Ir direto para menu de acessibilidade.
SUSTENTABILIDADE

UFLA sediou workshop do GreenMetric sobre sustentabilidade nas universidades

Escrito por Gláucia Mendes | Publicado: Quarta, 11 Setembro 2019 16:01 | Última Atualização: Quinta, 12 Setembro 2019 17:57 | Acessos: 1010
Gentileza solicitar descrição da imagem

Pela primeira vez, a Universidade Federal de Lavras (UFLA) sediou o “National Workshop do UI GreenMetric for Universities”. A terceira edição do evento foi realizada nos dias 9 e 10/9, com o objetivo de possibilitar o compartilhamento das melhores práticas de sustentabilidade adotadas nos campi universitários - identificadas por intermédio do ranking anual realizado pela GreenMetric -, além de incentivar a colaboração e o aprendizado entre as Universidades.

A UFLA ocupa posições de destaque no ranking de sustentabilidade do GreenMetric há sete anos consecutivos. Na edição de 2018, a Universidade foi classificada como a 2ª mais sustentável da América Latina e do Brasil. Na abertura do workshop, o pró-reitor de Planejamento e Gestão da Universidade, João Chrysóstomo de Resende Júnior, enfatizou que as ações adotadas, além de contribuírem para uma relação mais equilibrada com o meio ambiente, também se revertem em outros benefícios institucionais.

“Todas as ações de sustentabilidade realizadas na UFLA refletem em questões financeiras para a Universidade. Sermos autossuficientes no abastecimento de água e no tratamento de esgoto, por exemplo, permite uma economia de R$ 6 milhões por ano. Além disso, com as instalações de placas fotovoltaicas conseguiremos suprir de 10 a 15% do consumo de energia, ou seja, uma economia de aproximadamente R$ 700 mil ao ano”, afirma o pró-reitor.

O workshop contou com a presença do vice-presidente do Green Metric, Nyoman Suwartha, e do membro especialista  Muhammad Fuad, ambos da Universidade da Indonésia. Também estiveram presentes representes de 22 instituições de ensino de diferentes regiões do Brasil.

 

Boas práticas brasileiras

A programação do primeiro dia do evento enfocou casos de sucesso de universidades brasileiras bem posicionadas no ranking 2018 do UI GreenMetric World University.

O professor Tércio Ambruzzi, da Universidade de São Paulo (USP), destacou os principais aspectos que alçaram a instituição à liderança brasileira. Entre os fatores de destaque no ranking de 2018, mencionou a porcentagem de área verde da instituição, equivalente a cerca de 30% do total; o programa USP Recicla, que promove a reciclagem de resíduos no campus desde 1994; a produção de energia renovável nos campi e o centro de descarte e reuso de produtos de informática.

A Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) tem enfocado iniciativas de gestão de resíduos. De acordo com a professora Melissa Antunes, desde 2010, a universidade tem se dedicado à realização de análises da qualidade dos resíduos, que vêm sendo adotadas como base para aprimorar o programa.

A elevada produção de energia eólica do estado do Rio Grande do Norte é um diferencial que vem sendo explorado pelo Centro Universitário Uni RN em suas ações de sustentabilidade. O centro universitário tem investido no ensino voltado para esse ramo de produção energética e na realização de parcerias com empresas de geração de energia eólica, para o desenvolvimento de pesquisas.

Na Universidade Federal de Viçosa (UFV), 21 dos 59 cursos existentes possuem ênfase na área ambiental e 29% das pesquisas são relacionadas ao tema da sustentabilidade. Um dos desafios da instituição tem sido aproximar esse corpo docente do principal órgão de gestão ambiental da universidade – a Diretoria de Meio Ambiente, constituída essencialmente por servidores técnico-administrativos.

 

Sustentabilidade na UFLA

Classificada em 2° lugar no ranking 2018 do GreenMetric na América Latina e no Brasil, a UFLA possui várias iniciativas sustentáveis, que puderam ser conhecidas de perto pelo participantes do workshop.

IMG 0302As ações na área de eficiência energética foram apresentadas pelo professor Joaquim Paulo da Silva, na tarde do primeiro dia do evento. Desde 2016, a Instituição tem captado recursos de chamadas públicas da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) para a troca de lâmpadas fluorescentes por lâmpadas de led e de condicionadores de ar antigos por modelos mais eficientes. O investimento realizado até o momento, da ordem de R$ 4,2 milhões, tem permitido uma economia equivalente a 111 dias de consumo de energia do campus.

A criação da Coordenadoria de Endemias, em 2013, tem permitido uma abordagem de “saúde única” na UFLA, que integra a saúde humana, animal e ambiental. No segundo dia do evento, a professora Joziana Barçante apresentou as ações realizadas até o momento no combate à dengue e à leishmaniose, a partir da articulação entre a Universidade e o município. “O entendimento e a participação ativa das comunidades interna e externa são fundamentais para o sucesso dessas ações de controle de endemias”, sublinhou.

Além do relato sobre essas frentes de trabalho, foi realizado, no segundo dia do evento, um tour com os participantes do workshop pelos principais pontos do Plano Ambiental e Estruturante da UFLA: a estação de tratamento de esgoto, a estação de tratamento de água, as áreas de reflorestamento e o laboratório de gerenciamento de resíduos químicos.

 

Fotos: Camila Caetano, Caroline Batista, Gláucia Mendes e Raphaela Mendonça

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.