Ir direto para menu de acessibilidade.
CULTURA DO ALGODÃO

Curso alcança a marca de 100 profissionais africanos certificados

Escrito por Gláucia Mendes | Publicado: Quarta, 29 Agosto 2018 15:17 | Última Atualização: Quarta, 29 Agosto 2018 21:50 | Acessos: 884
Gentileza solicitar descrição da imagem

Profissionais de cinco países africanos receberam nesta terça-feira (28/8) o certificado de conclusão do curso de aperfeiçoamento “Capacitação e transferência de tecnologia na cultura do algodão”. Ofertado pela Universidade Federal de Lavras (UFLA) em parceria com a Agência Brasileira de Cooperação (ABC) do Ministério das Relações Exteriores, o curso formou 33 alunos nesta terceira turma, alcançando a marca de 100 profissionais qualificados em uma área considerada central na economia dos países participantes.

“Só com as boas práticas agrícolas aprendidas somos capazes de ampliar em até 20% nosso rendimento, sem aumentar custos”, afirma o engenheiro agrônomo de Moçambique Dilson Brito, que participou do curso pelo Instituto do Algodão de seu país. Segundo o engenheiro, os conhecimentos adquiridos impactam toda cadeia produtiva, com melhorias em aspectos como insumos, sementes, organização dos produtores e controle de pragas.

Representando o reitor na solenidade, o pró-reitor de Extensão e Cultura, professor João José Marques, parabenizou os formandos e afirmou que o curso é o projeto de extensão mais ambicioso e influente da UFLA. “A oportunidade de interagir com pessoas de países tão distantes é que nos permite um alcance universal e justifica sermos chamados de universidade”, ponderou.

Em nome da Agência Brasileira de Cooperação, Antônio Junqueira cumprimentou os formandos e expressou as expectativas da agência em relação ao curso. “Este é apenas o início de uma etapa. Esperamos que vocês voltem e apliquem, em seus países de origem, os conhecimentos aqui adquiridos”.

Na avaliação do coordenador do curso, professor Antônio Carlos Fraga, a grande marca da capacitação é a indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão. “Os conhecimentos compartilhados foram construídos ao longo de muitos anos de pesquisa”, disse.

A mesa diretora da solenidade também foi composta pelo chefe do Departamento de Agricultura da UFLA, professor Rubens José Guimarães, e pelo diretor adjunto de Relações Internacionais, Márcio Lara.  

O curso de aperfeiçoamento é oferecido pela UFLA e pela Agência Brasileira de Cooperação com o apoio do Instituto Brasileiro do Algodão e da Associação Mineira dos Produtores de Algodão (AMIPA). Com 90 dias de duração, a capacitação visa impulsionar a geração de empregos e o aumento de renda entre agricultores africanos. Nesta terceira edição, foram formados profissionais de Moçambique, Malawi, Quênia, Tanzânia e Zimbábue.

 

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.