Ir direto para menu de acessibilidade.
RANKING

UFLA continua entre as melhores universidades da América Latina pela Times Higher Education

Escrito por Camila Caetano | Publicado: Terça, 19 Julho 2022 15:14 | Última Atualização: Sexta, 22 Julho 2022 12:51 | Acessos: 1534
Gentileza solicitar descrição da imagem

Pelo quinto ano consecutivo, a Universidade Federal de Lavras (UFLA) aparece entre as melhores universidades da América Latina, segundo o levantamento da revista inglesa de educação superior Times Higher Education (THE), mantendo-se como a terceira melhor Universidade de Minas Gerais.

A UFLA alcançou a 24ª colocação no ranking e, segundo o THE Latin America Ranking 2022, é a 17ª melhor universidade do Brasil, sendo a 12ª melhor universidade federal. “Alcançamos esse resultado em virtude do esforço de toda a comunidade acadêmica e a Diretoria de Relações Internacionais (DRI) vem trabalhando massivamente para identificar oportunidades e desafios buscando a excelência da UFLA em termos de ensino, pesquisa, extensão e inovação”, comenta o diretor da DRI, Antônio Chalfun Júnior.

Na UFLA, o indicador Industrial Income (financiamento oriundo de empresas) cresceu 12,2 pontos, em 2022. Além disso, as métricas citações e perspectiva internacional cresceram 4,1 e 0,5 pontos, respectivamente. “Os rankings nos ajudam a compreender o desempenho da UFLA a partir de indicadores que, dentre outros aspectos, valorizam o atendimento às necessidades da comunidade em que estamos inseridos. O aumento na pontuação da métrica Industry Income, que considera financiamento de pesquisa a partir da iniciativa privada é reflexo da relevância da pesquisa e inovação que é desenvolvida em nossa universidade nas suas diversas áreas de atuação”, destaca a coordenadora acadêmica da DRI, professora Cristiane Alves Pereira.

Neste ano, 197 universidades da América Latina foram incluídas ao ranking e 72 dessas instituições são brasileiras, ou seja, cerca de 36%. Considerando as 30 melhores universidades da América Latina, 19 são brasileiras, o que representa 63%. Além disso, oito instituições brasileiras ficaram entre as 10 melhores avaliadas em 2022 superando o desempenho alcançado em 2021.