Ir direto para menu de acessibilidade.
Estudo TCU

UFLA é o órgão federal menos vulnerável a fraude e corrupção de Minas Gerais

Escrito por Camila Caetano | Publicado: Sexta, 23 Novembro 2018 13:50 | Última Atualização: Sexta, 23 Novembro 2018 18:11 | Acessos: 2646
Gentileza solicitar descrição da imagem

O Tribunal de Contas da União (TCU) realizou um estudo inédito para verificar a vulnerabilidade dos órgãos públicos federais com relação a fraudes e corrupção. De acordo com a pesquisa, em Minas Gerais, a Universidade Federal de Lavras (UFLA) possui mecanismos de prevenção mais fortes entre as 19 instituições federais analisadas no Estado.

A pesquisa apontou a UFLA como a Instituição Federal de Ensino Superior (Ifes) com menor índice, em Minas Gerais, de fragilidade no controle de fraudes e corrupção. No Brasil, a UFLA é a segunda Ifes com esse bom resultado. De acordo com a escala utilizada pelo TCU, quanto mais perto do 1 estiver o índice, maior a possibilidade de a instituição ser alvo de fraudes; a UFLA apresentou o índice 0,31, considerado baixo. No entanto, o órgão esclarece que esses cálculos se referem apenas à fragilidade dos mecanismos de controle - não são indicativos que de que exista fraude ou corrupção nas instituições avaliadas. “No decorrer de 2018, o TCU promoveu auditoria operacional para avaliar se os controles de prevenção e detecção relacionados a fraude e corrupção de órgãos e instituições do Poder Executivo Federal estão compatíveis com seus poderes econômico e de regulação, bem como propor melhorias em práticas específicas, com o intuito de eliminar ou mitigar causas sistêmicas. Assim, o Tribunal oferece uma ferramenta para que as instituições possam aprimorar os controles e aperfeiçoar a gestão de risco”, explica o TCU.

Em todo o País foram analisados 287 órgãos federais. De acordo com o Tribunal de Contas, como parte da auditoria, foram construídas metodologias de cálculo e consolidadas informações sobre a implementação dos controles: Gestão da Ética e Programa de Integridade; Transparência e Accountability; Governança e Auditoria Interna; Gestão de Riscos e Controles Internos; Designação de Dirigentes. 

O assessor de governança e gestão da UFLA, Adriano Higino Freire, enfatiza que o resultado positivo da Universidade vai ao encontro do trabalho intenso realizado pela gestão e toda a comunidade acadêmica. "Esse reconhecimento é resultado do trabalho sério e profissional da equipe de gestão, que zela pelos princípios da eficiência, da legalidade, da moralidade e da transparência no uso de recursos para o cumprimento do interesse público. Nossa gestão é orientada por um planejamento estratégico monitorado com um controle rígido de cumprimento de metas e alcance de resultados que visam ao interesse da sociedade", avalia.

Ainda segundo o TCU, estarão disponíveis, a partir do dia 26/11, relatórios individuais das instituições pesquisadas, contendo os respectivos resultados, além de análise comparativa de cada uma com o total da amostra e também com instituições de mesma natureza.

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.