Ir direto para menu de acessibilidade.
Atenção! Você está acessando um arquivo automático de notícias e o seu conteúdo pode estar desconfigurado. Acesse as notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.

Integrantes do projeto Unidade de Pronto Alegramento (UPA) passaram por capacitação no fim de semana

Escrito por Comunicação UFLA | Publicado: Terça, 12 Julho 2016 12:12 | Última Atualização: Segunda, 11 Julho 2016 08:06
upa1Técnicas de descoberta do corpo; jogos tradicionais; brincadeiras que envolvem o ato de correr, olhar, conversar e, acima de tudo, o estudo da técnica do palhaço - essas atividades marcaram o final de semana de um grupo de 30 pessoas, formado por estudantes e professores, integrantes do projeto de extensão Unidade de Pronto Alegramento (UPA), da Universidade Federal de Lavras (UFLA). O projeto, criado em fevereiro deste ano, busca trabalhar a humanização entre os acadêmicos da área da saúde, envolvendo os cursos de Medicina, Educação Física e Nutrição da Universidade. Outro objetivo é a ressignificação do ambiente hospitalar, com a decorrente melhora no bem-estar emocional tanto dos pacientes como de acompanhantes e funcionários, através da figura do palhaço. Durante os dias 9/7 e 10/7, os integrantes do projeto participaram de uma capacitação com o palhaço e ator profissional Alexandre Penha. Formado upa3em História e Artes Cênicas pela Universidade Estadual de Maringá (UEM), ele apresentou o estudo da técnica do palhaço, aplicando técnicas primárias para que os estudantes estejam prontos para entrar nos ambientes utilizando a linguagem do palhaço de forma correta e benéfica para o próximo. “O nosso maior legado é conscientizar esses estudantes sobre o trabalho que será realizado. Eles não são palhaços profissionais nem artistas, mas sim pessoas que vão utilizar técnicas para o bem do próximo, e esclarecer isso é fundamental para não gerar frustração, mas sim bons frutos, boas brincadeiras e diversão”, explica o ator. O estudante coordenador o projeto, Lucas Chagas, do 2º período do curso de Medicina, começou a sua graduação na Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS) e lá participava do projeto RIR é o melhor remédio. Após ser aprovado na UFLA e transferir o curso, o estudante foi convidado pelo professor da disciplina de Anatomia, Rodrigo Moura, para implantar um projeto de extensão semelhante na UFLA - assim surgiu a UPA. Com um histórico de câncer na família, a estudante do 2º período do curso de Medicina Luiza Tranzilo procurou o projeto paraupa11 tentar superar os seus limites e se descobrir.  “A UPA vem nos desafiar, fazendo-nos refletir sobre como somos capazes de rir ou despertar o sorriso de alguém que está em uma situação muito difícil, espalhando esperança e alegria em momentos tão delicados”, ressalta a estudante. “Queremos formar médicos humanizados, que entendam os pacientes de forma global e integrada - e esse projeto de extensão transforma nosso desejo em realidade. Além de promover integração entre diferentes cursos com atuação na área de saúde, contribui com uma instrumentação maior para outras disciplinas onde os alunos precisam interagir com os pacientes”, explica o professor e orientador do projeto, Rodrigo Moura. Atuação Durante o primeiro semestre letivo os integrantes estarão passando por constantes capacitações a fim de aperfeiçoarem técnicas para atuação responsável. No início do segundo período letivo de 2016, a equipe já estará atuando nos hospitais e asilos do município. O projeto é voltado para os cursos da área de saúde e terá processo seletivo anual. Para acompanhar o trabalho do grupo e novidades sobre o processo seletivo, basta curtir a página da UPA no Facebook.
Texto e Fotos: Vanessa Trevisan, jornalista.

 

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.
Portal da Ciência - Universidade Federal de Lavras
Coronavírus Covid-19: É importante de informar e prevenir. ufla.br/coronavirus
FalaBR: Pedidos de informações públicas e manifestações de ouvidoria em um único local. Sistema Eletrônico de Informações ao Cidadão (e-SIC) e Ouvidoria.