Ir direto para menu de acessibilidade.
REGULAMENTAÇÃO

UFLA apresenta novas regras para os cursos de graduação, que passam a vigorar no segundo semestre

Escrito por Gláucia Mendes | Publicado: Quinta, 24 Janeiro 2019 15:55 | Última Atualização: Sexta, 25 Janeiro 2019 08:40 | Acessos: 12932
Gentileza solicitar descrição da imagem

Os cursos de graduação da Universidade Federal de Lavras (UFLA) serão regidos por um novo regulamento a partir do segundo semestre de 2019. O documento foi discutido e aprovado pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE), órgão de deliberação coletiva composto por representantes da equipe gestora, dos docentes, dos estudantes de graduação e pós-graduação, dos servidores técnico-administrativos e da comunidade civil.

O regulamento substituirá a Resolução CEPE N° 042, de 21 de março de 2007, que atualmente define as regras do ensino superior na UFLA. De acordo com o pró-reittor de Graduação, professor Ronei Ximenes Martins, “a nova resolução é fruto de trabalho colaborativo e da participação de muitas pessoas”.

Para a elaboração da normativa, foram criadas seis comissões de coordenadores de curso em 2017. Também foram realizadas consultas a pró-reitores de graduação de instituições federais de ensino superior e acolhidas dezenas de sugestões apresentadas à Pró-reitoria de Graduação (PRG) pela comunidade acadêmica.

O trabalho foi embasado também em estudos realizados por técnicos da PRG sobre as normas adotadas em várias universidades federais – tais como UFRGS, UFRN, UFV, UFJF, Unirio e Unipampa - e em requisitos organizados pela equipe da PRG e suas diretorias (DIPS, DRCA, DIRED e DADE, DPGA), em cerca de quatro anos de observações da rotina e gestão acadêmicas.

O documento organiza os assuntos em títulos e capítulos que seguem uma sequência lógica, muito próxima da sequência dos eventos relacionados à existência dos cursos e ao percurso dos estudantes. Sua redação final “incorpora inovações pedagógicas dos documentos do Conselho Nacional de Educação que disciplinam o funcionamento da graduação, bem como práticas e experiências exitosas observadas em outras instituições”, enfatiza Ximenes.

O pró-reitor destaca também a atribuição de responsabilidades compartilhadas  entre o CEPE, o Conselho de Graduação (Congrad), a PRG, os colegiados, os departamentos, docentes e estudantes na gestão acadêmica dos cursos. “A regulação geral é atribuída aos cursos, ficando reservada à PRG e ao Congrad a regulamentação de procedimentos operacionais.”  


Novas regras

O novo documento traz regras que devem ser observadas atentamente por professores, estudantes, técnicos-administrativos e gestores da instituição. Há alterações em procedimentos como matrícula e trancamento de disciplinas e cursos; mudanças de curso; avaliação de aprendizagem, critérios de aprovação, recuperação de estudantes com baixo rendimento e transferência de curso.

Confira algumas mudanças:

  • Avaliação de ensino: possibilidade dos professores considerarem como critério de valoração do rendimento acadêmico e de aprovação, além das notas em provas, o desenvolvimento global do estudante nas atividades. Também é aberta a possibilidade de atribuição de conceito, em vez de nota, para componentes curriculares.

  • Coibição de fraudes: ampliação dos mecanismos para os professores coibirem fraudes nas atividades avaliativas, principalmente com uso de dispositivos digitais.

  • Requisitos para aprovação: a relação entre assiduidade e nota final para aprovação em um componente curricular é flexibilizada. A regra atual, que requer frequência mínima de 75% e média final igual ou superior a 60, será substituída por três critérios: a obtenção de conceito “suficiente” e, pelo menos, 75% de assiduidade em componente curricular que adote apenas conceito; nota final mínima igual ou superior a 60 e, pelo menos, 75% de assiduidade em componente curricular que adote notas; nota final mínima igual ou superior a 70 e, pelo menos, 65% de assiduidade em componente curricular que adote notas.

  • Recuperação de estudantes com rendimento insuficiente: haverá novas modalidades de recuperação, como a realização de estudos autônomos acompanhados por avaliação suplementar após o final do semestre letivo e a oferta de vagas especiais em turma regular, com estratégias especiais de estudo.

Saiba mais sobre essas e outras regras no novo regulamento da graduação da UFLA.

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.