Ir direto para menu de acessibilidade.
SUSTENTABILIDADE E SEGURANÇA

Projeto de Eficiência Energética da UFLA foi contemplado com mais recursos para investimentos

Escrito por Ana Eliza Alvim | Publicado: Terça, 18 Setembro 2018 16:09 | Última Atualização: Terça, 18 Setembro 2018 16:39 | Acessos: 2387
Gentileza solicitar descrição da imagem

A Universidade Federal de Lavras (UFLA) foi contemplada, mais uma vez, pela chamada pública para projetos de eficiência energética (nº 001/2018) da Cemig. Os resultados da avaliação foram divulgados na sexta-feira (14/9) e garantirão à UFLA mais R$ 1.117.088,98 em recursos, que serão utilizados na terceira etapa do projeto de eficientização energética do câmpus. Esse valor vai viabilizar a instalação de mais 8.886 lâmpadas com tecnologia de LED, que, somadas às instaladas nas fases I e II, vão integrar um total de mais de 33 mil novas lâmpadas no câmpus .

Dos 43 projetos submetidos à chamada da Cemig, 22 foram aprovados e as instituições estão aptas à assinatura do contrato. Apenas duas universidades estão na lista – e a UFLA é uma delas. De acordo com o coordenador da energia elétrica da UFLA, professor Joaquim Paulo da Silva, o resultado é muito significativo. “Revela a preocupação da nossa Universidade em realizar uma gestão de energia de ponta e reflete o empenho da instituição para garantir recursos para esses projetos”, avalia.

Somando as três etapas do projeto de desenvolvimento institucional construído para esse fim, a UFLA chegará a uma economia anual de 2.264,21 MWh, o que equivale a cerca de 30% de redução no consumo – um resultado de impacto para o meio ambiente, para as contas públicas e para a segurança das pessoas que circulam no câmpus.

A primeira fase do projeto de eficiência energética foi desenvolvida no primeiro semestre de 2018 e envolveu a substituição de 7.349 lâmpadas pelos modelos de LED, assim como a instalação de 33 condicionadores de ar mais eficientes para a economia de energia. O valor de R$1.561.712,03 foi empregado nessa etapa. Com recursos de R$ 1.737.886,13, a segunda fase irá ocorrer no segundo semestre de 2018, pela qual 17.329 lâmpadas de LED serão instaladas. A terceira etapa, com a liberação de recursos formalmente divulgada na última semana, será implementada no início de 2019.

Os equipamentos e lâmpadas instalados a partir dos projetos têm maior eficiência energética e luminosa, vida útil até 30 vezes maior, não possuem adição de metais pesados em sua composição, assim como gases nocivos a atmosfera, reduzindo então os impactos ambientais.

Clique e conheça as áreas da UFLA contempladas em cada fase do projeto de eficiência energética (O único prédio destacado na imagem para a fase III e que não estará incluído é o do Parque Tecnológico, por ainda não ter sido finalizado).

Consulte aqui o resultado divulgado pela Cemig.

Projeto de Eficiência Energética

As concessionárias de serviços públicos de distribuição, transmissão ou geração de energia elétrica, as permissionárias de serviços públicos de distribuição de energia elétrica e as autorizadas à produção independente de energia, devem aplicar, anualmente, um percentual mínimo de sua Receita Operacional Líquida (ROL) em projetos de Projetos de Eficiência Energética, segundo regulamentos estabelecidos pela Agência Nacional de Energia (Aneel).

Assim, a Cemig, por força das leis nº 9.991/2000; 11.465/2007 e 12.212/2010, tem por obrigação legal incentivar o desenvolvimento de medidas que promovam a eficiência energética e o combate ao desperdício de energia elétrica. Para cumprimento desta determinação, anualmente são promovidos processos de Chamada Pública, abrindo a oportunidade de interessados proporem seus projetos de eficiência energética.

Para as instituições sem fins lucrativos, como a UFLA, os recursos disponibilizados pela concessionária são a fundo perdido, ou seja, a instituição recebe a verba para a implementação de todo o projeto de eficiência energética sem qualquer pagamento à concessionária. Um benefício que gera impacto social, para todos que utilizam os seus serviços, além de redução direta na despesa de energia elétrica e um incremento no seu ativo.