Ir direto para menu de acessibilidade.
Seja um doador

Ajude o Super Pepê e outras pessoas que precisam de transplante de medula óssea

Escrito por Greicielle Santos | Publicado: Sexta, 19 Junho 2020 08:30 | Última Atualização: Sexta, 19 Junho 2020 11:15 | Acessos: 1547
Gentileza solicitar descrição da imagem
Ilustração: Letícia Sales e Heider Alvarenga

Pedro Matinhago Botelho, ou Super Pepê, como é conhecido entre familiares e amigos, de apenas 8 anos, tem a sua frente uma missão: vencer a Leucemia Linfoide Aguda tipo T (LLA), diagnosticada em março deste ano. A equipe médica do Hospital de Patos de Minas – MG (local onde ele realiza o tratamento de quimioterapia), em sua busca incansável para ajudar o pequeno Pepê, luta por um doador de medula óssea.

A história do Pepê está intimamente ligada com a Universidade Federal de Lavras (UFLA), pois foi onde os seus pais se conheceram. Sua mãe, Adriana Zanella Martinhago, cursava Ciência da Computação e seu pai, Douglas de Oliveira Botelho, Administração, na UFLA. Entre idas e vindas ao câmpus, começaram a namorar, depois morar juntos e o primeiro fruto dessa união foi o Pedro.

Os familiares do Pepê relatam que as suas principais qualidades são: companheiro, amoroso e amigo. E como todo menino de 8 anos, é apaixonado com jogos de videogame; ama brincar, ouvir música, e uma aventura.

Transplante de medula óssea 

De acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), no Brasil há uma média de 35 mil pessoas na fila de espera para transplante de medula óssea. O banco de medula óssea é mundial e o cadastro para ser um doador é muito importante, principalmente durante o período de distanciamento social, pois o número de doares diminuiu.

A busca por doadores não é algo simples, e a falta de informação pela população é um grande desafio, como explica o captador do Posto Avançado de Coleta Externa (Pace) em Lavras, Luiz Gustavo Pereira. “Infelizmente, o medo e a falta de informação ainda são desafios que precisam ser superados. Muitas pessoas confundem a medula óssea com a medula espinhal, e por isso ficam com receio de doar. As duas são bem diferentes. A medula óssea fica no miolo dos ossos. Já a medula espinhal está localizada no miolo do canal vertebral e é responsável pela transmissão dos impulsos nervosos do cérebro para todo o corpo. Fique tranquilo, doar medula óssea traz benefícios e não implica em consequências para a sua saúde”.

Hoje, a principal barreira na realização do procedimento, que pode salvar milhares de vidas todos os anos, é a dificuldade na busca por doadores compatíveis. Estima-se que a chance de encontrar um doador compatível seja de 1 para cada 100 mil pessoas. A doação e o transplante de medula óssea podem beneficiar o tratamento de aproximadamente 80 doenças. Pedro Matinhago Botelho

Como se tornar um doador?

Para ser um doador de medula óssea você deve procurar o Hemocentro mais próximo de sua casa ou cidade.

  • Ter entre 18 e 55 anos de idade.
  • Estar em bom estado geral de saúde.
  • Não ter doença infecciosa ou incapacitante.
  • Não apresentar doença neoplásica (câncer), hematológica (do sangue) ou do sistema imunológico.

O voluntário à doação irá assinar um termo de consentimento livre e esclarecido (TCLE), e preencher uma ficha com informações pessoais. Será retirada uma pequena quantidade de sangue (10ml) do candidato a doador. É necessário apresentar o documento de identidade. O sangue será analisado por exame de histocompatibilidade (HLA), um teste de laboratório para identificar as características genéticas que vão ser cruzadas com os dados de pacientes que necessitam de transplantes para determinar a compatibilidade.

Os seus dados pessoais e o tipo de HLA serão incluídos no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (REDOME).  Quando houver um paciente com possível compatibilidade, você será consultado para decidir quanto à doação. Por esse motivo, é necessário manter os dados sempre atualizados.

Para seguir com o processo de doação serão necessários outros exames para confirmar a compatibilidade e uma avaliação clínica de saúde. Somente após todas essas etapas concluídas o doador poderá ser considerado apto e realizar a doação.

Como doar em Lavras?

O cadastro de medula é feito no Pace Lavras, localizado na Avenida Ernesto Matioli, 1875, no segundo andar, em frente ao Corpo de Bombeiros. Unidade vinculada, desde 2013, ao Hemonúcleo de São João del-Rei.

O cadastro de doação de medula é realizado toda terça-feira, das 7h30 às 11h30 no Pace Lavras. Devido as medidas de distanciamento social para conter o avanço da Covid-19, o cadastro deve ser agendado pelo telefone: (35) 3694-4145. 

Em Lavras, nos últimos 12 meses foram encontrados 10 doadores de medula, sendo dois para fora do Brasil. O médico responsável pelo Pace é o hematologista Marcelo Assunção, professor do Departamento de Ciências da Saúde (DSA/UFLA).

Mais informações podem ser acompanhadas pelo perfil do Instagram @pacelavras.

Leucemia Linfoide Aguda (LLA)

Segunda a Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia (Abrale), esse tipo de câncer é responsável por 75% dos casos de leucemia em crianças e adolescentes, mas a notícia boa é que 90% das crianças em tratamento chegam à cura.

Ela acontece quando os glóbulos brancos que estão se diferenciando dentro da medula óssea sofrem alterações e começam a se multiplicar de maneira desordenada. No caso da LLA o grupo doente é o linfoide, especificamente o linfócito.

Por ser uma leucemia aguda, as células doentes são aquelas ainda muito jovens, também chamadas de imaturas. Na LLA, o crescimento rápido e desordenado dessas células interfere na produção de todas as células sanguíneas. Sua evolução é bastante rápida, tornando fundamental que o diagnóstico seja precoce e o tratamento se inicie o quanto antes.

O Projeto institucional da UFLA Minuto da Saúde preparou um material com mais informações. Acesse o perfil do Instagram @minutodasaudeufla

 

 

 

Texto: Greicielle dos Santos - bolsista - Comunicação

Com informações do Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome)
Assunto(s): Medula Óssea , Doador , Inca , Pace , Leocemia , Redome

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.