Ir direto para menu de acessibilidade.
mobilização

Movimento por uma alimentação saudável e sustentável marcou o dia na Praça Dr. Augusto Silva

Escrito por Ana Eliza Alvim | Publicado: Quarta, 27 Fevereiro 2019 16:18 | Última Atualização: Quinta, 28 Fevereiro 2019 12:20 | Acessos: 358
Gentileza solicitar descrição da imagem

As pessoas que passaram pela Praça Dr. Augusto Silva, no centro de Lavras, no horário de almoço desta quarta-feira (27/2), encontraram uma mobilização da sociedade civil em prol da alimentação saudável e sustentável. Equipes da Universidade Federal de Lavras (UFLA) atuaram na ação, juntamente com outras instituições, como a Emater e a Prefeitura de Lavras.

Nos estandes montados na região central da praça, alimentos foram distribuídos e o público recebeu informações sobre a importância dos alimentos provenientes do trabalho do pequeno agricultor, que, segundo o professor do curso de Nutrição da UFLA, Michel Cardozo de Angelis Pereira, tem um papel cultural, social, econômico e nutricional para uma alimentação saudável e sustentável, com redução na carga de agrotóxicos ou orgânica. “É a melhor alternativa ao consumo de alimentos ultra processados (industrializados)”, explica.

O movimento também busca defender o retorno das atividades do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea), instância que permite a participação direta da sociedade civil para formulação de políticas públicas voltadas à alimentação. Outra motivação para o movimento é o projeto de criação de um banco de alimentos em Lavras, que possa ser mantido com a colaboração de empresários, instituições e doações da sociedade civil, de forma que possa atender às necessidades das famílias em vulnerabilidade socioeconômica cadastradas pela Secretaria de Desenvolvimento Social do município.

A nutricionista Monique Inácio, que atualmente cursa mestrado na UFLA, participou da ação e avaliou de forma positiva a receptividade do público. “Eles estão abraçando a causa, porque compreendem a importância da alimentação adequada e sabem da extensão da população carente no município, que precisa se beneficiar com a boa alimentação e as orientações nutricionais”, diz.

Cerca de 20 pessoas do Departamento de Nutrição (DNU) da UFLA estiveram no local, entre professores, técnicos-administrativos e estudantes. Colaboradores de outras áreas da Universidade também contribuíram.

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.