Ir direto para menu de acessibilidade.
SNCT 2018

“Ciência na Praça” divulga pesquisas e inovações tecnológicas da UFLA por meio de diversões e serviços para a população

Escrito por Gláucia Mendes | Publicado: Segunda, 22 Outubro 2018 12:53 | Última Atualização: Quarta, 24 Outubro 2018 17:09 | Acessos: 1921

No tradicional passeio pela praça Dr. Augusto Silva, o morador de Lavras encontrou neste domingo (21/10) mais do que a esperada feira de artesanato e culinária: encontrou muito conhecimento científico, na forma de diversões, curiosidades e serviços de utilidade pública. A ação “Ciência na Praça”, realizada pela UFLA em parceria com a Prefeitura no encerramento da 15ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, divulgou pesquisas, inovações tecnológicas e conhecimentos gerados na Universidade.

O pró-reitor de Pesquisa, professor Teodorico Ramalho, ressalta que “todas as áreas do conhecimento – Ciências Exatas, Biológicas, Engenharia, Ciências da Saúde e Humanas - estiveram representadas. A comunidade da UFLA como um todo abraçou o desafio de realizar um evento desse porte, em uma época de recursos escassos”. A ação envolveu docentes, pesquisadores, estudantes e técnicos administrativos da Instituição.

 

Conhecimento para todas as idades

Crianças pequenas também se divertiram na colcha cognitivaO evento contou com atividades variadas, voltadas para pessoas de todas as idades. Cristiane Ribeiro foi com o marido e o filho Juliano, de 4 anos. Assim que a família chegou, Juliano foi atraído pela coleção de insetos do Núcleo de Estudos em Entomologia e ficou por ali um bom tempo, com o olhar fixo. Crianças pequenas também se divertiram na colcha cognitiva, de finalidades didáticas, criada pela equipe do Laboratório de Práticas Pedagógicas Socioambientais e Interdisciplinares.

Os robôs atraíram olhares de crianças e adultos. A atividade foi a que mais chamou a atenção do mecânico Fabiano Ribeiro, que foi à tradicional feira de domingo e resolveu passear pelos estandes da UFLA. Camilly Augusto Carlos, de 13 anos, ficou impressionada não só com os robôs, mas também com a impressora 3D do projeto Espaço Lab (e-Lab) e os objetos ricos em detalhes impressos por ela. O equipamento foi totalmente construído pela equipe do laboratório, com base em um projeto mundial de baixo custo. Seu custo final foi cerca de 10% do de um acessório convencional.

 

Curiosidades sobre a língua

Quem caminhava entre os estandes da UFLA também se deparou com perguntas do tipo “Você já tomou quebra-torto hoje?” “Você sabe o que é maçanilha?” Os cartazes com os questionamentos intrigantes foram feitos pelo Grupo de Pesquisas Geolinguísticas e Sociodialetólógicas de Minas Gerais, para divulgar as variações linguísticas do Brasil.

A expressão “quebra-torto”, conforme explicaram as alunas de Letras, é muito usada no Pantanal para se referir ao “café da manhã”, por se tratar de uma refeição com mesa farta. “Maçanilha”, embora tenda a ser associada à maçaneta, é um nome popular para designar a “camomila”.

 

Ciência em Imagem

Exposição fotográfica "Ciência em Imagem"As fotografias participantes do concurso “Ciência em Imagem”, promovido pela Diretoria de Comunicação (Dcom), também foram expostas no domingo. Rodrigo Oliveira, estudante do mestrado em Física da UFLA, passou um bom tempo observando as imagens e comentando com seus amigos. “A primeira foto que atraiu minha atenção para a exposição foi a da aranha”, disse. A foto representa uma aranha encontrada dentro do estômago de um Lambari durante pesquisa sobre a alimentação de peixes.

A exposição reuniu cerca de 40 fotografias, registradas por pesquisadores de diferentes áreas do conhecimento. Todas as fotos do concurso que atenderam aos critérios do edital participaram da exposição. Rodrigo aprovou a iniciativa: “a exposição traz outro olhar sobre a ciência, que cumpre uma função, a meu ver, muito importante: a de aproximar a população do conhecimento científico”.

 

 

Serviços de saúde

A ação “Ciência na Praça” também incluiu serviços de saúde. A equipe do projeto Minuto da Saúde aproveitou a campanha Outubro Rosa para orientar a população sobre a prevenção e o combate ao câncer de mama. Já a Liga Acadêmica de Cardiologia levou informações sobre doenças vasculares. Na fila para aferir a pressão, estava o morador de Lavras Valter da Silva. “Tenho a pressão alterada e faço acompanhamento”, conta. Valter vai à feira de domingo com frequência e avalia como muito importantes “eventos como esse, que trazem informações e serviços para as pessoas”.

Teste rápido para Leishmaniose Visceral CaninaAté a saúde dos cãezinhos de estimação foi alvo de atenção. O Núcleo de Estudos em Parasitologia realizou testes rápidos para detectar a Leishmaniose Visceral Canina, doença transmitida ao animal doméstico e ao ser humano pela picada de um inseto conhecido popularmente como mosquito-palha. Na maioria dos casos, a doença é assintomática para os animais. Entretanto, os cães infectados servem de hospedeiros para o protozoário causador da doença e, quando são picados pelo mosquito-palha, podem contribuir para a disseminação da leishmaniose entre seres humanos. 

Maria Aparecida de Ázara passeava com o marido e a cachorrinha pela praça quando foi abordada pela equipe da UFLA. “Já havia escutado sobre a doença na televisão, mas nunca fui tão bem fui informada como agora”, disse. Com base nas informações, Maria Aparecida decidiu fazer o teste em sua cachorrinha. O resultado foi negativo para a doença.

 

Engenharias

A tecnologia esteve em alta com a equipe das engenharias, reunidas no Grupo Interdisciplinar de Polímeros. Um dos destaques foi a apresentação de materiais não convencionais utilizados na construção civil, produzidos a partir de resíduos e materiais não são usuais, que ganharam aplicação a partir da pesquisa científica.

Com a Engenharia de Materiais, o público presenciou o funcionamento de uma impressora 3D e soube como ela pode colaborar para o desenvolvimento de próteses para pacientes, com foco na melhoria da qualidade de vida das pessoas.

Outra inovação que o público conheceu durante o evento foi a reutilização da energia empregada na mobilidade urbana em sistemas físicos e mecânicos estudados na Engenharia Mecânica. 

 

Natureza

No estande do Núcleo de Estudos em Silvicultura (NES), os visitantes puderam conferir a diferença entre as florestas de produção e as florestas de proteção, que exercem importante função na preservação da biodiversidade. A equipe do NES distribuiu mudas aos participantes.

 

Fotos: Gláucia Mendes, Laís Diniz e Melissa Vilas Boas

 

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.