Ir direto para menu de acessibilidade.
OBRAS

Assinados contratos com empresas para construção do câmpus UFLA Paraíso

Escrito por Ana Eliza Alvim | Publicado: Terça, 05 Fevereiro 2019 10:09 | Última Atualização: Terça, 12 Fevereiro 2019 15:26 | Acessos: 2384
Gentileza solicitar descrição da imagem

O processo de implantação do câmpus da Universidade Federal de Lavras (UFLA) em São Sebastião do Paraíso teve mais um avanço nessa segunda-feira (4/2). Foram assinados, na cidade, os contratos com as empresas licitadas para realização das obras. A partir da assinatura, as empresas têm a ordem de serviço para já começarem a mobilização para a construção das estruturas, devendo atender aos prazos estipulados nos contratos. Cada instalação tem um prazo de conclusão diferente, mas a previsão é de que todas estejam concluídas em até dois anos. O investimento é de R$ 31 milhões de reais.

A cerimônia foi realizada na Prefeitura da cidade, no Teatro Sebastião Furlan. O reitor, professor José Roberto Soares Scolforo, e o prefeito, Walker Américo Oliveira, também assinaram, na ocasião, um convênio entre UFLA e município, referente à cessão temporária feita à Universidade de um imóvel (Anexo I, Praça dos Imigrantes) onde terão início as atividades dos cursos. O local será adaptado para abrigar salas de aula, laboratórios e suporte administrativo aos cursos até que as obras do novo câmpus estejam concluídas. A previsão é de que o primeiro ingresso de turmas ocorra no primeiro semestre de 2020, por meio do Sistema de Seleção Unificada (SiSU), mas durante o evento o reitor informou que esforços estão sendo feitos para que essa oferta ocorra em 2019.

paraiso 1Além do reitor e da vice-reitora, professora Édila Vilela de Resende Von Pinho, uma equipe formada por pró-reitores, diretores, chefes de departamento e outros representantes de órgãos administrativos da UFLA estiveram presentes na solenidade. Após a cerimônia, eles visitaram a área do novo câmpus. Autoridades da sociedade civil de São Sebastião do Paraíso e da região também compareceram, bem como professores e estudantes.

Em sua fala, o reitor interagiu com os estudantes presentes e apresentou a história da UFLA, fundada em 1908, mostrando, com imagens, a evolução física e de abrangência da instituição em Lavras. “Apresento essas informações para mostrar que todo mundo nasce pequeno, mas com muito trabalho vem a expansão. Assim também será o câmpus UFLA Paraíso. Desde o início da UFLA, a meta foi a qualidade, por isso hoje somos reconhecidos entre as melhores do País. Não será diferente aqui: valerão para Paraíso nossos dois horizontes: estar entre as melhores do Brasil e figurar entre as boas universidades do mundo. Não queremos ser grandes em tamanho, mas queremos ser enorme na contribuição que damos ao Brasil. Fazer o nosso melhor é demonstração de respeito ao contribuinte brasileiro”.

Scolforo apresentou os números da UFLA ao longo do tempo e os atuais, enfatizando que, além de representar oportunidade para os jovens e impulsionar o conhecimento, uma universidade traz impacto econômico positivo para uma região. “Em 2018 o orçamento da UFLA nas atividades em Lavras foi de R$ 400 milhões. São salários de servidores, geração de emprego por meio de obras licitadas e muitos outros investimentos que movimentam a economia local, não estando aí incluídos os recursos que os estudantes empregam na cidade”, disse. O reitor também agradeceu o empenho de todos os envolvidos com o projeto do novo câmpus, enfatizando que a atuação do atual diretor de finanças do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Carlos Melles, como deputado federal. “Vocês não podem imaginar a quantidade de reuniões, de ‘sins’ e ‘nãos’, de longas esperas durante as negociações, para que hoje estejamos dando esse passo”.

Durante a cerimônia pronunciou-se também o pró-reitor de Graduação da UFLA, professor Ronei Ximenes Martins. Ele enfatizou a proposta inovadora dos cursos a serem implantados no câmpus, que atendem a um posicionamento estratégico, necessário ao momento de revolução econômica e social que se aproxima. “A UFLA precisa se preparar para a indústria 4.0, precisa evoluir seus cursos para a educação 4.0. O sucesso presente não nos garante sucesso no futuro. Precisamos antecipar as demandas da sociedade e agir de forma ousada, mais uma vez, com os pés no presente e a cabeça no futuro. Com o câmpus Paraíso, estamos escrevendo um novo capítulo na história da UFLA, que é rica em exemplos de ousadia, perseverança de espírito público e republicano”, avaliou.

