Ir direto para menu de acessibilidade.
TECNOLOGIA E ALIMENTAÇÃO

Novo software para geração automática de cardápios do RU trará ganhos em qualidade e planejamento

Escrito por Ana Eliza Alvim | Publicado: Terça, 19 Fevereiro 2019 16:22 | Última Atualização: Terça, 19 Fevereiro 2019 16:26 | Acessos: 1231
Gentileza solicitar descrição da imagem

Em um ano, são quase 700 mil refeições servidas no Restaurante Universitário da Universidade Federal de Lavras (UFLA), incluindo almoço e jantar. E a missão vai além de garantir a refeição diária de milhares de estudantes. É preciso cuidar para que haja equilíbrio nutricional no cardápio, ingredientes frescos, variedade e boa qualidade da alimentação e dos serviços. Para que esses objetivos sejam alcançados de uma forma mais eficiente, está sendo desenvolvido um projeto inovador para o RU, que irá possibilitar a geração automática de cardápios para um longo período.

A automatização da atividade trará benefícios de planejamento. Será possível, em poucos cliques, utilizando o software que está sendo desenvolvido, programar quais serão as refeições de todo o ano, bem como gerar a lista de ingredientes necessários. Depois de validados pela nutricionista do RU, esses cardápios permitirão um melhor planejamento das compras a serem feitas para abastecer o restaurante. “Hoje, planejamos o cardápio a cada dia com base nos alimentos que temos em estoque, respeitando as necessidades nutricionais. Mas a qualidade do serviço oferecido será muito maior se os alimentos comprados e em estoque tiverem sido programados para atender a um cardápio pensado previamente. O maior objetivo, portanto, é sermos capazes de atender a uma grande demanda, com alta qualidade e com um processo inteligente de compras”, explica a pró-reitora de Assuntos Estudantis e Comunitários.

Uma equipe multidisciplinar se uniu para desenvolver o projeto, cadastrado no SIGAA como “Algoritmos para o problema da geração de cardápios”. A coordenação é do professor do Departamento de Ciência da Computação (DCC) Mayron Cesar de Oliveira Moreira, que destaca a importância de os professores colaborarem para a solução de problemas internos da Universidade. “É também um aprendizado para todos nós, ao tomarmos contato, por exemplo, com a complexidade das demandas, tanto do RU quanto da área da nutrição. Geramos uma contribuição que também é científica e, no futuro, poderá ser replicada em outros restaurantes universitários, ou mesmo outros tipos de restaurantes”, explica.

Além de Mayron e Ana Paula, integram o grupo de pesquisa e desenvolvimento a professora do Departamento de Ciências Exatas (DEX) Andreza Cristina Beezão Moreira, o professor do DCC Ramon Gomes Costa, a nutricionista do RU Emília Cristina Moes, além de estudantes da Nutrição, da Engenharia de Alimentos, da Ciência da Computação e do Sistemas de Informação.

Mais sobre o projeto

Para que o novo sistema e o softwares estejam prontos para entrar em atividade - o que está previsto para final de 2019 - o projeto se desenvolve em etapas. A primeira, já em concluída, foi a criação de um banco de dados do RU. Registros de cardápios, receitas e outras informações armazenadas nos últimos 15 anos foram informatizadas para funcionar como base de aprendizado para o algoritmo que está sendo criado.

O algoritmo será capaz de montar cardápios adequados, levando em consideração as tabelas nutricionais, a estimativa de demanda, a incompatibilidade entre alimentos, a sazonalidade da produção de alimento, a conjunção de cores no prato, o orçamento, a variabilidade dos pratos e muitos outros fatores. “Existem muitos trabalhos científicos já realizados, voltados para a geração automática de cardápios, mas acredito que seja inédita ou rara uma iniciativa como a nossa, diferenciada por causa do objetivo a que se propõe: garantir ampla variedade de cardápios, com alta qualidade e para atender a um público amplo e diverso”, explica Mayron.

Além de permitir um maior planejamento das atividades do RU e otimizar os processos de compra, o projeto é um investimento da equipe no bem-estar do público universitário. “A alimentação balanceada é essencial à vida saudável. Na Universidade, os estudos, o trabalho intelectual permanente e a carga horária de trabalhos extraclasse são fatores que exigem bastante do estudante, que precisa estar em dia com a alimentação adequada. O cardápio automático irá facilitar a tomada de decisões e, por consequências, permitir um melhor atendimento a esse público”, comenta Ana Paula.

Assista à entrevista, sobre o assunto, concedida pela pró-reitora de Assuntos Estudantis e Comunitários ao Universidade em Foco:

 

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.