Ir direto para menu de acessibilidade.
SUSTENTABILIDADE E SOCIEDADE

UFLA é parceira da Receita Federal na descaracterização de tabaco apreendido em fiscalizações

Escrito por Ana Eliza Alvim | Publicado: Sábado, 19 Dezembro 2020 09:51 | Última Atualização: Sábado, 19 Dezembro 2020 10:17 | Acessos: 437
Gentileza solicitar descrição da imagem
O tabaco apreendido foi descarregado na UFLA para descaracterização

Uma ação decorrente de parceria entre a Universidade Federal de Lavras (UFLA) e a Receita Federal foi realizada nesta sexta-feira (18/12) no câmpus: a descaracterização de 33 toneladas de tabaco para transformação em adubo. Esse material provém de apreensões feitas durante as operações de fiscalização da Receita Federal.

O tabaco apreendido seria utilizado na fabricação clandestina de cigarros. Com a parceria, é possível dar um destino inteligente e ambientalmente correto ao material. Ao ser misturado a outros componentes para o processo de compostagem, o tabaco se transformará em um composto orgânico útil à adubação de hortas, pomares e outras áreas de cultivo da UFLA. Esse aproveitamento agrícola de resíduos agroindustriais na forma de composto orgânico possibilita a reciclagem de nutrientes no sistema e a redução da contaminação ambiental, que ocorreria caso houvesse uma disposição inadequada dos resíduos.

Uma comissão de servidores da Receita Federal acompanhou o processo de descaracterização, realizado no câmpus, para atestá-lo. Pela parceria, novas remessas de materiais serão enviadas à UFLA de forma contínua, de acordo com a demanda gerada nas apreensões. Além da UFLA, outra instituição de ensino que participa da parceria é o IfSuldeMinas, onde a descaracterização já vem sendo feita. Na UFLA, a Pró-Reitoria de Infraestrutura e Logística (Proinfra) coordena as ações, com uma equipe de servidores do órgão, e participação especial da Diretoria de Qualidade e Meio Ambiente (DQMA), além de contar com o apoio de pesquisadores dos cursos de Engenharia Ambiental, Engenharia de Materiais e Engenharia Mecânica, que irão desenvolver estudos para propor aplicabilidades aos resíduos, indo além da produção de adubos.

De acordo com o pró-reitor de Infraestrutura e Logística, professor Sandro Silva, a parceria vai ao encontro das premissas de sustentabilidade que guiam a UFLA. Além de permitir ações sustentáveis, o aproveitamento do material é um auxílio à sociedade, garantindo a distribuição desses produtos e a otimização de recursos públicos”, diz.

Saiba mais sobre possibilidades de estudos para aproveitamento dos resíduos do tabaco e dos cigarros apreendidos

Estabelecida a parceria, pesquisadores da UFLA vão se debruçar no estudo de soluções ambientais que possam se beneficiar da descaracterização do tabaco e do cigarro. Um exemplo é a possibilidade de se produzir pellets (biocombustíveis sólidos) com alto poder calorífico e alta rentabilidade, se destacando como uma energia limpa, renovável e ecossustentável.

Outra possibilidade a ser avaliada é quanto ao potencial do tabaco para a produção de o biocarvão (“biochar”), que corresponde a uma biomassa carbonizada sob atmosfera pobre em oxigênio com finalidade de uso agrícola, visando à captura de carbono no solo e a melhoria de suas propriedades físico-químicas.

Os biochars produzidos com tabaco também podem apresentar potencial de remoção poluentes presentes em efluentes sanitários e industriais, podendo ser aplicado como substrato de filtros, servindo como tratamento alternativo ou complementar de baixo custo.

Essas são algumas das propostas de estudos em avaliação pelos pesquisadores da UFLA.

Sobre a compostagem

Os resíduos vegetais, como é o caso do tabaco, podem ser utilizados na produção de adubo orgânico por meio da compostagem. Para que a compostagem ocorra, deve haver no material uma relação correta entre os elementos Carbono e Nitrogênio: 30 partes de Carbono para cada parte de Nitrogênio. Assim, os organismos responsáveis pela fermentação do material orgânico podem atuar. O tabaco, por apresentar maior concentração de carbono, deve ser misturado a outro material, que seja rico em nitrogênio, como por exemplo dejetos de animais. Após o período de compostagem é obtido um produto de cor escura, consistência friável, rico em húmus, originado da ação fermentativa e digestiva de microrganismos e de pequenos animais, em ambiente aeróbico, sobre matéria morta vegetal. O adubo orgânico, além de fornecer nutrientes, se destaca por pelo fornecimento de matéria orgânica que melhoram as propriedades físicas e biológicas do solo.

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.
Portal da Ciência - Universidade Federal de Lavras
Coronavírus Covid-19: É importante de informar e prevenir. ufla.br/coronavirus
FalaBR: Pedidos de informações públicas e manifestações de ouvidoria em um único local. Sistema Eletrônico de Informações ao Cidadão (e-SIC) e Ouvidoria.