Ir direto para menu de acessibilidade.
Setembro Amarelo

Mobilizações de conscientização sobre o suicídio foram realizadas junto à comunidade de Lavras

Escrito por DCOM | Publicado: Segunda, 30 Setembro 2019 17:08 | Última Atualização: Segunda, 30 Setembro 2019 17:25 | Acessos: 708
Gentileza solicitar descrição da imagem
Campanha Setembro Amarelo da UFLA

No último final de semana foram realizadas atividades de encerramento do Setembro Amarelo da Universidade Federal de Lavras (UFLA), promovidas pela Coordenadoria de Saúde e pelo projeto Minuto da Saúde. No sábado (28/9), foi ministrada a palestra sobre suicídio e depressão: “Não silencie, di-VIDA” no anfiteatro do Departamento de Agricultura da UFLA (DAG/UFLA). O evento abriu espaço para diálogo junto à comunidade de Lavras, e foi mediado pela coordenadora de Saúde da UFLA, professora Kátia Poles, com a participação do psicólogo do Centro Universitário Unilavras, Ismael Pereira de Siqueira, dos psiquiatras Humberto Corrêa, professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e representante da Associação Mineira de Psiquiatria, e Hugo de Paiva Teixeira Júnior, da Associação Mineira de Psiquiatria do Sul de Minas, além da presidente da OAB cidadã Lavras, Allana Henriques Carvalho.

De acordo com a professora Kátia Poles, a ideia foi levar para a população, de forma geral, informações sobre depressão e suicídio no sentido de prevenção. “É importante que as pessoas conheçam os fatores de risco, as redes de apoio e como ajudar alguém que se encontra em um quadro depressivo mais grave. Além de criar espaços de discussão para que todos possam pensar e refletir sobre si mesmos e como ajudar os que estão em situação de risco.”

“O suicídio é um assunto de saúde pública que é altamente negligenciado no Brasil. A campanha do Setembro Amarelo veio no sentido de sensibilizar e educar a opinião pública para que, tomando consciência, essas pessoas busquem medidas de prevenção, tanto em âmbito local como nacional. Não diz respeito apenas aos médicos, psicólogos e psiquiatras, mas sim à sociedade como um todo, por ser um fenômeno complexo e de múltiplas variáveis”, complementou o professor de psiquiatria da UFMG Humberto Corrêa.

A presidente da OAB cidadã, Allana Carvalho, explicou que a comissão tem como atribuição atender a comunidade onde ela necessitar. “Temos visto casos relacionados à saúde mental como, por exemplo, a depressão, que é um problema muito contemporâneo. Assim, temos nos preocupado muito com os jovens, que passam por uma pressão social muito grande para estarem sempre à frente e gerando conquistas pessoais e profissionais”, ressaltou. 

Domingo na praça mobilizou entidades e sociedade

Já na manhã de domingo (29/9), foi realizada às 10h uma mobilização na Praça Dr. Augusto Silva, em Lavras, com objetivo de envolver a comunidade da cidade. A ação contou com entrega de panfletos e orientações sobre o Setembro Amarelo, além da apresentação musical da Banda Euterpe Operária.

Para a dona de casa Lazara Auxiliadora da Silva, 64 anos, a ação de conscientização foi de grande importância. “Eu acho muito importante as campanhas que a UFLA realiza, pois ajuda na prevenção das doenças. Infelizmente conheci pessoas que passaram por problemas e não procuraram ajuda e faleceram. Talvez se tivessem procurado ajuda estivessem aqui hoje.”

De acordo com o psiquiatra representante da AMP, Hugo de Paiva Teixeira Jr, “precisamos estar atentos, pois o sofrimento mental é uma doença invisível. Quem está sofrendo precisa se abrir para outro e pedir ajuda. Existe tratamento, existe saída, outros caminhos que não o do suicídio.”

Kátia Poles também ressaltou a importância do diálogo sobre o tema, que ainda é tabu em nossa sociedade, e defendeu a importância de se buscar ajuda profissional. “Sabemos que falar é a melhor prevenção, então se as pessoas tiverem mais sensíveis para escutar um familiar, um amigo, uma pessoa próxima que esteja em situação de sofrimento, este tipo acolhimento já é muito importante para diminuir os dados que vêm chamando tanta atenção sobre suicídio. A ajuda profissional é extremamente importante, assim como a rede social e familiar”, complementou.

Onde encontrar ajuda

A Praec disponibiliza atendimento a comunidade acadêmica no Núcleo de Saúde Mental. Já para auxílio à população, é sugerido o Centro de Atendimento Psicossocial (CAPS) ou então o Programa de Saúde da Família (PSF) na cidade de Lavras.

Texto e Fotos:

Eder Spuri - bolsista Dcom/Fapemig
Melissa Vilas Boas, relações públicas - bolsista Dcom/Fapemig.

 

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.