Ir direto para menu de acessibilidade.
EDIÇÃO 2022

UFLA está entre as universidades brasileiras com reconhecimento internacional pelo Emerging Economies University Rankings

Escrito por Ana Eliza Alvim | Publicado: Quinta, 28 Outubro 2021 18:02 | Última Atualização: Quinta, 28 Outubro 2021 20:28 | Acessos: 836
Gentileza solicitar descrição da imagem

A Universidade Federal de Lavras (UFLA), mais uma vez, integra a lista das melhores universidades de países de economias emergentes. A edição 2022 do Times Higher Education (THE) Emerging Economies Rankings foi divulgada e a UFLA encontra-se na 9ª posição entre as universidades federais brasileiras presentes na lista, que tem, ao todo, 698 instituições ranqueadas. Outras cinco universidades federais estão na mesma posição que a UFLA - as federais de Viçosa, do ABC, Uberlândia, Pelotas e Bahia.

Desde 2015 a UFLA tem classificação nesse ranking. Na edição 2022, a pontuação da Universidade se mantém semelhante à obtida na edição de 2021, embora a faixa de classificação tenha se alterado, com a inclusão de 92 novas universidades e as mudanças de posicionamento de outras instituições. A UFLA está na faixa 401-500 e manteve a estabilidade de seus resultados de um ano a outro nos diversos indicadores, com poucas variações. Consulte os resultados.

O Times Higher Education  Emerging Economies University Rankings 2022 abarca apenas países classificados pelo Grupo FTSE da Bolsa de Valores de Londres como emergentes avançados, emergentes secundários ou de fronteira. Estão contempladas 59 instituições brasileiras, entre públicas e privadas. São utilizados os mesmos indicadores de desempenho do THE  World University Rankings, com eixos que avaliam Ensino, Pesquisa, Citações, Reconhecimento Internacional e Renda com a Indústria. Entretanto, pesos diferentes são atribuídos a cada um deles, para contemplar o cenário das economias emergentes. 

O diretor de Relações Internacionais da UFLA, professor Antônio Chalfun Júnior, explica que, nessa avaliação internacional, tem peso expressivo a pesquisa de reputação acadêmica anual que os organizadores realizam com pares em todo o mundo, para que mencionem instituições que considerem de qualidade. “Somos uma universidade de médio porte, no interior de um estado brasileiro, e com certeza é um desafio aumentarmos nossa presença para sermos lembrados por profissionais em todo o mundo. Nesta edição, eles se basearam em quase 22 mil respostas. Ainda assim, temos mantido o equilíbrio do nosso desempenho, e evoluindo em quesitos como citações, relações com a indústria e perspectiva internacional.”

Para o reitor da UFLA, professor João Chrysostomo de Resende Júnior, o resultado é fruto do esforço da comunidade universitária. “A metodologia considera inclusive dados colhidos já durante a pandemia de Covid-19, momento de desafios para todos. Mas a solidez do trabalho desenvolvido por professores, técnicos administrativos, funcionários terceirizados e estudantes nos permitiu manter a estabilidade da pontuação. Além dos quesitos considerados nesse ranking, temos também todo o trabalho de extensão e outras rotinas da Universidade que não são avaliadas e que são importantes para nosso contexto local, para o impacto que temos para a sociedade”, avalia.