Ir direto para menu de acessibilidade.
UFLA NA COMUNIDADE

Projeto de extensão interdisciplinar promove o turismo rural e o cooperativismo em Perdões

Escrito por Comunicação UFLA | Publicado: Sexta, 29 Outubro 2021 15:05 | Última Atualização: Segunda, 08 Novembro 2021 14:27 | Acessos: 757

Ação é realizada com a Associação de Mulheres Agricultoras de Perdões (Amagri) e envolve estudantes de diversos cursos da UFLA.

produtos feitos pelas agricultoras

 Um projeto de extensão vinculado aos cursos de Direito e Administração Pública da Universidade Federal de Lavras (UFLA) busca estimular o cooperativismo solidário e o desenvolvimento do Turismo Rural como ferramenta para dar visibilidade ao trabalho das mulheres agricultoras e empreendedoras da cidade de Perdões (MG).

Por meio da Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares (Incubacoop/UFLA), diversas ações têm sido desenvolvidas para oferecer suporte à Associação de Mulheres Agricultoras de Perdões (Amagri).

A Amagri reúne 35 mulheres, agricultoras familiares e/ou artesãs.  O objetivo do projeto é desenvolver tecnologias sociais voltadas para a economia solidária, com base no modelo de gestão social e em metodologias participativas. “Elas pretendem transformar a associação em uma cooperativa de produção agropecuária, então, nós como incubadora da UFLA vamos auxiliá-las nesse processo”, comenta o professor  José Roberto Pereira, da Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas da UFLA (FCSA).

A iniciativa, pioneira na região, busca incentivar e fomentar a agricultura familiar, o protagonismo da mulher rural e os trabalhos artesanais, possibilitando relações que fortaleçam e incentivem a família que depende do trabalho do campo. A Amagri foi criada em maio de 2017 com o objetivo de unir as mulheres agricultoras do município de Perdões e facilitar as oportunidades de venda por meio do fornecimento de alimentos para a feira livre do município, para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e para o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). A associação trabalha com a produção natural e sustentável de produtos como frutas, hortaliças, café, ovo, geleias, doces, entre outros.

Como complemento de renda de forma criativa, o turismo rural é uma opção para que as pessoas possam conhecer a rotina das agricultoras familiares. Por isso, inicialmente foi feito um trabalho com a Amagri para concorrer ao edital de turismo rural da Organização Mundial do Turismo das “Melhores Vilas Turísticas” do mundo em áreas rurais. Um roteiro de turismo rural foi formulado, identificando pontos turísticos de Perdões e das propriedades das agricultoras. “Os roteiros planejados buscam demonstrar para as futuras gerações como essas mulheres cultivam a terra e garantem uma alimentação saudável, ao mesmo tempo em que cuidam do meio ambiente”, diz a estudante do sétimo período de Agronomia Maria Eduarda Rodrigues Andrade.

Na segunda etapa do projeto, foi realizado o Diagnóstico Rápido, Participativo Emancipador (DRPE). “Esse diagnóstico tem como base a problematização da realidade pelas próprias integrantes da associação. Posteriormente toda a equipe vai trabalhar na elaboração do relatório,  dando  início a outra etapa do processo de incubação que é o planejamento de médio e longo prazo, com base nos resultados do diagnóstico. Na sequência, entra o plano de negócios e as demandas específicas como cursos e treinamentos”, explica o professor  José Roberto.

A professora Stefania Becattini Vaccaro, da Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas,  lembra que a aplicação do diagnóstico torna possível conhecer melhor a realidade social e econômica na qual a Amagri está inserida.“O objetivo é que a associação possa, de forma participativa, ter seu planejamento estratégico e plano de negócio para fortalecer a geração de trabalho e renda na comunidade local. Além disso, nós, da UFLA, temos a oportunidade de conhecer melhor a dinâmica social do nosso entorno e desenvolver novas formas de intervenção na realidade. Já os estudantes participantes do projeto ganham a experiência da abordagem dos problemas encontrados”.

Durante seus 16 anos de atuação, a Incubacoop, órgão vinculado à Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (Proec) da UFLA promove a extensão universitária ao gerenciar e executar projetos de incubação, pós-incubação, consultoria e assessoria de grupo de pessoas, de empreendimentos econômicos solidários como associações, cooperativas populares, entre outras organizações, além de contribuir com a formação de estudantes de graduação e de pós-graduação. Os projetos desenvolvidos já beneficiaram centenas de pessoas.

O projeto com a Amagri conta com apoio do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais , da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater) , da Prefeitura Municipal de Perdões, do Mundo Cênico (Perdões) e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).