que o principal produto estabelecido no mercado de cápsulas seja o café e seus derivados, observa-se uma tendência no desenvolvimento de bebidas com características infusas destinadas a ampliar a possibilidade de se atender às necessidades do novo consumidor.
Texto: Vanessa Trevisan (ASCOM InovaCafé)
 

 

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.
 
Portal da Ciência - Universidade Federal de Lavras
FalaBR: Pedidos de informações públicas e manifestações de ouvidoria em um único local. Sistema Eletrônico de Informações ao Cidadão (e-SIC) e Ouvidoria.