O prefeito de São Sebastião do Paraíso relembrou o histórico de tentativas para se implantar uma universidade pública para cidade. “Foi demorado, mas hoje temos a segunda melhor universidade de Minas Gerais. A partir dessa data, Paraíso terá uma nova história”. Também presente, o prefeito de Lavras, José Cherem, citou os vários projetos de extensão da UFLA que atualmente são um importante suporte no município. “Vocês verão que o câmpus universitário vai modificar o histórico de conhecimento em São Sebastião do Paraíso”. Já Carlos Melles relembrou o momento em que nasceu o sonho de estruturar um braço da UFLA em Paraíso, ainda com o horizonte de privilegiar a área das ciências agrárias. “Os cursos que se tornam agora realidade, na área das engenharias, vão propiciar crescimento intelectual, colaborando para o desenvolvimento de Minas e do Brasil”. Ele também pediu aos empresários responsáveis pelas obras que priorizem contratações e compras na região.

O atual vice-presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, deputado Antônio Carlos Arantes, relembrou os momentos em que esteve na UFLA participando de negociações que buscavam viabilizar o câmpus. O presidente da Câmara, vereador Lisandro José Monteiro, mencionou que no passado foram tantas tentativas sem sucesso de se trazer universidades, que acabaram frustrando expectativas. “Mas agora o projeto se torna realidade; é um dia histórico”, comemorou.

Equipes da UFLA e da Prefeitura visitaram a área onde será o câmpus em São Sebastião do Paraíso

Sobre a estrutura física do novo câmpus

Em agosto de 2018 foi feita a transferência de posse, para a UFLA, do terreno de 150 mil m² que abrigará o câmpus. Trata-se de um terreno avaliado em R$ 26 milhões, antes pertencente ao Serviço Social do Comércio (Sesc) e repassado à prefeitura do município, que o cedeu à UFLA. Apresenta condições muito favoráveis, como localização estratégica e estrutura de águas, águas pluviais, esgoto e energia elétrica subterrânea.

As obras já licitadas englobam nove estruturas: anfiteatro, biblioteca, campo e quadra, centro de convivência, pavilhão de aulas, prédio da Incubadora, prédio das Engenharias, prédio de Laboratório e prédio de Logística. O prazo previsto para conclusão desse conjunto é de 24 meses.

O novo câmpus fica localizado na Avenida Antônio Carlos Pinheiro de Alcântara, n° 855, Jardim Mediterranée.

Cursos

O câmpus Paraíso ofertará 180 vagas anuais, distribuídas entre quatro cursos de graduação focados em tecnologia e inovação: Bacharelado Interdisciplinar em Ciência e Tecnologia (BICT), Engenharia Elétrica, Engenharia de Software e Engenharia de Produção. Também está previsto um mestrado profissional em Tecnologias para a Agroindústria, cujo início dependerá da apreciação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

O ingresso das primeiras turmas ocorrerá por meio do SiSU. Posteriormente, o Processo de Seletivo de Avaliação Seriada (PAS) será também uma forma de seleção, como ocorre na UFLA em Lavras. A previsão atual é de que o início das atividades ocorra no primeiro semestre de 2020.

Para viabilizar os cursos, o projeto prevê vagas para 66 professores e 60 técnicos administrativos, a serem nomeados ao longo de três anos.

A UFLA em São Sebastião do Paraíso

 A ideia de um câmpus da UFLA em São Sebastião do Paraíso esteve em discussão na instituição já em 2009, quando foi aprovada pelo Conselho Universitário (CUNI). O projeto foi então encaminhado ao MEC para avaliação. Em 2016, as negociações sobre a proposta foram retomadas. Houve, então, uma reformulação da proposta, que passou por nova avaliação e aprovação pelo CUNI, deliberando-se pela execução quando todos os recursos necessários estivessem assegurados.

São Sebastião do Paraíso possui localização estratégica para a instalação do novo câmpus. A cidade está inserida em uma microrregião formada por 14 municípios que, juntos, somam 281 mil habitantes. Em um raio de 150 km da cidade, no estado de Minas Gerais, não há universidades federais instaladas. Além disso, as instituições públicas e privadas de ensino superior presentes na região ofertam menos de 13% das vagas na área de atuação escolhida pela UFLA.

A região também se destaca pela proximidade com cidades do interior do estado de São Paulo com forte expansão e desenvolvimento, bem como pela ênfase da economia no agronegócio, área de atuação em que a UFLA possui experiência e tradição em ensino, pesquisa e extensão.

Veja o conjunto de fotos na galeria abaixo (com contribuições da Prefeitura de São Sebastião do Paraíso).

 

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.